Qual o seu time para a Copa?

Quem já vai
Brasil – Favoritaço, já estão lembrando 1982…
Argentina – Segunda força do futebol mundial
Alemanha – Não vão: já estão. Meu palpite.
EUA – Cada vez mais competitivo, time chato
Ucrânia – Shevchenko seria o Davor Suker de 98?
Japão – Experiência das últimas copas vai servir?
Coréia – Como a Bulgária, já teve a Copa deles.
Arábia – O importante é competir, aquela coisa toda.
Irã – Esse time é uma bomba (piada fraca).

Quem tá bem perto
Portugal – Se o Criciúma de Felipão ja ganhou algo…
Itália – Vai vir com a força da camisa, e olhe lá…
Inglaterra – Outro bom palpite: fica entre os quatro.
Equador – Vai pra segunda Copa – e voltar logo.
Gana – O Senegal da vez?
Togo – Togo?
Tunísia – Tunísia?
Angola – Mais uma seleção que fala português!
México – Outra figurinha que cai no mata-mata.

Podem ficar fora
Costa do Marfim – Entregaram para Camarões, que decepção…
França – Bem feito.
Austrália – Mas bem que poderia tirar o Uruguai…

Faltou alguem?

Galvão Bueno avisou, assim que Adriano marcou seu tercerio gol, o quinto da seleção contra o Chile: “é o gol da Copa”. Tudo bem, descontando o calor da transmissão, a frase pode não dizer muita coisa. Mas o fato é que o jogo de domingo ratificou o que todos já sabiam desde o penta: o Brasil continua sendo o único país a participar de todas as copas. Agora são 18.

Com a presença garantida, resta saber quem serão os 23 jogadores que acompanharão Parreira e Zagallo no sonho do hexa. Análises não faltam: a GE Net lembra que a base está montada; o UOL Esporte traz a ressalva de Parreira: as cinco estrelas da seleção não podem atuar juntas; e o Terra Esportes recorda a lista de atletas que integraram as primeiras convocações, e agora estão longe da Copa. Ainda tem muito tempo, e tentar escalar o time agora é ignorar o imprevisível. Mas todo mundo já tem sugestões.

Brasil atrás – Dida é o titular no gol e não tem conversa. Outros dois nomes devem integrar a lista, e tudo leva a crer que Marcos e Júlio César serão os reservas imediatos. Há quem defenda Rogério Ceni, mas o tricolor, que integrou a seleção do penta, só vai se os problemas no pulso do Marcos piorarem. E olhe lá. Outras unanimidades moram nas laterais: Cafu e Roberto Carlos. Cicinho e Gilberto devem ir também, deixando Beletti e Gustavo Nery na frente da TV.

Na defesa, a primeira polêmica. Apresente-se aquele que defender Roque Júnior e Lúcio como zagueiros, com Juan e Luisão na reserva. Por que não Alex, ex-Santos e atual PSV Eindhoven, no lugar de qualquer um dos dois primeiros? Ainda lá atrás, Zé Roberto e Emerson, o guardião da defesa, dificilmente deixam o time. Na mesma posição, Parreira ainda tem Juninho Pernambucano e Renato.

Brasil na frente – Aqui reside a maior fonte de material humano. Dos quatro nomes que faltam para fechar o time, cinco parecem unânimes: Kaká, Ronaldinho Gaúcho, Robinho, Ronaldo e Adriano. Há quem gostaria de ver os cinco ao mesmo tempo, mas podem esquecer. Destes, o “menos rodado” é Robinho. Deve sobrar pra ele a função do Denilson em 2002: ser o 12º titular e entrar no segundo tempo.

Restam outros nomes do meio para a frente: Ricardinho, Ricardo Oliveira, Roger, Luis Fabiano, Diego, Alex, Júlio Batista… Se ninguém se contundir, a base está pronta: Dida; Cafu, Roque Júnior, Lúcio e Roberto Carlos; Emerson, Zé Roberto, Kaká e Ronaldinho Gaúcho; Ronaldo e Adriano. Que tal?

Comentários em blogs: ainda existem? (9)

  1. Gosto dos posts sobre a Copa 2006!

    Tá tão na cara, mas tão na cara, mas tão na cara, mas tão na cara que o Brasil vai ganhar o hexa, que NÃO É POSSÍVEL que vá mesmo!

    Mas o time sobra hoje no mundo. Não tem adversário. Pasmem, nem a Argentina!

    Bons palpites:

    Alemanha – dona da casa, que será bem ajudada pela arbitragem;

    Inglaterra – que tem Beckham e Lampard no meio-campo;

    Argentina – Timão.

    Candidatíssimo e fazer bonito: Portugal, mas o título é só sonho. Se o Felipão for campeão do mundo com Portugal, tem que fazer uma estátua pro homem!

    E, com muita boa vontade, tem a França com Zidane. Mas tem “só” ele no time. Se o gênio Zizou estiver muito inspirado, dá pra brigar…

    Enfim…

  2. Vou dizer uma heresia mas acho que o R9 deveria ficar de fora. Porque?
    Está ficando velho e já sem “aquela” motivação para ganhar um mundial como Robinho e Adriano. RGaucho ainda é novo e quer o segundo título para igualar o curriculo do R9.
    Kaká tem que ir pq faz a melhor ligação do meio-campo com o ataque.
    E por fim, eu deixaria o RCarlos na reserva e deslocaria o Zé Roberto para a direita. E o Cafu? Deixa o Cafu pq ele dá sorte :-)

    Eu não queria estar na pele do Parreira mas lembremos que Copa não se ganha com favoritismo absoluto pq acabaremos no chopp aguado de 82.

  3. Até seria possível escalar um “quinteto mágico” se houvesse tempo hábil para treinar a seguinte formação – Rogério Ceni; Edmílson, Lúcio e Roberto Carlos; Émerson e Zé Roberto; Kaká, Ronaldinho Gaúcho e Robinho; Adriano e Ronaldo. Ou seja, um 3-2-3-2 no qual os laterais (Edmílson pela direita, improvisado como já jogou nos tempos de São Paulo, e Roberto Carlos) só subiriam esporadicamente, feito líberos, com Émerson e Zé Roberto fazendo a cobertura do meio, Kaká pela direita e Robinho pela esquerda atentos às subidas dos alas do time adversário. É um esquema mirabolante e utópico, que só daria pé em condições improváveis – ao menos um mês de treinamentos táticos intensivos. Mas enfim, como sonhar não custa nada…

  4. Ah, em tempo: concordo com o Parreira e acho que não dá pra jogar com os cinco. Tem que tirar um deles – e aí o Parreira se vira!

    Um Emerson e um Zé Roberto – ou um Juninho Pernambucano, que joga muito – são fundamentais.

    (ps: tô falando sério!!!)

  5. A única coisa que não me sai da cabeça é uma coluna do Pelé, que eu li em 2002. Ele dizia que, sempre que o Brasil sai desacreditado das eliminatórias e chega à Copa com dificuldades, é campeão… e vice-versa! :S Ou seja, Deus nos ajude!

  6. Pois… patriotismos à parte, acho que vai ser o ano de Portugal. Há muita motivação, a equipa ficou muito experiente depois do último Euro e o que não falta é qualidade na convocatória e o Felipão trouxe muita confiança!
    É óbvio que o Brasil é um super-favorito (a final Brasil-Portugal era um sonho), mas não se pode esquecer os crónicos candidatos como a Alemanha, Itália e Argentina… e quem sabe a França (mas este último não acredito tanto). Quanto a outsiders, estou-me a lembrar da Republica Checa (com uma geração de jogadores muito experiente).
    Mas bonito, bonito, vai ser o Figo a levantar a taça!!
    Abraço!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*