Se não é internauta, então o que é?

Era pra eu escrever algumas linhas sobre esse texto aqui, mas acabei fazendo coisa melhor nesse domingo à noite.

Façam assim: leiam e digam o que acham. Depois atualizo aqui.

Atualizado: Agora sim, segue o texto que eu tinha pensado.

O Caio Cesar levantou no Webinsider um assunto que, por mais incrível que possa parecer, não é de hoje. Uma discussão que já ouço há pelo menos cinco anos, especialmente no meio acadêmico. Trata basicamente da relação entre a grande rede mundial de computadores e o homem, que descobre a cada dia os prazeres e as vantagens de estar conectado à ela.

Enfim, como você denomina esse cidadão online? Internauta? (A propósito, é online, on line ou on-line?)

Voltando. Resumidamente: o Caio Cesar defende o fim do uso abominável da palavra internauta. Vamos a sua origem. O sufixo “nauta”, tem origem do grego, “naútés”, se refere a marinheiro, marujo, e que virou “nauta” em latim. Na língua portuguesa, é comum em termos como aeronauta, astronauta, cosmonauta, argonauta… Provavelmente, baseado na tradução feita do inglês “browser” (que na verdade quer dizer “explorador”), alguém associou navegador com marujo e criou o mote da celeuma – associação que convenhamos, não era tão estranho nos primórdios da web no Brasil, em 1995.

Os neologismos “cibernauta”, existente em Portugal, e “internauta”, que está no nosso Aurélio (usuário da Internet, rede mundial de computadores ou usuário intensivo de rede Internet, que ocupa grande parte de seu tempo explorando os recursos por ela oferecidos) já encerraria a questão a favor da palavra (e quem não vê razão pra perder tempo nessa discussão pode parar aqui).

Mas apesar de discordar, o argumento do Caio Cesar faz sentido, e tem muita gente que o defende. A web, literalmente, não é um rio, nem um oceano. O browser procura, vasculha, explora. Por essa razão, “internauta” é uma palavra fraca, que não transmite uma visão profissional e soa pejorativa. Não traz em sua essência o verdadeiro significado de “usar Internet”. Para ele, não precisamos de “metáforas deslumbradas como esta para nos referirmos aos usuários da rede”. Usuário é, segundo a maioria dos “anti-internauta”, a palavra mais adequada.

Para quem trabalha diretamente com texto, o problema na verdade é outro. Quantos sinônimos você conhece para internauta além de usuário? Por uma questão de estilo, não convém repetir palavras no texto. Daí temos visitante, “surfista”, “navegante”… Leitor, consumidor… Tudo depende do contexto e do público-alvo. Talvez tenha sido essa a discussão mais profunda na lista de discussão Jornalistas de Web. Outros realmente não vêem nenhum sentido em discutir o assunto.

Antes de ler os primeiros comentáros registrados aqui, pensei num exemplo (entre muitos) de uma palavra que não transmitia seu exato significado nos primórdios, mas no fim, se estabeleceu no idioma. Lembrei do tripaliu, que era um instrumento de tortura formado por três estacas. Quem era torturado no tripaliu ia, segundo o latim vulgar, “tripaliare”. Que virou “sofrer, padecer, sacrificar-se, martirizar-se…”. Que virou “trabalhar”, aquilo que em tese “enobrece o homem”.

Três conclusões, portanto. A primeira: Seu Madruga é que está com a razão. O trabalho não é ruim. Ruim é ter que trabalhar. A segunda: a melhor coisa a fazer é deixar a nossa língua cada vez mais viva seguir seu caminho sozinha.

E a terceira: como eu não consigo ser só consumidor, só leitor ou só blogueiro, não vejo mal nenhum em ser chamado de internauta.

(Postado em 28/05/2006)

Comentários em blogs: ainda existem? (11)

  1. O que achei? Uma porcaria!
    O cara gastou tanta saliva para meter o pau no termo “internauta” e propôs uma solução viciada, típica de técnicos de informática: “usuário”!
    Por acaso, quem ouve rádio é “usuário de rádio”? Claro que não! É “ouvinte”. Assim como quem vê televisão é “telespectador”, quem lê jornal é “leitor”… e, seguindo o próprio raciocínio dele, quem anda de ônibus é “passageiro”.
    “Usuário” é um termo muleta! Uma solução fácil quando você quer tucanar alguma expressão que parece pejorativa. Por isso que chamam o “drogado”, por exemplo, de “usuário de entorpecentes”.
    Você só vai usar “usuário” se quiser ser formal demais e estiver no ambiente acadêmico, falando com a de suporte técnico da sua empresa ou, no máximo, numa reunião de executivos para tentar impressionar seu chefe. (Correndo o risco de ser visto como puxa-saco). Que fique bem claro: “usuário” é papagaiada.
    Além do mais, será que “internauta” é tão ruim assim? Será que vale a pena mobilizar a comunidade para designar uma nova denominação para o sujeito que navega na internet? E alguém pode me dizer por que esse caboclo esperou 10 anos para perceber que a palavra “internauta” tinha a marca do capeta?
    Enfim, se alguém aí acha que “internauta” é palavrão, tudo bem. Mas que proponha uma solução nova. Prefiro até que seja um outro neologismo. Só não me venha com “usuário”. Definitivamente, “usuário” é pra jacu.

  2. mais uma vez recaímos na histeria dos exageradamante puristas com nossa língua. Tudo bem que não é pra ficar falando “all right”, “ok” e ” yes” a cada duas palavras,mas chamar outdoor de cartazão, por exemplo, aí também não dá… ;-)
    Beijos,

    Carol

  3. Eu não gosto de “internauta”. Mas também não gosto de “usuário”, assim como odeio “micreiro” (principalmente por ser taxado assim pelos designers devido ao meu background de programador quando me metia a falar de design, fontes, usabilidade, e coisas do tipo). São palavras que reduzem, dizem pouco, ou dizem errado (do meu ponto de vista). Mas todas as palavras são assim mesmo… com o tempo, ninguém mais lembra o que elas significam. Poderia ser qualquer coisa. Poderia ser aracnídeo – aquele bicho que viaja pelas teias.

  4. Pode dar sugestões? Que tal timoneiro (o cara que direciona a navegação), ou talvez pudesse-se adaptar a música do Oswaldo Montenegro (que se encanta mais com a REDE que com o mar) pra chegar num acordo, quem sabe? Sei lá, esse tipo de discussão saí do nada e chega em lugar nenhum, não sei se vale a pena tanto suor…

  5. Rá! Eu sabia que a palavra que originou trabalho significava tortura!! Pus isso em algum post! Palmas! o/

    Passado momento besteira, eu acho muito legal e poético o termo internauta, não vejo nada de pejorativo.
    Usuário pra mim é horrível!! Me lembra usuário de drogas e coisas afins…

  6. A primeira parte, não sei porque, me toca. “Internauta” me soa falso, como… bem, a lista de neologismos que abomino não me ocorre. O problema é que usuário é uma palavra vaga. Não funciona como termo específico para usuário da internet. É, o termo funciona, mas não tem a prontidão de uma palavra única.

    Enfim, acho que existe uma palavra melhor. A gente só não achou até agora.

  7. Acabei de ler o tal texto e realmente o cara não se deu conta do poder que tem uma boa justaposição.
    A web não é um rio, uma vez que não há margens de um lado ou do outro (leia-se troncos de servidores), assim como não é um oceano, uma vez que não há continentes limitando. Podemos considerar então como um universo e cada IP, como uma estrela. E quem viaja para as estrelas é o que se não astronauta, cosmonauta ou taikonauta? Portanto, a lógica serve sim para “internauta”, ainda mais pensando que há 10 anos nossos olhos brilhavam de ver as primeiras páginas de internet naquelas conexões discadas lentas pacas.

    E, claro, nos tempos do Netscape, ver aquela chuva de meteoros por trás do N e as sombras passando dava uma sensação de que naquele momento orbitávamos pelo globo, como faria um Yuri Gagarin da vida. Ele era cosmonauta e nós, seríamos o quê? Internautas, óbvio.

  8. Insternauta é uma gira ridicola aceitada pelo dicionario portugues por fazer algum sentido,da qual é extremamente vulgar e ridicula e soa muito televisiva e radialista ou jornalista,internauta é uma forma adquirida do termo Astronauta como uma gira para soa parecido com quem navega nos astros(astronautas),entao passou a se chamar Internautas para fazer referencia a imensidão da internet e compara o internetista como um explorador da imencidao da rede web.
    Por fim internauta é um termo vulgar aceitado pelo dicionario portugués mais a palavra para um usuario da internet é Internetista!

    RESOLVIDO!!!

    Internauta(errado) Internetista(correto) apesar de poco usado e conhecido dessa forma

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*