Somos imprestáveis

Antes de dissecarmos o fim de semana em Curitiba (com direito a um resumão ilustrado, não deixe de perder), saiba que abriram a brecha para pregarem o fim do gênero homem: notícia publicada (e comentada) pelo editor do UOL Tablóide apresenta ao mundo a ratinha Kaguya. Duas mães e nenhum pai.

A pergunta é inevitável: depois dessa, para que servimos? Estamos caminhando para o fim do romantismo, dos relacionamentos dedicados e duradouros, das intermináveis discussões? Tudo pela praticidade em conseguir tudo (absolutamente tudo) sem ajuda de ninguém?

“Para que servimos nós, homens, afinal? Trocar a lâmpada queimada? Matar baratas (voadoras, de preferência)? Entender mapa? Explicar o caminho da casa para o trabalho e vice-versa?… A dúvida fica. E com ela, outra dúvida: será que certos homens, como o editor do UOL Tablóide, não servem nem pra descobrir pra que os homens servem?”, complementa nosso incrível fornecedor de dúvidas existenciais.

E você, o que me diz?

Comentários em blogs: ainda existem? (8)

  1. Ei amigo!! Não se preocupe!! Por mais que a Ciência avance, nunca vai conseguir produzir em laboratório a substância química (e mágica) que envolve um homem e uma mulher quando estão apaixonados! E AINDA BEM!! hahaha beijão!!

  2. Solução de marketing: descubra os determinantes de compra do seu público-alvo (características do produto que procuram, ponto de venda, formas de pagamento, etc). Analise a empresa e o mercado concorrente. Efetue as mudanças necessárias e comunique-as. Conquistado o cliente, parta para o marketing de fidelização. Nunca abra mão das pesquisas de satisfação. Monitore, monitore, monitore. Não tem outro jeito quando o setor se torna muito competitivo.

  3. André, Estamos precisando conversar mais, tenho umas coisas pra te contar, me escreve, certo? Beijos, Cuca

  4. Quem é obrigado a erguer os pés quando ela está fazendo faxina? Quem se veste como pingüim no dia do matrimônio? Quem é que, apesar do cansaço e do stress, jamais poderá fingir um orgasmo? Quem é obrigado a sustentar a amante esbanjadora? Quem se expõe ao stress por chegar em casa e não encontrar a comida quentinha, as crianças com o banho tomado, a roupa lavada, a cozinha limpa e o drink já posto sobre a mesa?
    Quem corre o risco de ser assaltado e morto na saída da boate, cada vez que participa dessas reuniões noturnas com os amigos, enquanto a mulher está bem segura em casa na sua caminha? Quem é o encarregado de matar as baratas da casa? Quem apanha quando chega em casa com marca de batom na camisa e é obrigado a dar explicações que nunca são aceitas? Quem é que tem de gastar consideráveis somas em dinheiro comprando presentes para o dia das mães, da esposa, da secretária e outras festas inventadas pelo homem para satisfazer à mulher? Quem tem que passar por uma TPM calado todo mês?
    R: O homem! – Tá vendo: É para isso que servimos…

  5. Oi Amdré….
    Que bom que gostou daqui e espero ter podido contribuir pelo menos um pouquinho com nosso magnífico passeio de domingo!!!!!(depois quero ver a foto da placa do jacaré!)
    Quanto ao fato de para que existem os homens, acho que todos aqueles motivos que vc elencou são muito justos, porém, acho que eles existem também para suplementar uma mulher em uma relação de amor…entende, né…suplemento, não complemento…
    Mas é a evolução da ciência…se duas pessoas do mesmo sexo querem ter neném…vai entender!!!rs
    beijinhos e me escreva…apareça…
    Dani

  6. Sugiro uma solução simples, prática e bastante civilizada: matem esses cientistas desgraçados que ficam botando minhocas nas cabeças das meninas. :)

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*