As estrelas do Papai Noel

Não, meus amigos. O sujeito à direita não é o assistente do Papai Noel. Mas sim um rapaz bem intencionado que, normalmente, precisa dizer “e eu, uma pedra” antes de seus planos se concretizarem.

Foi assim num de seus últimos dias de folga de 2003. Ao invés de viajar, foi parar na rua Santa Ifigênia, tradicional ponto de lojas eletro-eletrônicas no coração de São Paulo. Numa dessas, ficou encantado com os enfeites natalinos e resolveu levar alguns para casa.

“Onde está o seu carro?”, perguntou o vendedor, ao me entregar os trambolhos. “Carro? Não, não… Vim de metrô mesmo. Será que terei algum problema?”. A expressão do vendedor servia como resposta: era uma sexta-feira, perto das cinco da tarde.

Para quem não conhece, tente andar no metrô paulistano em direção a zona leste nesse horário. Aos conhecedores do desafio, experimente fazer o mesmo levando estes discretos enfeites no braço.

Se você é daqueles que vivem procurando uma forma de aparecer e se destacar na multidão, garanto este método infalível: saia por aí carregando essas coisas e se transforme no centro das atenções!

Entre um e outro transeunte curioso – porém discretos, daqueles que viravam a cabeça em minha direção mas logo seguiam em frente -, apareceu uma simpática menininha, perdida momentaneamente. Ficou alguns segundos parada em minha frente e, com a autoridade de seus cinco ou seis anos, indagou:

– Moço, quanto custa?

Não pude disfarçar o sorriso, mesmo enquanto dizia que não estava a venda, mas explicava pacientemente que “as estrelas e o Papai Noel ficariam acesos durante todas as noites”, finalizando com um “não é legal?”. Ela balançou a cabeça afirmativamente, devolveu o sorriso e seguiu saltitante em direção aos pais.

Mesmo sem energia elétrica, e ainda que para uma única pessoa, acho que consegui o meu objetivo! Fica também a lição: não é preciso juntar todas as luzes e acendê-las na garagem de casa para contemplarmos o Natal como uma criança. Na verdade, a luz está dentro de nós.

(Postado em 22/12/2003)

Comentários em blogs: ainda existem? (5)

  1. um autêntico MMM. “a luz está dentro de nós” é uma frase bem você. beijo. e um feliz natal desde já, sim? ;)

  2. Ahhhhhhh, eu adoro luzes da Natal! Eu adoro textos que falem bem do Natal! Eu adoro história de Natal com criança!

    (Mas custava o vendedor te dar uma sacola?)

  3. Mas vc levou tudo isso na mão? Sem uma sacola pra facilitar o serviço?

    Ri ao imaginar vc no metrô lotado, e ao imaginar a menininha saltitando com sua resposta!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*