Minha casa no Google Earth

Soa no mínimo ridículo comentar sobre Google Earth quase dois meses após seu lançamento oficial. Mas eu também quero falar: trata-se do melhor brinquedinho que já instalei no meu computador em toda a sua história. É delicioso soberevoar o planeta e se sentir dentro daquela espaçonave criada por Ethan Hawke e River Phoenix no filme Viagem ao Mundo dos Sonhos, ainda que apenas diante do monitor.

O que mais impressiona é a aproximação feita pelas imagens de satélite em pontos variados – inclusive os mais perdidos e inóspitos do globo, como a minha casa! Dá até pra ver a chácara usada para desmanches e outros fins ilícitos! Com mais alguns giros, é possível uma panorânica completa do bairro – incluindo a boa e velha estação de trem, onde o filho chora e a mãe não ouve!


O brinquedinho consegue focalizar com perfeição vários pontos de referência da cidade. Como a estação de metrô mais próxima, em Itaquera – e quem já foi sabe exatamente o que existe ao redor dela: piciroca nenhuma! A linha amarela indica a distância, em linha reta, até a toca do Marmota: 8,5km (e pensar que o ônibus leva 40 minutos).

A discrepância entre a distância em linha reta e a real vai aumentando com o tamanho. Se eu pudesse atravessar a cidade para chegar à Avenida Paulista como na imagem, seriam apenas 25km, e não 40. Mas enfim, o Google Earth continua surpreendente ao sobrevoar o ponto mais alto de São Paulo.


Algumas horas a mais na frente do programa são suficientes para localizar dezenas de pontos conhecidos, não apenas no Brasil. Infelizmente nem todas as grandes cidades do país possuem imagens bem definidas: mal dá pra enxergar o Beira Rio ou a cidade de Belém do Pará (com esforço, dá pra ver o aeroporto Val De Cans). A linha amarela indica 870km em direção ao sul e 2450 ao norte.



É uma pena que as configurações mínimas do Google Earth sejam proibitivas – é preciso um computador parrudo e conexão veloz. Mas quem já baixou se divertiu e já tirou suas conclusões. A minha é simles: felizmente posso dirigir novamente!

(A propósito, breve aqui, o dia que a esfinge ficou com a minha CNH).

André Marmota tem uma incrível habilidade: transforma-se de “homem de todas as vidas” a “uma lembrancinha aí” em poucas semanas. Quer saber mais?

Leia outros posts em Faça fazendo. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (15)

  1. Eu que sou de Belém fico chateado com isso … vc pode ver tambem o estadio do Mangueirão
    e me chateia muito o Layer que diz que Ananindeua e mais populosa que Belém….

  2. Ps… cola essa cordenada la no G.earth para você ver o tmanho do desmatamento no Pará ( o que é triste )

    -3.92688195791, -54.4145589686

    cola isso no FLY TO!

  3. É uma pena que ainda não exista para linux (ou eu ainda não descobri), mas você disse tudo, é um brinquedo muito foda.
    Quando lançou, fiz questão de instalar no meu pc (ainda com windows) e ficávamos, eu e a esposa, viajando por muitos lugares deste planeta.
    Abraços

  4. O Google tem que começar a fazer as coisas pra mac também. :

    Ah-HÁ! Continuo aguardando o post com a história da Esfinge, que vc me contou! ;) Esse vai ser bom!

  5. Agora que eu vi onde fica a sua casa no Google Earth, eu acredito na história que o nick “Marmota” é pq você mora num “buraco”. rsrs
    Beijo, André!

  6. não consigo ver minha casa e nenhum site ensina como fazer…q MERDA!!!mais o programa é muito BOM…

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*