Como distribuir a caixinha de Natal

Alguns amigos questionaram as instruções sugeridas para montagem de um carrinho de controle remoto. Devem ter imaginado um sujeito rabugento, espécie de “Grinch”, que odeia final de ano e torce para as crianças sofrerem.

Não é bem assim. Eu adoro essa época, e desejo boas festas com sinceridade. Mas sejamos francos: ainda que não seja de bom tom, há quem não mereça tanta consideração. E você sabe o que acontece com as crianças malcriadas, que não fazem absolutamente nada de bom durante o ano mas escrevem para o Papai Noel pedindo carrinho de controle remoto? Elas crescem e, ainda sem colaborar em piciroca nenhuma com a coletividade, aproveitam os festejos natalinos para pedir a famigerada “caixinha de Natal”.

É lógico que muitos prestadores de serviço, que dificilmente encontram reconhecimento pelo árduo trabalho em seus contracheques, merecem receber uma gratificação extra – é o caso do carteiro da minha rua, que com certeza resolverá muitos problemas com nossas gorjetas. Agora, não faltam cururus que, sem qualquer justificativa, batem na sua porta para mendingar, afinal de contas “se você não for solidário no Natal é um desumano maldito”. Francamente.

Para essa turma, vale mais um serviço de utilidade pública: é extremamente fácil distribuir a caixinha de Natal para quem merece. Você vai precisar de:

– Uma folha de cartolina ou papel cartão;
– Uma folha de papel presente (preferencialmente com motivos natalinos);
– Uma régua;
– Uma caneta;
– Uma tesoura;
– Fita durex, fita crepe ou fita isolante.

Munido de régua e caneta, marque na cartolina a sequência de quadrados e retângulos, formando um T, conforme modelo abaixo. Os quadrados devem ter proporção 3 x 3; os retângulos, 2 x 3 (é possível “riscar” tamanhos diferentes usando o mesmo molde).

Com a tesoura, corte o desenho pelas beiradas. Em seguida, dobre o pedaço de cartolina cortada em cada uma das arestas, riscadas previamente por você. Embrulhe a caixinha com um pedaço de papel presente, sem esquecer de prendê-lo com a fita. Pronto, você já tem em mãos uma linda caixinha de Natal! Fácil, não?

Com uma única folha de cartolina e papel presente, é possível montar várias caixinhas para distribuir à vontade. Sugestão: no interior da caixinha, escreva uma mensagem edificante. Algo como: “Essa não! Você rasgou o papel para abrir e estragou sua caixinha de Natal!!! E agora???”.

André Marmota acredita em um futuro com blogs atualizados, livros impressos, videolocadoras, amores sinceros, entre outros anacronismos. Quer saber mais?

Leia outros posts em Faça fazendo. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (6)

  1. Realmente essa história da caixinha de Natal é uma daquelas pragas que urgem ser erradicadas de nosso país. Sou assinante de uma revista há 17 anos e só me lembro de ver essa história de pedirem caixinha em tempos mais recentes, coisa de metade da década de 1990 para frente.
    Também acho que isso ajuda sobremaneira a mascarar “nosso belo quadro social” (Raul Seixas). É também um pouco de nossa ausência quase completa de indignação, que também nos faz dar caixinha para um cara que fica plantado ganhando dinheiro fácil e ameaçando furar os pneus ou riscar a pintura caso não o remuneremos. E essa falta de senso de coletividade também ataca os próprios parasitas que nos pedem a caixinha, pois preferem que o companheiro de profissão se ferre a se juntarem e ganharem força para requerir um aumento de salário.

    A lógica da gorjeta é a de ser uma remuneração que se dá a alguém pelo fato de ter desempenhado seu serviço extraordinariamente, ou seja, algo mais que o que simplesmente ganha. Ao vulgarizarmos isso, estamos simplesmente criando o exército de parasitas que todo fim de ano querem nossa grana.

    Realmente seria uma boa que todo aqui fizessem a caixinha que o Marmota propõe. Seria uma boa para muitos se ligarem e pararem esse hábito. E como o próprio escriba deste blog disse, fica parecendo que é crime no Brasil ganhar qualquer soma de dinheiro acima do salário mínimo Mesmo que você esteja lá, se matando para sustentar seu parco patrimônio, vem gente dizendo que você deve se desfazer dele sob pena de, por essa causa, passar a ser visto como insensível às pobres “vítimas da sociedade”.

  2. Quando você se aposentar, vai ficar em casa, de pijama, fazendo carrinho de controle remoto, caixinha de Natal.. pode até fazer um bazar na garagem pra vender as tralhinhas que vai fazer, hein, hein? Dinheeeeeeeeeeeeiro! :P

  3. Essa semana um porteiro de um condomínio que me mudei há um ano e alguns meses atrás veio pedir pra que eu colaborasse com a caixinha de natal de lá.

    Gosto de todo mundo lá. Mas isso é um outro assunto…

  4. Nossa, desse aí eu adorei. Concordo com vc, tem criança que merece ser zuada no natal.
    Vou dar essa caixinha pra todo mundo, e junto (um brinde super!) vou dar o carrinho de controle pra ser presente do filho do cara que me pedir a caixinha!
    Fre

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*