Brasil e Argentina no Maracanã em julho: também é o seu palpite?

Agora que você já começou sua dieta, fez a matrícula para a academia, tomou coragem para flertar com aquela companhia deliciosa e repensou seus outros projetos pessoais, é momento de revisar outros palpites relevantes para 2014. Até porque, convenhamos, este ano será bem simples e rápido: Mundial no primeiro semestre, eleições no segundo. Feliz 2015!

Tudo bem, sem pressa. Considere, no entanto, interromper o andamento de suas resoluções por uns 10 minutinhos para brincar com o clássico simulador de palpites da Copa do Mundo. Ao final, responda: quais seleções disputarão a cobiçada taça (que, na verdade, é uma escultura) em 13 de julho? Se preferir, guarde o link e refaça suas escolhas quantas vezes quiser até a bola rolar no Itaquerão em alguns dias.

É bem fácil brincar: basta escolher os dois classificados de cada grupo (em primeiro e segundo, respectivamente) e, na sequencia, eliminar um a um nas fases de mata-mata até chegar à decisão. Quer avaliar seu palpite pensando jogo a jogo? Experimente o simulador do UOL Esporte, bem mais completo. Ainda precisa de ajuda? Dê uma olhada neste sensacional infográfico do The Guardian, onde cada chave foi analisada a partir da pontuação no ranking da Fifa. Vamos lá?

[HTML1]

Primeira fase

Comecemos pelo grupo do Brasil. Aqui, a aposta natural seria botar o time de Felipão ao lado da Croácia: os mexicanos, tradicional pedra no sapato no caminho da seleção, chegaram ao Mundial aos trancos e barrancos. Mesmo assim, também tradicionalmente, os estádios costumam encher de gente fantasiada de Chapolim. Dessa forma, acreditando em um bom desenpenho brasileiro nas três partidas, o grande jogo será Croácia e México, no Recife. Vou botar minhas fichas no México.

Os adversários nas oitavas virão do terceiro grupo mais cascudo desta Copa. Aquele que terá a final de 2010 logo na primeira rodada, na Fonte Nova. Digamos que a Espanha confirme seu favoritismo – se bem que, nessa onda de confirmar o óbvio, havia derrubado a Fúria em todas as minhas simulações em 2010… Mas enfim, uma coisa já podem escrever: Holanda e Chile será lembrada como a Batalha Épica do Itaquerão. E por mais que as holandesas sejam simpáticas, ninguém vai torcer por eles. Vamos, Chile!

O Grupo C é uma incógnita. Espera-se tanto da Colômbia que eu nem sei o que pensar. Por via das dúvidas, vamos com a maioria. O segundo colocado tanto faz. Já ouvi quem aposte nos japoneses… E eu tenho quase certeza de que Japão e Grécia, em Natal, vai ser um dos piores jogos do Mundial. Minha tendência é acreditar nos elefantes africanos, que nas outras duas participações, deram azar ao cair na chave “da morte” em 2006 e no grupo do Brasil em 2010.

Agora o segundo grupo mais complicado. E que começa com um Inglaterra e Itália no fim de tarde manauara. O placar poderia ser -2 a -2, com vitória para o insuportável calor amazônico. Mas enfim, esta será a partida decisiva, já que os uruguaios vão contar com a torcida local em todos os jogos – em especial contra os ingleses, em São Paulo. Qualquer combinação que exclua a Costa Rica faz sentido aqui. A minha será Uruguai e Itália.

Agora o grupo da Suíça cabeça-de-chave. Suíça. Cabeça. De chave. A maioria vai acreditar neles e colocá-los nas oitavas ao lado da França. Pois eu quero que os franceses explodam. Não perguntem as razões. Só não quero saber dos franceses. Sim, é um palpite meramente emocional. Bem que os franceses podiam perder para Honduras. Mas não precisa, basta Equador vencer no Maracanã, na última rodada. Seria lindo.

Os grupos F e H são as grandes molezas deste Mundial, e até por isso vou resolvê-los na sequencia. A Argentina vai nadar de braçada, enquanto Curitiba deverá assistir a Irã e Nigéria. Chupem. A decisão da chave será em Cuiabá, num joguinho com três alternativas: Bósnia, Nigéria ou quem se importa. Vai ter gente apostando na tradição africana diante de “estreantes”, mas se o peso aqui for tradição, a antiga Iugoslávia tem mais.

A outra baba é o Grupo H, também chamado “Deus me Livre e Guarde, Aleluia”. Bélgica, Argélia, Rússia e Coréia. Já disse aqui: belgas versus argelinos farão o melhor jogo desta primeira fase, por uma razão simples: estarei nas arquibancadas falando mal dos franceses – li em algum lugar que os vizinhos adoram fazer piadinhas como “a melhor maneira de esconder dinheiro deles é colocando embaixo do sabonete ou mais perto do chuveiro, eles nunca vão lá”. A disputa pelo segundo lugar da chave será no Rio, contra os russos. Como todos aqui vieram participar, a ordem não faz diferença.

Deixei o G por último. Este sim é o Grupo da Morte. O mais equilibrado. Qualquer uma das quatro seleções podem se classificar. O favoritismo aponta alemães e portugueses, e esta é a aposta fácil. Convém lembrar, no entanto, que Gana foi o único africano a chegar entre os oito melhores no Mundial disputado em seu continente. E os norte-americanos, treinados por Klinsmann, não vão demorar para serem campeões mundiais. Minha hipótese é a de que os alemães são indiscutivelmente os mais fortes e os ganeses não são mais aqueles. Portugal e EUA disputariam a segunda vaga – e vejam só, vai ser em Manaus. Teremos jogos bacanas lá. Aliás, os norte-americanos caíram naquela infeliz posição do sorteio, ainda com partidas em Natal e Recife. Talvez mude de ideia antes da Copa, mas vou na zebra e derrubar os “patrícios”. Já para casa, Cristiano Ronaldo.

Fase eliminatória

Como naquele velho clichê, agora é hora de separar os homens dos meninos. Nossa tendência será imaginar o Brasil atropelando quem vier, do jeito que a torcida fará com o hino nacional em cima da medíocre versão editada pela Fifa. E nada melhor que um Brasil e Chile para dar uma aquecidinha. A Colômbia de Falcão Garcia vai se esforçar, mas a Itália é a Itália. Espanha x México… Vontade de derrubar os atuais campeões, mas não ainda. Uruguai passaria pelos marfinenses, a Alemanha derrubaria os russos e os argentinos passariam pelos equatorianos – puxa, classifiquei os cinco do continente, com dois duelos sul-americanos nas oitavas. Será mesmo possível? Ah, sim: sobrou um Bélgica x EUA e um Suíça x Bósnia. Que percam todos.

Finalmente, as quartas. Alemães e argentinos pegaram o caminho mais fácil e encaram qualquer das barbadas que eliminei agorinha. Restam dois duelos. Um é Espanha x Uruguai em Salvador. O outro, só Brasil x Itália, que seria o segundo jogo da seleção em Fortaleza neste Mundial… Enfim, Imprevisível. Para a alegria dos deuses do futebol, as semifinais seriam sensacionalmente históricas. O terrão da ZL ao lado da Cohab José Bonifácio receberia o mais antigo e duro clássico sul-americano, revivendo a decisão da primeira Copa, em Montevidéu: Argentina x Uruguai. Já o Mineirão teria o segundo jogo mais esperado em qualquer Copa – e que, ironicamente, se enfrentaram em Mundiais apenas uma vez, na final de 2002: Brasil x Alemanha.

Espetacular, não? Caso esta sequencia aconteça, eu ainda acho que os alemães vão botar Neymar (como diz o Cassio, “craque dos gols bonitos nos jogos fáceis”) e sua trupe na disputa do terceiro lugar, revivendo com os argentinos as decisões de 1986 e 1990 – ou ainda aquela sensacional disputa de 2006. Uma outra possibilidade, mais remota, seria uma reedição do Maracanazzo de 1950 – ninguém apostaria nisso, seguramente a Espanha vai ocupar a vaga uruguaia na maioria dos bolões. Os mais pessimistas vão derrubar a seleção nas quartas, contra a Itália – até porque, seja pela empolgação ou mesmo superstição, quem leva a Copa das Confederações não dá sorte no Mundial.

Mas a final dos sonhos, sem sombra de dúvidas, seria o maior clássico do futebol mundial. Brasil x Argentina. Haja coração, Galvão. É um palpite tão evidente, tão ululantemente óbvio que… É como a volta do fantasma de 50: só vendo para crer.

Enfim, seja qual for a final, ao menos uma certeza: não vão faltar manifestações Brasil afora, não é mesmo?

André Marmota tem uma incrível habilidade: transforma-se de “homem de todas as vidas” a “uma lembrancinha aí” em poucas semanas. Quer saber mais?

Leia outros posts em Marmota na Copa. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (1)

  1. Acabo de me dar conta que obrigatoriamente vamos nos reunir esse ano, meu caro… Ano de Copa, Ano de Figurinhas! Ah, e no meu palpite a Fúria cai na primeira fase…

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*