Nos extertores da campanha

Quarenta minutos do segundo tempo: o jogo da campanha eleitoral, que está lembrando uma emocionante final de campeonato. O time de camisa vermelha (e calção azul) vai vencendo com larga vantagem – para o time da casa virar, é preciso mais ou menos dois milhões de eleitores por dia. Uns seis gols em cinco minutos. Nessa situação, vale até colocar o técnico na área adversária para cabecear após a cobrança de escanteio.

Foi mais ou menos isso que o candidato da situação fez neste final de semana. No pronunciamento de José Serra, alardeado durante os programas anteriores, falou até em um “estelionato eleitoral semelhante a eleição de Collor” caso Lula seja eleito. Na contrapartida, Lula repetiu o discurso do terrorismo eleitoral e o da falta de atitude de Serra, que durante oito anos, fez parte do governo. Tudo sobre o embate televisivo na matéria desta segunda, do Jornal da Tarde. Aliás, o diário paulistano traz outro destaque, pegando carona na polêmica da semana: Regina Duarte diz que o seu medo aumentou.

Como observou muitos amigos blogueiros, apelo bem parecido fez a capa da Veja desta semana, Pessoalmente, esperava essa capa na Época, que na semana passada trouxe FHC malhando o PT e a estratégia completa da virada dos tucanos. Desta vez a revista pegou mais leve, trazendo uma longa matéria sobre o atual panorama da campanha – sem esquecer dos apelos de Serra e o clima de “já ganhou” do PT. De fato, como diria o Téo José, “não peeeerde maaaais!”. Na Istoé, praticamente os mesmos assuntos, com destaque para a reportagem mostrando como o PSDB está se mexendo para atravessar o governo Lula.

Em São Paulo, diferente do que acontece no restante do país, a campanha governista cresce, enquanto o PT patina: segundo o Datafolha, Geraldo Alckmin abriu 12 pontos sobre José Genoíno. Aqui, pesa o discurso “vamos continuar trabalhando” do atual governador, tanto no horário eleitoral quanto nos dois debates seguidos, palavras que conquistaram a maior parcela do eleitorado do finado Maluf. Baseado em outra matéria da Folha Online, podemos dizer que os extertores da campanha prometem. Aliás, extertores é com X ou com S?

André Marmota tem uma incrível habilidade: transforma-se de “homem de todas as vidas” a “uma lembrancinha aí” em poucas semanas. Quer saber mais?

Leia outros posts em Especiais do MMM. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (1)

  1. Marmotão Cara acho que entrei no meu inferno astral mas nenhuma astróloga me alertou. Publiquei um post no Mundo Foderoso e acabou que o post asiu no Fumar Nunca Mais! Puta mico misturei tudo sem querer deu a maior bosta. Tou tentando consertar o inconsertável.Ah em tempo: a partir de hoje não discuto mais política.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*