Torcendo contra o “Nerso”

Olhem bem para o cidadão ao lado. Sem essa touquinha de borracha e, de repente, com uma camisa xadrez, o cidadão poderia ser confundido com o “Nerso da Capetinga”, personagem que marcou a carreira do comediante Pedro Bismark.

“Nerso” é a maneira carinhosa que encontrei para chamar Michael Phelps, inegável fenômeno da natação norte-americana. Seu biotipo desengonçado transforma-se dentro da piscina, a ponto de alcançar o recorde mundial em cinco provas.

De uns tempos pra cá, Nerso criou uma idéia fixa: conquistar oito medalhas de ouro em Atenas. A origem desse devaneio? O desejo em ultrapassar o feito do seu compatriota Mark Spitz, que faturou sete douradinhas nos Jogos de Munique, em 1972.

Nos primeiros dias de Atenas 2004, não se falou em outra coisa. A obsessão de Nerso, que seria recompensada com uma pequena fortuna pelo patrocinador, foi amplificada pela mídia de maneira intensa.

A ponto de me dar raiva e passar a torcer contra.

Quando Nerso levou o primeiro ouro e saiu da piscina com aquela indefectível cara de Nerso, passei a agourá-lo ainda mais. E assim que a África do Sul conquistou o revezamento 4 x 100m – com direito a recorde mundial! – percebi que os maus fluidos eram de origem mundial. Nerso fez de tudo para participar da prova. No fim, venceu o inesperado.

Com mais uma medalha de ouro para Ian, O Torpedo, lá se vai o sonho de Nerso por água abaixo – literalmente. Fica para Pequim – quando será a vez de Joanna Maranhão e Thiago Pereira brilharem de verdade.

Em tempo: bem feito, Nerso.

Eh, Brasil! – Tudo bem, ganhamos a nossa primeira medalha olímpica. Mas confesse: mesmo sendo algo esperado, vai dizer que você não sentiu vontade de gritar “Eh, Brasil” quando viu o Guga perder na primeira rodada?

Anote aí – Já foram disputadas medalhas nas categorias ligeiro, meio-leve e leve, do nosso medalhista Leandro Guilheiro. Nesta quarta, teremos o meio-médio. Restam as categorias médio, meio-pesado e pesado, tanto no masculino quanto no feminino. Podem anotar: teremos mais três medalhas até o fim da semana.

Comentários em blogs: ainda existem? (12)

  1. A Ishii já decepcionou, ao ser derrotada na primeira luta com um ippon magnífico da adversária. Na quinta é a vez de a Edinanci amarelar. Eh, Brasil!

  2. Marmota,

    Também tenho esperanças de mais medalhas no judô. A admito que também torci contra o Nerso. Associei a fome de medalhas do rapaz ao imperialismo americano. *sorriso*

    Abração, Juceline

  3. O pior de tudo é que eles, pelo menos, podem almejar isso.
    Já uma certa “superpotência esportiva” do cone sul…

  4. Marmota,

    Mais que surpresa agradável ver você ainda na ativa!!!
    Um verdadeiro sobrevivente de blogs e sempre com textos divinos!!!

    Que bom que continuou!

    Beijos da amiga curitibana,

    Vanessa!
    (Malvada)

  5. Ok, Pai Marmota, torcendo para que suas previsões dêem certo! :o) Vou ficar antenada a partir dessa quarta-feira, até agora não vi nada de TV, qto. mais de olimpíadas. :-(
    Bjocas…

  6. Esse papo de 2008 é que não me convence. Lembra da comoção que rolou por parte das autoridades brasileiras com o fiasco em Sidney? Ia rolar um monte de coisa para melhorar agora em Atenas. Cadê?

  7. Olha eu aqui!!! Dando um oi, sabe de onde? De Santa Catarina! É… Tô na filial daqui esta semana…Não tenho mais blog, mas vê se não me esquece, viu???

  8. Com os acontecimentos destes dois últimos dias, dá pra fazer um post inteiro só de “Eh, Brasil”…

    Um abraço!

  9. Eu já sabia! Falei que a Edinanci ia amarelar e não deu outra. O nosso Nerso, o Thiago Pereira, também decepcionou e foi quinto. Eh, Brasil!

    André, não teríamos posts diários?

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*