Qual o seu lugar na sala de aula?

Nossa última enquete foi baseada em um dos textos da querida Flávia Pegorin, pinçada do livro das Garotas – aquele que é impossível ler uma vez só. Tinha a ver com esse lugar de geografia exclusiva e ao mesmo tempo padronizada: a sala de aula. A pergunta era simples: em que lugar da classe você se posicionava – ou permanece, caso seu período estudantil ainda esteja em vigor? Vamos ao resultado, levando em conta os quase 130 votos computados.

Na primeira fileira, perto da professora: 8,5%. território preferido dos bajuladores da mestra, não faziam muito esforço para tirar boas notas e aparecer diante dos colegas. Entre os nossos visitantes, trata-se de minoria.

Na frente, o suficiente para ficar atento: 13,9%. Também eram inteligentes, mas como não faziam questão de demonstrar, ficavam em uma área que pudessem prestar atenção sem dar bandeira. Por aqui, uma quantidade pequena de “gênios discretos”.

No meio, pra socializar com o povo todo: 17,1%. Pessoalmente, o meu lugar preferido (também da Flávia e de Bart Simpson, segundo seu manual): quem ficava no meio da sala tinha diplomacia suficiente para se enturmar com todas as alas. Ainda assim, não é o lugar preferido da nossa massa de visitantes.

Nos cantos, pra não ser incomodado: 23,3%. É a turma da viagem absoluta: normalmente aquele seu colega sonsão, que chegava atrasado e se perdia na explicação sentava nessa área estratégicamente encostada na parede. Assim como a fileira imediatamente atrás do pelotão de frente, era discreta.

Fundão! Para todo sempre, no fundão!: 37,2%. Convenhamos: quem nunca sentou na verdadeira área nobre da sala de aula? Tudo bem que ali também haviam os repetentes e os cachaceiros. Mas a diversão era garantida. Devo admitir que, durante a faculdade, era mais do fundão que do meião – era o lugar perfeito para imitar a voz dos professores sem chamar a atenção.

Novamente, agradecemos sua gentil participação em mais essa, e não deixe de registrar seu voto em nossa enquete de Natal: Papai Noel vai vencendo facilmente a pesquisa sobre o tema que deixou o país de saco cheio.

Comentários em blogs: ainda existem? (9)

  1. Eu era a do meio da sala… Notas boas, suficientes pra sempre passar por média e cola pro pessoal mais do fundo… No começo da faculdade eu morria de medo, mas com o tempo a gente aprende a ser mais descarado, mesmo…

  2. Eu fui uma das que respondeu: Na frente, o suficiente para ficar atento! :)
    Durante o tempo da escola e até mesmo na faculdade, era lá o meu cantinho! :)

    E Papai Noel existe! Sempre soube disso! hehehehehe

    Beijoooo!

  3. Eu era míope. Eu não consigo prestar atenção se eu sento no fundão. Mas é bom sentar no fundão pra observar o movimento da sala, nas primeiras semanas.

  4. Fundããão, eôô…fundããão, eôô! :)
    Era – e ainda sou – míope, mas ainda assim quase sempre começava o ano sentando na parte central e, um mês depois, já caía lá pro fundo. O mais curioso: mesmo sendo tímida ao extremo, sempre fui bem recebida pela galera faladora e bagunceira. Lá sempre foi meu oásis! :)

  5. Dessa pesquisa não participei pq eu costumava sentar em lugares variados, dependo da aula, do professor, da turma, do meu estado de espírito, da minha concentração na prova… enfim, eram(na verdade são) tantas variáveis que não dá pra responder.:D

    Eu acredito em Coelho da Páscoa, pois já ganhei muito chocolate; já presente de natal nunca me foi constante. Mas o paizim é mais confiável que os outros citados mesmo.;)

  6. Vc esqueceu de mencionar os metaleiros esquisitões que sentam no canto do fundo, porque são bizarros e não falam com ninguém. Esse, aliás, era meu caso durante a escola. :)

    Quanta mudança de lá pra cá, hehehe! Na faculdade eu já era um dos mais falastrões que sentavam no centro do fundão.

    Mas suas enquetes são sempre muito difíceis! Eu tento não votar na alternativa paunuku mas NÃO CONSIGO!!! :P

  7. Eu sentava no canto (parede ou janela) e do meio pra frente (em geral terceira fila). Dupla discrição e um bom lugar para se observar o que acontece na sala sem chamar a atenção e ler escondido (livros, sempre) debaixo da carteira durante a aula.

  8. também fui o metaleiro estranho. mas tinham uns cinco na minha sala. esntão sentavamos todos em uma mesma fileira perto da parede. ao contrario do trotta, ainda sou o metaleiro estranho. e olha que ja fazem doze anos.

  9. Eu sentava no fundo da sala, fileira da janela. Eu era a 1°da turma, sempre notas boas, apelido de nerd, queridinha dos professores e sempre tímida.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*