Seguranças no escadão

Ganhei dois presentes da Déa, que passou por São Paulo neste mês e aproveitou para dar um alô aos amigos:

A foto acima e a que vem a seguir foram registradas no lendário escadão da Gazeta, verdadeiro ponto de referência dos paulistanos. Além de passatempo preferido para qualquer idade: sentar em um de seus degraus e ver a vida (e uma variedade incrível de povo) passar diante dos seus olhos, ainda que por alguns minutos, é muito bom.

O escadão, que tem até comunidade no orkut, já pertence ao mundo. Mas de vez em quando os responsáveis pelo cursinho objetivo, que ocupa três andares do prédio, lembra que aquele pedaço está alugado por eles.

Quando isso acontece, ainda mais em início de ano letivo, os cururus contratam seguranças para impedir qualquer transeunte de sentar no escadão.

Foi assim nesta quarta-feira – achei estranho, aquela escada vazia não é normal. Não demorou para que um coitado, vestido de segurança, viesse me abordar. “Você é o quê? Ah, não interessa. Não pode sentar aqui durante o horário de aula”.

Então caí na besteira de dialogar com o pau-mandado. Disse a ele que essa imposição é ridícula, e que não havia razão de existir. “Como assim não tem razão? Se você senta aqui, os alunos também vão querer. E eles precisam ficar na aula”. Ora, como se o escadão da Gazeta fosse o único lugar para alguém permanecer quando não estão estudando…

Minha segunda besteira foi ter dito que o escadão era “da Gazeta”, ou melhor, era de ninguém. “Não é, o objetivo é o locatário. É como se alguém viesse sentar em uma escada que fosse sua, você também não ia gostar”, disse outro baiaba – nessa altura, já estava cercado por incompetentes.

Fico tranquilo ao saber que não é a primeira vez que os patetas acreditam que esse tipo de atitude vai funcionar. Em anos anteriores, bastou um desses trogloditas adestrados proibir alguém “acima da cadeia alimentar” e, em poucos dias, a proibição virou fumaça. Desde já, liberdade ao escadão!

(Em tempo: a Déa tem mais fotos das suas férias aqui)

Comentários em blogs: ainda existem? (6)

  1. Graças a esse post, refleti que nunca me sentei nesse escadão e refleti sobre a vida. Já passei algumas vezes em frente, mas na ocasião, eu nem estava cansado. Acabo de colocar como mais uma das metas em minha vida ! E me junto ao coro : Liberdade ao Escadão !

  2. É melhor deixar o pessoal do Objetivo fazer o que quiser. O aluguel desses andares é uma das poucas fontes de renda que a Fundação ainda não conseguiu perder.

  3. Aêeee! Sua fotinha ficou otima! o próprio contemplador da vida! heheheh E ainda bem que eu fui no período de férias…Assim pude sentar tranquilamente! ;)

    Beijinhoosss

  4. Caraca, que é isso? Ditadura? Porque não colocam uniformes da SS nazista na segurança nortista?
    Ridículo…
    Suspiro só de pensar nesse maravilhoso pedaço da Paulista, bem próximo à disneylândia dos adultos, digo, Stand Center hehehehehe
    Abração

  5. Cara, esse tipo de gente que decide proibir sentar no Escadão pertence à espécie que levou o país à merda: são os donos dos pequenos poderes. Eles (e aí incluo síndicos, guardas de trânsito, motoristas de ônibus e afins) são entorpecidos pelo ‘poder’ que possuem e não enxergar as decisões idiotas e burocráticas que tomam. Tenho certeza que o país só vai começar a melhorar quando acabar de vez com esse tipo de pensamento.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*