Paulo Leminski oculto

Parada Cardíaca

Essa minha secura
Essa falta de sentimento
Não tem ninguém que segure
Vem de dentro

Vem da zona escura
Donde vem o que sinto
Sinto muito
Sentir é muito lento

O poema acima representa uma gota d’água diante do oceano produzido por Paulo Leminski. Reconhecido como um dos escritores mais importantes do país – e verdadeiro ícone da capital paranaense, o ‘poeta marginal de Curitiba’, falecido em 1989, deixou sua marca em crônicas, prosas, ensaios, novelas, quadrinhos, letras de música, roteiros para cinema… E até poesias.

Pois acredite: a figura de Paulo Leminski surgiu durante uma visita ao Espaço Cultural Frans Krajcberg, no Jardim Botânico. Em meio a esculturas de cipós e troncos de madeira queimada – um verdadeiro clamor em favor da preservação da natureza, algumas fotografias de áreas devastadas, entre elas a que está reproduzida abaixo.

Agora repita a sugestão do guia turístico Fernando e observe atentamente a foto. Com pouco esforço, é possível enxergar Paulo Leminski, atrás da arvorezinha central, erguendo seu braço esquerdo.

Conseguiu? Não? Bom, talvez seja mais fácil observar o meu reflexo ao fundo…

(Postado em 28/04/2004. E neste fim de semana, tem mais Curitiba.)

Comentários em blogs: ainda existem? (6)

  1. É, eu vi só um cara de cabeça baixa mesmo. Mas fiquei com medo de olhar – vai que é uma daquelas fotos que na verdade são gifs onde alguma coisa se mexe pra te dar um susto!

  2. Excelente!
    Na faculdade que dou aula alguns alunos fizeram trabalhos de design digital sobre ele. Ficaram simplesmente maravilhosos.

    []´s

  3. Esta foto é de verdade? Dá para ver alguém parecido com ele…bem estranho…eu sou o filho dele que vive no Rio de Janeiro, estou na biografia, sem fotos, apenas minha certidão de nascimento.
    Valeu!!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*