Saia com ele de uma vez, vai…

Quando reencontrei o Doni esses dias, a pauta principal girou em torno de Alcebíades, seu amigo carioca metido a cafajeste, e seus métodos discutíveis, porém eficientes, de abordagem ao sexo oposto. Tentamos concluir o que leva Alcebíades e seus genéricos a ter um perfil bem destacado no site Não Saia Com Ele, espécie de “Orkut dos Cafas”, já que muitas mulheres preferem exatamente esse perfil. Mesmo quando elas detestam esse tipo, são eles que acabam caindo em suas vidas sempre.

Pode ser puro azar, mas sinto na pele que Alcebíades tem razão. Obviamente cometi algumas faltas nas oportunidades que tive. Quer dizer, algumas, não. Foram muitas. Mas sempre fiz o que pude para mostrar gentileza, paciência, presteza e afins… Só que a imagem do cara bacana, que entende, que respeita, enfim, essa postura não se sustenta por muito tempo sem a sombra do cafajeste. Dizem que procuram um sujeito romântico, mas inevitavelmente acabam agindo ao contrário. Então o “você é uma pessoa incrível” dos primeiros dias dá lugar ao “o problema não é você, sou eu” dos últimos, pra não magoar muito.

Não são raros os dias em que o Baixo Astral, personificado na figura de Guilherme Karam naquele filme da Xuxa, aparece do meu lado e diz que eu jamais vou ser feliz ao lado de alguém. Das duas, uma: seja por não ter o “lado safado” desenvolvido e desmotivar as moças que estejam por perto, seja por esperar por alguém que está distante demais da realidade, a ponto de tornar qualquer possibilidade num conto de fadas. Infelizmente, dentro do limitado universo de mulheres da minha vida, Baixo Astral tem razão.

Eu tenho uma teoria, e já falei dela outro dia. Durante muito tempo, as mulheres foram perseguidas com a cultura machista do “quando um homem fica com várias, é o cara; quando uma mulher fica com vários, é galinha”. Mais do que isso: as mulheres cansaram de ser maltratadas, de sofrer com gente que não presta.

Realmente, os estereótipos do garanhão e da submissa permanecem muito fortes. Mas ao invés de valorizar os poucos bons moços que restaram, elas decidiram virar o jogo em busca de direitos iguais. Agora é a vez delas se divertirem, e para isso um boboca não serve: que venha o cafa, pois ele sabe como fazer. E onde entra o boboca? Ah, ele é aquele cara legal, que serve para ouvir, dar atenção…

A tendência, evidentemente, é cansar dessa vida. Quando isso acontecer, é hora de se encostar naquele que der “mais segurança”. Pode ser qualquer um, até o boboca. Mas quase ninguém lembra deles. “Tem muita gente querendo o telefone do Alcebíades”, diz o Doni, um pouco indignado.

Depois eu, ele e alguns poucos é que somos loucos, estamos perdendo nosso tempo com nossas convicções ao invés de cairmos na gandaia da vala comum. Mas se você, sua ingrata, quer mesmo saber, eu até me chateio de vez em quando, mas no fundo eu não me importo. Vai logo atrás do Alcebíades e de todos os outros caras bacanas dessa lista e sai contando vantagem para suas amigas, sem esquecer de lembrá-las o quanto fui “bonzinho demais”. Não preciso de você ou de qualquer uma das suas amigas fúteis para ser feliz.

André Marmota dialoga muito com o passado, cria futuros inverossímeis e, atrapalhado, deixa passar algumas sutilezas do presente. Quer saber mais?

Leia outros posts em E eu, uma pedra. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (8)

  1. Parabéns, reflete exatamente o que eu penso sobre a situação que hoje assola nossa vidinha…

    Nesta frase você acertou em cheio “Agora é a vez delas se divertirem, e para isso um boboca não serve: que venha o cafa, pois ele sabe como fazer. E onde entra o boboca? Ah, ele é aquele cara legal, que serve para ouvir, dar atenção…”…

    Mais uma vez, parabéns!

  2. É uma situação delicada, e injusta. Isso é fato, todos concordam. Entretanto, tem um velho ditado que diz que toda panela tem sua tampa. E, bom, é verdadeiro também.

    Estou longe de ser um Alcebíades, minha experiência com o sexo oposto é ínfima, mas ainda assim tive bons momentos com as mulheres. Hoje estou namorando, e ela é exatamente do jeito que eu sempre sonhei (desculpe, não foi minha intenção ser piegas).

    Acho que, quando se está bem, tudo vem como conseqüência, e neste campo, não é diferente. Claro, quando a oportunidade surge, é preciso aproveitá-la, fazer um esforço, ser cara-de-pau, enfim, investir pesado. Afinal, querer e buscar a mulher ideal é aceitável, mais até, é absolutamente normal; agora querer que ela tome a iniciativa, aí a coisa já fica utópica.

    []’s!

  3. Seu texto é forte meu amigo… Faz pensar. Mas não sei, o Alcebíades é bom de “tiro curto”, não o que vcs podem estar pensando, mas ele só tem sucesso naquelas cantadas em que não precisa conversar mto, nas quais não precisa mostrar quem realmente é. Na verdade acho que o meu amigo não sabe o que é conquistar de verdade, entende? Acho que tem medo e insegurança para lançar uma “campanha” real sobre uma moça boa o bastante para valer a pena (pq essas assustam os cafas, eles podem se apaixonar por ela). Ainda prefiro ser Doni a ser como o Alcebíades, mesmo que doa as vezes.

  4. Nossa, Marmota, que final amargo! É um recado para alguém ou um comentário genérico? Lamento se você teve más experiências com algumas mulheres. Realmente existem aquelas que gostam de sofrer nas mãos de um cafa mas creio que são a minoria. Acredito que a maioria das mulheres gostaria, sim, de conhecer um homem bacana, sensível, que as respeite. Difícil é saber onde encontrá-los.

  5. concordo com a Viva, André, se a garota gosta dos cafas e não de caras como você, já é motivo suficiente para manter a devida distância da fulana. Você sabe mais do que eu das suas qualidades e que a longo prazo, assim como eu me coloco, consegue-se, sim. E as pessoas não são tão simples assim de serem definidas, e você muito menos. Mas certas coisas precisam ser ditas, e as vontades não devem ser praticadas. Aí está um problema, não sei se O problema.

    Isso merece um boteco connection.

    beijos.

  6. Oi Dézão
    Se sua tese se confirma, eu devo ser transgênica, pois minha praia sempre foram os fofos românticos com potencial para viver um grande amor.
    Adoro um romance. Pra ser sincera, sou simplesmentes viciada em romance, não vivo sem.
    Beijão da Fê

  7. so queria dizer algumas palavras sobre o lixo do orkut.Isso é pra quem não tem nada pra fazer, so a escoria,a ralé é que participa dessa bobagem, dessa idiotice.E eficaz? é ,mais se estivessem usando esse meio de comunicação pra alguma caisa mais util seria melhor, pois existem algumas comunidades que falam um tanto de besteira e ainda incentivam as pessoas a fazerem coisas erradas;como por exemplo praticar a violencia, fora as fotos né que as vezes pra um adulto não faz tanta diferença,mais pra uma criança é diferente.Espero que o google com todos esses processos tome providencias,mais não so colocando alertes no site mais tomando providencias de verdade.obrigado.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*