Nove!

A historinha a seguir parece boba, mas acreditem: vale referência.

Segunda série de uma partidinha de boliche amistosa entre amigos. Começo derrubando oito pinos, e em mais um erro de lançamento, atinjo apenas um na segunda bola, somando nove.

É a vez do especialista Roque Santa Cruz, que acerta nove. na primeira Mas não consegue direcionar a redonda para confirmar o spare. “Competição empatada!”, grito, na brincadeira.

Lello Lopes dá uma rateada: três pinos. Mas no “segundo serviço” põe pra cair mais seis e segue na briga. Total de nove. Aumento o tom de voz e grito ainda mais alto: “competição empataaaada!!!”.

Nessa altura, todo mundo grita: “nove, nove…”. Ainda mais quando Caio, após derrubar sete, atende ao pedido da galera, que grita “mais dois”. Todos, em uníssono, erguem os punhos e gritam “nove, nove”, enquanto gargalham.

É a vez de Lu, novata na arte do boliche. Consegue seis. “Mais três”, gritam os demais. Ciente de sua inexperiência, responde com cara de “não vai rolar”. Mas rolou!!!

Num raio de centenas de metros, era possível ouvir: “NOVE, NOVE, NOVE…”.

Era o êxtase, compartilhado na mesma sintonia através do nove. Aquilo fez com que todos rissem como em poucas oportunidades. Fez com que sonhassemos em mais “noves” em nosso dia-a-dia.

Mas enfim. O Zé tratou de cortar logo o clima derrubando os dez pinos.

(Postado em 24/07/2005. E estou com saudades de um boliche com os amigos.)

André Marmota formou-se jornalismo e ainda estuda o tema na pós-graduação. Mas o que importa é ter saúde, não é mesmo? Quer saber mais?

Leia outros posts em Curtas. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (6)

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*