Brasil e Argentina no Maracanã em julho: também é o seu palpite?

Agora que você já começou sua dieta, fez a matrícula para a academia, tomou coragem para flertar com aquela companhia deliciosa e repensou seus outros projetos pessoais, é momento de revisar outros palpites relevantes para 2014. Até porque, convenhamos, este ano será bem simples e rápido: Mundial no primeiro semestre, eleições no segundo. Feliz 2015!

Tudo bem, sem pressa. Considere, no entanto, interromper o andamento de suas resoluções por uns 10 minutinhos para brincar com o clássico simulador de palpites da Copa do Mundo. Ao final, responda: quais seleções disputarão a cobiçada taça (que, na verdade, é uma escultura) em 13 de julho? Se preferir, guarde o link e refaça suas escolhas quantas vezes quiser até a bola rolar no Itaquerão em alguns dias.

É bem fácil brincar: basta escolher os dois classificados de cada grupo (em primeiro e segundo, respectivamente) e, na sequencia, eliminar um a um nas fases de mata-mata até chegar à decisão. Quer avaliar seu palpite pensando jogo a jogo? Experimente o simulador do UOL Esporte, bem mais completo. Ainda precisa de ajuda? Dê uma olhada neste sensacional infográfico do The Guardian, onde cada chave foi analisada a partir da pontuação no ranking da Fifa. Vamos lá?

[HTML1]

Primeira fase

Comecemos pelo grupo do Brasil. Aqui, a aposta natural seria botar o time de Felipão ao lado da Croácia: os mexicanos, tradicional pedra no sapato no caminho da seleção, chegaram ao Mundial aos trancos e barrancos. Mesmo assim, também tradicionalmente, os estádios costumam encher de gente fantasiada de Chapolim. Dessa forma, acreditando em um bom desenpenho brasileiro nas três partidas, o grande jogo será Croácia e México, no Recife. Vou botar minhas fichas no México.

Os adversários nas oitavas virão do terceiro grupo mais cascudo desta Copa. Aquele que terá a final de 2010 logo na primeira rodada, na Fonte Nova. Digamos que a Espanha confirme seu favoritismo – se bem que, nessa onda de confirmar o óbvio, havia derrubado a Fúria em todas as minhas simulações em 2010… Mas enfim, uma coisa já podem escrever: Holanda e Chile será lembrada como a Batalha Épica do Itaquerão. E por mais que as holandesas sejam simpáticas, ninguém vai torcer por eles. Vamos, Chile!

O Grupo C é uma incógnita. Espera-se tanto da Colômbia que eu nem sei o que pensar. Por via das dúvidas, vamos com a maioria. O segundo colocado tanto faz. Já ouvi quem aposte nos japoneses… E eu tenho quase certeza de que Japão e Grécia, em Natal, vai ser um dos piores jogos do Mundial. Minha tendência é acreditar nos elefantes africanos, que nas outras duas participações, deram azar ao cair na chave “da morte” em 2006 e no grupo do Brasil em 2010.

Agora o segundo grupo mais complicado. E que começa com um Inglaterra e Itália no fim de tarde manauara. O placar poderia ser -2 a -2, com vitória para o insuportável calor amazônico. Mas enfim, esta será a partida decisiva, já que os uruguaios vão contar com a torcida local em todos os jogos – em especial contra os ingleses, em São Paulo. Qualquer combinação que exclua a Costa Rica faz sentido aqui. A minha será Uruguai e Itália.

Agora o grupo da Suíça cabeça-de-chave. Suíça. Cabeça. De chave. A maioria vai acreditar neles e colocá-los nas oitavas ao lado da França. Pois eu quero que os franceses explodam. Não perguntem as razões. Só não quero saber dos franceses. Sim, é um palpite meramente emocional. Bem que os franceses podiam perder para Honduras. Mas não precisa, basta Equador vencer no Maracanã, na última rodada. Seria lindo.

Os grupos F e H são as grandes molezas deste Mundial, e até por isso vou resolvê-los na sequencia. A Argentina vai nadar de braçada, enquanto Curitiba deverá assistir a Irã e Nigéria. Chupem. A decisão da chave será em Cuiabá, num joguinho com três alternativas: Bósnia, Nigéria ou quem se importa. Vai ter gente apostando na tradição africana diante de “estreantes”, mas se o peso aqui for tradição, a antiga Iugoslávia tem mais.

A outra baba é o Grupo H, também chamado “Deus me Livre e Guarde, Aleluia”. Bélgica, Argélia, Rússia e Coréia. Já disse aqui: belgas versus argelinos farão o melhor jogo desta primeira fase, por uma razão simples: estarei nas arquibancadas falando mal dos franceses – li em algum lugar que os vizinhos adoram fazer piadinhas como “a melhor maneira de esconder dinheiro deles é colocando embaixo do sabonete ou mais perto do chuveiro, eles nunca vão lá”. A disputa pelo segundo lugar da chave será no Rio, contra os russos. Como todos aqui vieram participar, a ordem não faz diferença.

Deixei o G por último. Este sim é o Grupo da Morte. O mais equilibrado. Qualquer uma das quatro seleções podem se classificar. O favoritismo aponta alemães e portugueses, e esta é a aposta fácil. Convém lembrar, no entanto, que Gana foi o único africano a chegar entre os oito melhores no Mundial disputado em seu continente. E os norte-americanos, treinados por Klinsmann, não vão demorar para serem campeões mundiais. Minha hipótese é a de que os alemães são indiscutivelmente os mais fortes e os ganeses não são mais aqueles. Portugal e EUA disputariam a segunda vaga – e vejam só, vai ser em Manaus. Teremos jogos bacanas lá. Aliás, os norte-americanos caíram naquela infeliz posição do sorteio, ainda com partidas em Natal e Recife. Talvez mude de ideia antes da Copa, mas vou na zebra e derrubar os “patrícios”. Já para casa, Cristiano Ronaldo.

Fase eliminatória

Como naquele velho clichê, agora é hora de separar os homens dos meninos. Nossa tendência será imaginar o Brasil atropelando quem vier, do jeito que a torcida fará com o hino nacional em cima da medíocre versão editada pela Fifa. E nada melhor que um Brasil e Chile para dar uma aquecidinha. A Colômbia de Falcão Garcia vai se esforçar, mas a Itália é a Itália. Espanha x México… Vontade de derrubar os atuais campeões, mas não ainda. Uruguai passaria pelos marfinenses, a Alemanha derrubaria os russos e os argentinos passariam pelos equatorianos – puxa, classifiquei os cinco do continente, com dois duelos sul-americanos nas oitavas. Será mesmo possível? Ah, sim: sobrou um Bélgica x EUA e um Suíça x Bósnia. Que percam todos.

Finalmente, as quartas. Alemães e argentinos pegaram o caminho mais fácil e encaram qualquer das barbadas que eliminei agorinha. Restam dois duelos. Um é Espanha x Uruguai em Salvador. O outro, só Brasil x Itália, que seria o segundo jogo da seleção em Fortaleza neste Mundial… Enfim, Imprevisível. Para a alegria dos deuses do futebol, as semifinais seriam sensacionalmente históricas. O terrão da ZL ao lado da Cohab José Bonifácio receberia o mais antigo e duro clássico sul-americano, revivendo a decisão da primeira Copa, em Montevidéu: Argentina x Uruguai. Já o Mineirão teria o segundo jogo mais esperado em qualquer Copa – e que, ironicamente, se enfrentaram em Mundiais apenas uma vez, na final de 2002: Brasil x Alemanha.

Espetacular, não? Caso esta sequencia aconteça, eu ainda acho que os alemães vão botar Neymar (como diz o Cassio, “craque dos gols bonitos nos jogos fáceis”) e sua trupe na disputa do terceiro lugar, revivendo com os argentinos as decisões de 1986 e 1990 – ou ainda aquela sensacional disputa de 2006. Uma outra possibilidade, mais remota, seria uma reedição do Maracanazzo de 1950 – ninguém apostaria nisso, seguramente a Espanha vai ocupar a vaga uruguaia na maioria dos bolões. Os mais pessimistas vão derrubar a seleção nas quartas, contra a Itália – até porque, seja pela empolgação ou mesmo superstição, quem leva a Copa das Confederações não dá sorte no Mundial.

Mas a final dos sonhos, sem sombra de dúvidas, seria o maior clássico do futebol mundial. Brasil x Argentina. Haja coração, Galvão. É um palpite tão evidente, tão ululantemente óbvio que… É como a volta do fantasma de 50: só vendo para crer.

Enfim, seja qual for a final, ao menos uma certeza: não vão faltar manifestações Brasil afora, não é mesmo?

André Marmota acredita em um futuro com blogs atualizados, livros impressos, videolocadoras, amores sinceros, entre outros anacronismos. Quer saber mais?

Leia outros posts em Marmota na Copa. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (1)

  1. Acabo de me dar conta que obrigatoriamente vamos nos reunir esse ano, meu caro… Ano de Copa, Ano de Figurinhas! Ah, e no meu palpite a Fúria cai na primeira fase…

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*