Um cupido perdido em São Paulo

A Pat e o Tuca podem ser considerados pioneiros em “relacionamentos na web 2.0”. Enquanto pessoas offline se conhecem em festas e similares, os dois se conheceram na caixa de comentários de um blog.

Pat, Ghedin e Tuca

E quem era o “cupido”? Um paranaense de 20 anos, estudante de direito mas apaixonado por tecnologia: Rodrigo Ghedin. E logo na primeira viagem de avião do rapaz, surgiu a oportunidade de conhecer seus afilhados! Além do casal, o Alexandre Fugita e eu contribuímos para que ele passasse a sua única madrugada em São Paulo sem dormir. Que beleza!

Fugita, Marmota e Ghedin

Mas estas não foram suas únicas descobertas na capital paulista. Além dos efeitos normais da chuva na cidade, como os atrasos em Congonhas e o trânsito na Avenida dos Bandeirantes, o Ghedin também soube o quanto meu senso de orientação é falho. Consegui levar mais de uma hora entre a Paulista e a rua Funchal, praticamente perdido. Enfim, ao menos ele teve a oportunidade de conhecer o “fura-fila” da Avenida do Estado e o Museu do Ipiranga. Duas vezes!

Três da manhã? Isso é hora de tomar café?

Ah, sim, é sempre bom repetir. Não há monetização capaz de superar o verdadeiro prazer de manter um blog: as pessoas.

Atualizado: Para saber mais, não deixe de clicar aqui e aqui.

Comentários em blogs: ainda existem? (8)

  1. Vcs foram no Achapa? Se sim, pelas fotos, parece ser a mesma mesa onde eu costumo sentar com os meus amigos. Se não, meu senso é pior ainda do que o seu! O.o Hehehehe!

  2. Advinha quantas horas eu fiquei acordado até capotar? 36h! Acho que é meu recorde particular, hahaha!

    A viagem foi espetacular, e pretendo repetí-la num futuro próximo. Foi ótimo conhecer pessoalmente pessoas que eu admiro muito, como os integrantes da última foto do post (tirando eu, claro :P).

    Melhor que isso, só dois disso!

    []’s!

  3. Pioneiros nos relacionamentos na web 2.0? Eu e o Tuca? Ah, fala sério, isso é piada, né? rs

    Muito legal o encontro de ontem, André. E eu e o Tuca TÍNHAMOS que conhecer o Ghedin. rs :-)

    Ah, Trotta, não estávamos no Achapa, não (aliás, queria conhecer este lugar, já me falaram dele várias vezes), e sim num Fran’s Café na Paulista. E com um frio lancinaaaante à nossa espera, na saída. :P

  4. O mais interessante de tudo isso foi constatar que o Ghedin existe mesmo. Não é uma entidade virtual criada através de algoritmos autosuficientes, oriundos dos blogs que ele administra.

    Enfim, ótimo papo com todos vcs. Tomara que haja repeteco, num horário e temperatura mais simpáticos. Em qualquer lugar, menos no Second Life… :P

  5. Putz, Marmota, vcs se perderam? Era pra esquerda e não para a direita! hehehe! Pelo menos o Ghedin conheceu o Ipiranga, local histórico, hehehe!

    Abraços e foi muito divertido ontem falar com todos vcs!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*