Primeira vez? Relaxe…

Como é duro ter nascido sob a égide do signo de touro e ascendente em virgem como item de série. Ganhei com isso um incontrolável desejo de planejar coisas. O tormento é ainda maior em se tratando de um episódio inédito em minha vida: uma viagem que vai além do oceano atlântico – e dos quatro dígitos na conta bancária.

Nos últimos meses, comprei ao menos cinco guias diferentes. Pulei todos os capítulos relacionados a atrações das cidades, curiosidades históricas e geográficas, entre outros detalhes que pretendo saborear apenas na quinta-feira, véspera do embarque. Concentrei minha atenção em outros detalhes, todos ligados a um pré-planejamento. Coisa de maluco, mesmo.

Uma das publicações que mais dediquei atenção chama-se First-Time Europe, editado pela Rough Guides. Outros livrinhos repletos de pequenas dicas também foram devorados nas últimas semanas. Tudo para causar uma pretensa sensação de preparo e controle.

Coisa que, para a maioria dos mortais, é absolutamente dispensável.

Ainda assim, consegui reunir algumas dicas interessantes – e indispensáveis para qualquer viajante que pretende passear pelo velho mundo.

– Ao decidir botar o pé para fora ao lado dos amigos, saiba que é a opção perfeita para dividir não apenas despesas de hospedagem ou alimentação, mas também opiniões e experiências. E prepare-se para um verdadeiro casamento…

– Viajar sozinho também te vantagens. Dessa forma, estamos mais predispostos a conhecer pessoas diferentes e principalmente praticar outros idiomas. Ainda mais decidindo pela hospedagem em albergues e viagens de trem.

– Qualquer época é perfeita para visitar a Europa, mas tome cuidado com a alta temporada – entre junho e setembro, quando tudo é mais caro. Se puder escolher a data, prefira a meia-estação: entre abril/maio ou setembro/outubro. A não ser que você queira ver neve ou sentir frio – vá em dezembro ou janeiro e prepare o agasalho.

– Já decidiu quando e com quem vai? Agora providencie o passaporte, mais importante do que a passagem aérea. Com ele em mãos, no entanto, fica facinho entrar em qualquer país da comunidade européia: com o carimbo de qualquer alfândega, é possível circular por até 90 dias como turista.

– Agora, uma tarefa divertida: decidir o que visitar e quanto tempo ficar. Você pode decidir por um mês em uma única cidade, conhecer 10 países em uma semana ou fazer algo próximo disso, como nós. Independente da escolha, lembre-se de duas coisas. A primeira: a se a Europa não acabou com duas guerras, não é agora que vai acabar. Também não será possível esgotar os passeios ficando no mesmo lugar por 30 dias. Escolha as prioridades e não fique triste com a sensação de “quero mais”. Pode ser um bom pretexto para fazer outra viagem dessas…

– Preocupado com a grana? Motivos não faltam. Desde a implantação do Euro em 12 dos 15 países da União Européia, alguns serviços ficaram mais baratos – mas outros, no entanto, encareceram. Antes de contar quanto você vai levar e procurar a casa de câmbio mais em conta, saiba que cartões de crédito são bem aceitos – só não abuse, ou prepare-se para pagar o IOF da fatura). Pense ainda na possibilidade de levar trevellers checks, mas atenção: alguns estabelecimentos cobram alguma comissão ao trocá-los.

– Agora, sim: quanto gastar? Acreditamos que, pelo menos 70% das suas despesas gerais giram em torno de hospedagens e passagens gerais (já falamos sobre isso aqui). O resto vai ser gasto em alimentação e nas atrações que decidir curtir. No primeiro caso, pense em trocar alguns bons restaurantes pelo supermercado. No segundo, fique ligado em atrações gratuitas e em descontos, dependendo do dia da semana.

– Claro que não estamos nos referindo aos seus “regalos”: é possível trazer até 515 euros em compras. Se você for um dos nossos, que certamente não vai trazer tudo isso em compras, cuidado para não “economizar demais”. O objetivo não é gastar pouco, mas sim gastar bem.

– Resta acabar com o receio de ficar doente em plena viagem. Antes de mais nada, ponha na cabeça que isso não vai acontecer. Para ajudar nessa tarefa, providencie um seguro-viagem. Sua mente ficará mais segura sabendo que existe a possibilidade de cobertura médica no exterior.

– Outra coisa importante: prepare a sua farmacinha básica aqui e leve-a com você. Comprar remédios no exterior não é como aqui: lá a venda sob prescrição médica é levada a sério.

– Passagens compradas, reservas feitas, dinheiro trocado (é bom fazer isso antes, para não correr o risco de perder uma tarde maravilhosa na Europa com isso), é hora de arrumar a mala. Nesse caso, a dica é simples: viaje leve. Pense nas roupas que você pensou em levar e coloque na mala (ou na mochila) só a metade. Outro dado que vai te ajudar a fazer isso: boa parte das companhias aéreas low frills cobram pelo excesso de bagagem. Sem falar no trabalho que vai ser arrastar essa bomba pela viagem.

– Não deixe para fazer sua mala no dia da viagem: você corre o risco de esquecer alguma coisa. Outras dicas com bagagem, para quem for viajar em grupo: misture as roupas entre seus companheiros – assim, em caso de extravio, a perda não será total.

– Finalmente, você chegou na Europa. Use e abuse dos centros de informação local, dos meios de transporte convencionais (ônibus e metrô) ou mesmo do bom e velho taxsola.

– Se você for monoglota como eu, não se preocupe: a maioria também é. Decore algumas frases úteis e, na pior das hipóteses, faça mímica. Mas não deixe de se esforçar, afinal de contas, “saber otra lengua es tener otra alma”.

– Leve daqui alguns números de telefones úteis para fazer chamadas a cobrar para o Brasil. Ou reserve alguns euros para cartões telefônicos – que, depois de usá-los, podem virar “regalos” para os amigos…

– Para quem está acostumado com a violência de São Paulo ou Rio de Janeiro, é fácil falar em segurança na Europa. Providencie um porta-dólar e ande com seus valores “dentro” de você. Em especial o passaporte, que dificilmente será exigido fora da alfândega – se puder deixar seus valores no cofre do hotel, ande apenas com o xerox da página dois. No mais, o segredo é ficar sempre alerta.

A conclusão que realmente deve ser levada em conta? Não importa qual seja o motivo: a trabalho (legalizado ou não), estudar um novo idioma ou simplesmente aproveitar dias de férias. Vá conhecer pessoas e lugares novos, experimentar culturas, manter a mente aberta e vivenciar uma experiência de vida inesquecível.

Ou seja: preocupe-se pouco com os detalhes e simplesmente viaje!

Faltou alguma dica? Quer compartilhar suas experiências? Conversar, jogar conversa fora ou mesmo falar um “até logo” pros três viajantes?

Então você é nosso convidado para o nosso bota-fora. Como estamos todos enrolados, a data e o horário certamente complicarão a vida de muitos de vocês… Ainda assim, eu, Lello e Lu ficaremos muito felizes com a presença de todos!

Anote: será nesta quarta-feira, dia seis de outubro, a partir das 22 horas, no bar Quitandinha – fica na rua Fidalga, perto do Filial, na Vila Madalena. Vamos?

Comentários em blogs: ainda existem? (13)

  1. André,
    Creio que o último conselho foi o melhor. Depois da primeira viagem é que a gente descobre como se preparar pra segunda. Uma sugerstão: leve qualquer coisa que tenha a bandeira do Brasil. Uma faixa, munhequeira, piercing, lenço…sei lá! Você pode até ter dificuldade em se comunicar, mas será recebido com mais simpatia se entenderem que se trata de um brasileiro gente boa.
    PS – ponderei que seria difícil participar à sua despedida (e não só pelo horário), vou tomar uma por aqui mesmo.
    Ciao

  2. Como obviamente nao tenho como ir ao bota-fora, ficam os sinceros desejos de boa viagem! Aproveite bastante por la! E, se possivel, da umas atualizadas no blog de vez em quando…(hahahahaha, ta bom, eu sei, foi so uma piada!). Abracao e bom Velho Continente proce!

  3. Boa viagem Marmota, encante-se com o encantado velho mundo! Certamente será uma viagem maravilhosa que ainda vai render muitos e muitos posts!

    Beijos, Elisa

  4. Depois de meus últimos comentários, juro que pratiquei um pouco de yoga e meditação antes de escrever esse…E o comentário é: Não se esqueça de levar uma caninha 51 e um pouco de pó de cafe para os gringos. Eles adoram esse produtos “Made in Brazil” e Boa Viagem!

  5. Pois é, não dá para viajar e simplesmente jogar a malas nas costas… Tem que ter um planejamento mínimo. Muito dez as dicas, eu não tenho nada a acrescentar o mais distante que fui em viagem foi para Brasília, bah… :-P
    Boa viagem a vcs., vamos ver se consigo ir ao bota-fora dar um abração… De qualquer maneira, aproveitem e quero ver as aventuras de vcs. por aqui! :-)
    Bjocasssssss…

  6. Acho que você seleccionou as melhores dicas. Com a mudança do escudo para o Euro, a maioria das pessoas pensam que as coisas mais encareceram que baratearam…

  7. Pois é Marmota eu tb me deparei com uma incrivel vontade de sair planejando tudo (postei sobre isso no blog hj). Fazer isso dá uma segurança danada, uma tremenda paz de espírito, pois vc pode tentar prever o que fazer numa situação dificil. Bom, é bem possivel que vc já tenha tomado esse tipo de providencia, mas nao custa lembrar: leve o endereço das embaixadas brasileiras dos paises onde vc passar (no site dicas de brasilia.com.br, vc pode saber quem é o embaixador e até a data de aniversário dele, logo num caso de sufoco extremo pode-se apelar descaradamente para a politica). Outro risco é sobre a questão das bagagens, pois já vi muita gente perdendo bagagem por aí (o que é desesperador). Quanto a isso compensa ver a possibilidade de fazer um seguro de viagem. Afinal, quanto mais segurança, maior a diversão! Beijos,

  8. Eu quero ir prá Europa e seguir todas as suas instruções! Mas antes quero saber onde foram parar os comentários do meu bloguizinho… chuifi…

  9. Olha que show !!
    Então quarta feira é meio complicado sim…mas quem sabe né ?
    De qualquer maneira, boa viagem, aproveite bastante e volte…quer dizer, pense bem e reflita de repente, pode ser altamente interessante ficar por lá….
    Beijos

  10. Vc conseguiu algum guia da Lonely Planet? Pra falar a verdade, não conheço nenhum, mas curto o programa de viagens deles (“Mochileiros, “canal People & Arts).

    Se quiser dicas, procure mermão Leo (tá no orkut tb), que já viajou de trem por toda a Europa –visitou de Lichtenstein à Rússia, de Bolzano (Itália) à Noruega–, voou por aquelas companias barateiras e se hospedou em diversos albergues.

    Algo que ele costuma fazer é fugir de roteiros “para turistas”. Ele prefere sair perguntando e descobrir restaurantes e atrações que só os locais (=nativos) conhecem. Bem mais legal e único, pelo que diz.

    Boa viagem!

  11. Marmota,

    Eu li tudo o que havia na internet sobre aquarismo, comprei livros e vivo azucrinando vendedores com dúvidas…. Uso o MS Outlook, integrado com o MS Project. Planejar é comigo: virginiana com ascendente em capricórnio. E, quer saber? Viagem a gente tem que planejar mesmo…. Pra depois curtir sem ter que se preocupar tanto!!!
    Abraços, Juceline

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*