O que esse hindu tá cantando aí?*

O texto a seguir é da Claudia Lyra, que além de ser uma mãe louca por blog, também enlouquece diante de novelas. Principalmente quando a considera ruim. É o relato de uma telespectadora que, de repente, se viu diante da trama das oito, sem entender o que se passa. Are baba!

Olá, povo noveleiro! Meu nome é Claudia, tenho 40 anos e… não gosto de novela. E, como não gosto, não assisto. Não acompanho o desenrolar das tramas, não sei o nome das personagens, só fico sabendo por alto quem é o vilão e quem é a mocinha de cada folhetim e estou sempre por fora dos bordões. Pois é… sou daquelas que, na rodinha das amigas, fica boiando quando o assunto é o mundo encantado do Projac.

Aqui cabe um esclarecimento: a verdade é que quase não assisto televisão. O tempo que fico em casa à toa – pouco tempo, diga-se de passagem – gasto na internet ou com alguma leitura. E até bem poucos dias atrás não costumava espiar a TV nem com o rabo de olho, pois o computador ficava num outro cômodo da casa. Ficava. É que, por conta de problemas com a conexão, resolvi colocar o PC na sala, junto da televisão.

Daí que segunda e terça assisti a Caminho das Índias. Pedaços dos capítulos, pra ser mais exata. É claro que ainda não deu pra aprender o nome de todo mundo ou compreender a história com exatidão, mas já sei que tem um menino que é maluquinho e uma menina de cabelo ensebado que é apaixonadinha por ele. Aliás, tem um monte de maluquinhos na novela. Vi o casamento dos velhinhos. Percebi que o Marcio Garcia está no Rio de Janeiro e tem uma namorada magrelinha. Aliás, o Tony Ramos também está no Rio e, como esta é mesmo uma cidade bem pequena, ele se encontrou com Marcio Garcia no elevador de um prédio e começou a destratá-lo, chamando-o de dalit (é assim que se escreve isso?).

Enfim… Sei que vai parecer que sou uma chata, que tenho que entender que é tudo ficção, mas… posso perguntar? Que novela bizarra é essa, meu Deus?!?

Assistir a esses capítulos me deu tanta vergonha alheia que foi quase insurportável. Vergonha pela Laura Cardoso, por exemplo, que é uma atriz que considero sensacional, mas, caramba!, nas vezes que a vi na novela, misturando português com o que imagino ser expressões indianas, quis sair da sala correndo. Sem contar que tem tanto ator canastrão no elenco que dá até tristeza. Pra citar apenas os mais conhecidos: André Gonçalves, péssimo com sempre, com aquele bigodão tá pior ainda, mas a Glória Perez resolveu que ele tem que contracenar com o Alexandre Borges – eles são mendigos na novela? – e acabou de danar com tudo; Marcio Garcia está Marcio Garcia mesmo, este não tem salvação; já a Cleo Pires está se superando, horrível no papel de encrenqueira.

A Letícia Sabatella está chatíssima. Normalmente a gente não tem que se empolgar com os vilões? Com ela acho que não rola. E ainda colocaram aquele careca albino – esse não vou googlear pra saber o nome, deu preguiça – pra fazer par nas maldades com ela. Ah, gente, me economiza, né? Esse careca é a inexpressão em forma humana!

Me pareceu, também, que na Índia a mulherada é bem à toa, né? Lá na casa da Eliane Giardini – adoro essa atriz, ela é lindíssima e super talentosa – tem um monte de mulher, mas ninguém faz nada além de intriga. Deus me livre! O Flavio Migliaccio é que descreveu bem o terror dessa situação: é preferível enfrentar uma briga de búfalos por espaço do que aturar um monte de mulher fofoqueira.

Pra não dizer que não gostei de nada, adorei os maluquinhos da clínica do Stênio Garcia aproveitando pra improvisar um casamento, já que o que estava programado furou. Ah… e gostei das roupas indianas, estão muito bonitas. Deixa ver se tem mais alguma coisa que gostei… hum… er… não, não… gostei de mais nada não.

*Em compensação, adorei a novela Com a minha nas Índias. A abertura é sensacional! (É, também não assistia Casseta e Planeta, tsc, tsc…).

Comentários em blogs: ainda existem? (5)

  1. Ah, mas todos os folhetins da Glória são assim…
    Sem contar que ela ainda tenta passar pra o público aquela noção de amor pateta, aqueles mocinhos que não fazem nada por sua própria felicidade. Parece que estão todos sempre “olhando a vida passar”. Uma droga.

  2. E todo mundo falar português? Fuso horário? Acho que Glória Perez nunca ouviu falar. Antes da novela estrear li uma entrevista na qual ela dizia que suas novelas sempre são ficção, sem compromisso com a realidade, mas assim já é demais.

  3. Vale a pena assistir a novela só pra entender o Casseta! :D

    E fala a verdade, Elias Gleizer e Eva Todor arrasaram. A mãozinha dela no rosto quando se fala de sexo. A fofura dele. Ah, dá um desconto. Se fosse pra ser sério, era documentário.
    O House paralisa a circulação da menina e todo mundo acha normal?

  4. oq q esse hindu tah cantando ai??
    sei lah eu tbem num intendiii
    oq q esse hindu tah cantando ai??
    jah flei q eu num intendii…
    hsuahsuahsuahsuhs….

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*