Três casamentos e uma festança

Culpa do glorioso ator de Hollywood Eddie Murphy, que certa feita elaborou uma série de leis, todas a partir do mesmo princípio: se algo na vida pode dar errado, vai dar. Neste sábado, 19 de outubro, terei mais uma agradável tarde/noite no plantão da redação. No mesmo instante, estarei faltando a três casórios praticamente imperdíveis, além de uma grande festa familiar mais imperdível ainda.

O primeiro matrimônio será o da minha grande amiga Karla. Atualmente carregada de responsabilidades no Caderno 2 do Estadão, passou alguns meses atualizando os sites da Gazeta, desde tabelas do campeonato paranaense até receitas dos inúmeros programas culinários da TV. A mocinha, que certamente seria a nora perfeita para os seus pais, oficializará sua feliz união com o Celso. Apesar de ter garantido presença, a minha única participação estará no presente da “Tá Micado”, comprado em conjunto com alguns ex-companheiros de trabalho.

Em outra ponta da cidade, a Lenice, uma amiga dos tempos de primário, irá reunir alguns companheiros da época em que éramos felizes e não sabíamos, aproveitando o pretexto chamado Laurindo, seu noivo há alguns anos. Oportunidade única para rever a galera, matar saudades, relembrar histórias e atualizar nossas histórias. Enfim, também já era.

Um pouco mais próximo da Paulista 900, teremos o casamento do nosso colega Othon, evento que se tornou a pauta da semana dentro da redação. “Não vai ter nenhuma frescura, se quiser, pode ir direto para a festa mesmo”, garantiu. Vai ser difícil, mas dependendo da hora que o plantão acabar, até dá para encarar o final da noite. Mas não sei, de repente, chego e encontro apenas meia dúzia de convidados indo embora…

Por fim, um evento familiar único: simplesmente todos os meus familiares estarão presentes na comemoração do aniversário de um tio-avô. A churrascada, regada a salada de batatas e todo tipo de sobremesa, irá mobilizar a região do Passo das Pedras, lá pras bandas de Capão do Leão, zona sul do Rio Grande do Sul. A idéia é reunir centenas de parentes, mesmo aqueles que não possuem o sobrenome “Peter”, mas que possuem alguma ligação. Apenas uma das famílias, justamente a que vive em São Paulo, confirmou a ausência.

Tudo isso neste dia 19 de outubro, uma data que promete ser inesquecível para milhares de pessoas: todos felizes celebrando um momento especial, muitos se empanturrando de comes e bebes, alguns ao lado do grande amor de suas vidas.

E eu… Uma pedra, óbvio. Em tempo: esqueça o tira da pesada, citado no primeiro parágrafo, clique aqui e fique por dentro das leis de Murphy.

André Marmota acredita em um futuro com blogs atualizados, livros impressos, videolocadoras, amores sinceros, entre outros anacronismos. Quer saber mais?

Leia outros posts em E eu, uma pedra. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (7)

  1. Plantão…sad..sad…passei por isso anos. Natal Ano Novo Carnaval Páscoa..etc..Parei faz um ano e meio só e pq fiquei mto doente.Acho q era viciada mas com certeza este não é o seu caso.Não desanime haverão outras festas!bjos

  2. Então desejo que nesse plantão ocorra um acontecimento inesperado um furo de reportagem um caso único e apenas uma pessoa capaz de cobri-loo suuuuuuper MARMOTA!!!O Escritor VerdeP.S.: Estarei tomando cervejas por vocÊ

  3. Oxe hôme…Tomei um susto quando entrei no teu blog…Lembra o meu…Quer dizer…Lembra o meu marromenu…Oxe!!Visite o meu humilde blog.Bjos

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*