Fotos que você nunca vai ver. Nem eu.

Nem mesmo a garoa fina impediu nossa caminhada úmida entre a nova estação Biljmer Arena e o tradicional estádio do Ajax. Era a terceira vez que eu tentava entrar ali (a segunda com Lello Lopes). Finalmente, conseguimos. Portões, arquibancadas, corredores, gramado… Mas minhas férias, que acabaram há exatamente um mês, reservaram uma porção de lugares inéditos em Amsterdã – se bem que os melhores registros foram todos nos lugares de sempre, como nas estátuas da Rembrandtplein.

Nossa última noite foi em um restaurante português, na Zeedijk – calçadão que corre paralelamente à Red Light District. Nas paredes, tradicionais azulejos azuis -dedicados à Fernando Pessoa e aos grandes navegadores – dão as boas vindas ao lado de cachecóis portugueses e uma flâmula da semifinal da Euro 2004, justamente entre Portugal e Holanda. Além de gostosos, o bacalhau à Brás e o bife à portuguesa que pedimos estavam lindamente apresentados.

Copenhague, capital da Dinamarca, é um pouco mais limpa e organizada. Demos sorte a caminho da Pequena Sereia, símbolo nacional: esbarramos em uma “festinha do peixe” em uma praça perto do Christianborg. O sol estava alto o suficiente para refletir calmamente nos laguinhos que cercavam Kastellet, criando um efeito tão interessante quanto o do “cofrinho” de uma espanhola muito louca, que se atreveu a subir na estátua da sereia. Ah, sim, mais fotos de pratos exóticos: desta vez, um especial com quatro tipos de peixe em um dos restaurantes do tradicional Nyhavn.

O mais legal, no entanto, foi nossa presença em um boteco-balada, em frente ao Tivoli Park, para assistir ao enfadonho Suécia 0 x 0 Dinamarca. Registramos praticamente tudo: nossos uniformes veremelhos, os suecos malas, as belas dinamarquesas… Inclusive a que nos disse a frase mais simpática em toda a viagem: “thank you for support us tonight”!

Finalmente, Estocolmo. Imagens que vão permanecer para sempre na memória, desde os estreitos becos de Gamla Stan, os arredores de Telefonplan em obras ou a vista do morro do observatório. As melhores tomadas, no entanto, foram feitas no alto do Katarinahissen – o “Elevador Lacerda” local. Com direito a luz mais bacana de todo o dia: a do poente, bem atrás do simpático bairro de Slussen.

Foi na Suécia o passeio mais perdulário da viagem: o Globo, arena consagrada como a maior construção esférica do mundo. Fomos a pé de Skanstull, atravessando uma longínqua ponte a pé. Não adiantou muito: por razões quaisquer, não era possível entrar. Aquilo era uma cidade-fantasma. Enfim, ao menos era bem bonito.

Ficou com vontade de ver as fotos destes lugares todos? Pois saiba que eu também. Todas estas memórias fotográficas foram parar em um cartão de memória, substituído justamente quando deixávamos o Globo. Tanto o cartão quanto outros pertences de Lello Lopes foram surrupiados em um cybercafé horrendo, na praça Syntagma, em Atenas. Provavelmente algum picareta inutilizou dez dias que não voltam mais para fumar alguma coisa.

Mas enfim. Não temos imagens novas de Amsterdã, nenhuma de Copenhague e algumas poucas de Estocolmo. Aproveite para passear por aqui e conhecer ainda Praga e Paris. Mas vá logo, antes que algum grego idiota estrague nossa brincadeira outra vez.

André Marmota tem uma incrível habilidade: transforma-se de “homem de todas as vidas” a “uma lembrancinha aí” em poucas semanas. Quer saber mais?

Leia outros posts em Especiais do MMM. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (5)

  1. O que aconteceu com as fotos de vcs me lembrou do episódio da cratera de Pinheiros… Se morasse em uma daquelas casas próximas à cratera e pudesse salvar algo, seriam as fotos, sem dúvida. Roupas, móveis, até mesmo os livros e cds, tudo enfim pode ser comprado outra vez, mas as fotos não. Ainda bem que temos a memória, e no seu caso em especial o dom de escrever e descrever de forma clara, divertida e bonita os lugares que estão fotografados nela.
    Como você é um bom menino, sei que muito em breve merecerá visitar outra vez esses lugares queridos e então fará novas fotos.
    Um beijo.

  2. Oi, Marmota..

    Eu morava em Hagerstensasen, uma estacao depois de Telefonplan.. Nunca iamginei que alguem fosse fazer turismo naquele pedaco… hehehe.
    Mas Estocolmo, eh, pra mim, a cidade mais bonita que ja conheci!!!!

    Bjs!!!

  3. Depois é no Brasil q tem disso…aqui pode ter violência, mas lá adoram furtar.

    =/

    Após 2 dias em Praga, diversas fotos, levaram minha câmera com memorycard junto…e o pior, de dentro do meu bolso!!!!
    Não sei como, não me pergunte, mas eu tava caminhando quando isso aconteceu, os pickpockets são bons lá!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*