Sobre as tais condições de saúde

Lisboa (Portugal) – Foram onze horas de vôo, com poucas chances de sono (para não dizer nulas). Perdemos outras cinco horas, graças ao fuso horário: no dia seguinte, sem dormir, estávamos almoçando no horário que seria reservado para o café. Por fim, deixamos uma chuvosa Porto ao meio-dia de segunda-feira, sem almoço, quando desembarcamos na Estação Oriente, região leste de uma ensolarada Lisboa.

Óbvio que o meu organismo de atleta iria reclamar qualquer hora dessas. Aconteceu nesta terça-feira. O sujeito que perambulava pelo Chiado, Praça do Rossio, Castelo de São Jorge, entre outras atrações históricas extraordinárias da capital portuguesa, estava um tanto quanto debilitado. A virada climática, além da alimentação prejudicada, deixaram baqueado este viajante batizado de “bagre de rio” pelos amigos. O bagre é aquele peixe que, na maioria das criações, é responsável pela limpeza. É o que eu costumo fazer quando meus companheiros deixam comida no prato…

Enfim. Entre todas as novas lições que aprendemos nesse passeio, uma é bastante prática: nunca troque uma boa noite de sono ou mesmo um jantar a base de caldo verde e uma fruta (mesmo que ela permaneça pouco tempo no organismo), em troca de aproveitamento máximo. Certamente, nas poucas horas que nos restam em Lisboa, não vou conseguir visitar o bairro de Belém, menos ainda a cidade de Sintra – passeios imperdíveis para qualquer viajante nestas bandas.

Em compensação, espero retomar minha saúde 100% até chegar na Espanha, nossa próxima parada… Continuem torcendo por mim!

Apesar do pouco tempo em cada lugar, conseguimos absorver a essência e, mais do que isso, conhecer boa parte das atrações. E tudo ainda fica melhor quando estamos bem acompanhados pelos “nativos”. Pedro Gonçalves e Mário João, respectivamente amigo e primo da Lu, tornaram nossa escala em Lisboa ainda mais inesquecível!

Escala que, aliás, não acabou. Logo mais, as 21h15 (17h15 para vocês) estaremos no moderníssimo José Alvalade, acompanhando Portugal x Rússia. Bem melhor que assistir a Quinta das Celebridades, um reality show com direito a Alexandre Frota (que, acreditem, está agradando por ser um bom moço) e uma biba louca chamada José Castelo Branco. Aliás, o tal big brother rural é o grande assunto do momento: está na capa da maioria das revistas – inclusive da Focus, a nossa Época.

Mesmo por conta dessas, já é possível dizer que Portugal é fascinante. Não tem como não voltar.

Sei que você já está de saco cheio, mas saiba que essa birincadeira está só começado. E se ainda quer ver mais, não deixe de ver os blogs do Lello e da Lu. E até Madrid!

André Marmota acredita em um futuro com blogs atualizados, livros impressos, videolocadoras, amores sinceros, entre outros anacronismos. Quer saber mais?

Leia outros posts em Especiais do MMM. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (12)

  1. André
    *sorriso* Ah, eu não sou disciplinada. Sou totalmente soldária a você porque me deixo levar pela empolgação. Também tenho certeza que em breve você estará recomposto.
    Abraço, Ju

  2. Saco cheio não! Estamos é acompanhando seu blog pra ver se encontramos alguma notícia da aventura. E, felizmente, você vem se esforçando pra mandar uns boletins em “real time”. Valeu! E parem de bancar os zumbis ou os Rambos, pois não há nada pior do que enfrentar uma viagem dessas CANSADOS e MAL ALIMENTADOS. (conselho da minha vó)

    E não se esqueçam de levar blusas nos passeios.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*