Já tão de olho na bandeirinha dela!

Corinthians campeão; gols de Jorge Wagner, Liédson e Luís Fabiano; bela atuação de Doni; Kaká de fora e chorando… Teve de tudo na final do Campeonato Paulista de 2003. Inclusive ela: Ana Paula de Oliveira, nascida em 1978 (tinha 24 anos), assistente de arbitragem. Apesar de ter participado de alguns jogos da competição, foi no último sábado que ela chamou a atenção, inclusive por sua atuação irretocável.

Tecnicamente falando, ela se saiu muito bem: acertou ao parar o ataque corintiano duas vezes e ao validar o terceiro gol, enquanto muitos são-paulinos pediam impedimento. “Ela mostrou que conhece a regra”, disse Arnaldo César Coelho, na transmissão da TV Globo. E quem disse que mulher não entende de futebol?

Foto de 2003, na final paulista, e em 2001, à paisana. Ambas da AE.Mas não foi apenas a atuação da moça que despertou a atenção da rapaziada. Notícia da Agência Estado, requentada nesta quarta-feira pelo Jornal da Tarde: depois de participar de um chat do portal Futebol Interior, duas revistas masculinas já convidaram a bela geminiana para posar nua. Além disso, Ana Paula também foi convidada pela produção de todos os programas de variedades – haja espaço na agenda, lotada e cada vez mais confusa.

Filha de árbitro e apaixonada por futebol (confessa: não era exatamente o que você queria?), o maior desejo de Ana Paula é trabalhar em um jogo no Maracanã e, quem sabe no futuro, participar de uma Olimpíada. Sobre o interesse das revistas de mulépelada, adverte: “não pretendo aceitar nenhum convite, enquanto não tiver o aval da Federação Paulista de Futebol”.

Pelo que vimos no episódio do regulamento e a dúvida sobre a vantagem na final, os marmanjos podem esperar sentados pela decisão da Federação. Ou não, vai saber…

Abril(Postado em 26/03/2003. De lá pra cá, as coisas mudaram bastante. Já deu tempo de Ana Paula ser reconhecida nacionalmente – inclusive no Maracanã – e fazer parte inclusive dos quadros da Fifa. Mas depois de bandeirar sua segunda final de Paulistão seguida esse ano, errou ao anular um gol legítimo do Botafogo na semifinal da Copa do Brasil, episódio que a levou para a quarta divisão paulista, além de uma decisão do futebol de várzea. Em 2003 ela recusava convites de revistas masculinas, mas dois anos depois já revelou alguns de seus atributos na revista Vip. Finalmente, depois de quatro anos e com ressalvas da Federação Paulista, os marmanjos que esperaram sentados – inclusive o Vampeta – verão a bandeirinha da moça e muito mais na Playboy de julho. O que o tempo não faz com as pessoas…)

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*