Momento Legião Urbana

Antes do mês acabar, fica aqui o meu registro. Enquanto os nossos doze leitores diários acompanhavam nosso calhau bloguístico, eu cansei de viajar, dar aulas, resolver pepinos na redação e adiantar algumas idéias para este espaço em 2005. Mas também fiz uma pequena sandice, justamente entre os dias 15 e 17.

Na verdade, foi o início de um pedido feito pelo Papai Noel no final do ano: transforme 2005 no ano da coragem. Estou tentando, e acho que o caminho é mais ou menos esse.

Sobre a tal sandice, qualquer dia desses eu conto detalhes. Por hora, só posso dizer que valeu cada centavo, cada minuto sem dormir, cada segundo ao lado dessa velha conhecida.

Também dá para cantar duas musiquinhas da Legião Urbana. Por enquanto, quase sem querer…

Tenho andado distraído
Impaciente e indeciso
E ainda estou confuso
Só que agora é diferente
Estou tão tranqüilo
E tão contente

Quantas chances desperdicei
Quando o que eu mais queria
Era provar pra todo o mundo
Que eu não precisava
Provar nada pra ninguém

Me fiz em mil pedaços
Pra você juntar
E queria sempre achar
Explicação pro que eu sentia
Como um anjo caído
Fiz questão de esquecer
Que mentir pra si mesmo
É sempre a pior mentira

Mas não sou mais
Tão criança
A ponto de saber tudo

Já não me preocupo
Se eu não sei porquê
As vezes o que eu vejo
Quase ninguém vê
E eu sei que você sabe
Quase sem querer
Que eu vejo o mesmo que você

Tão correto e tão bonito
O infinito é realmente
Um dos deuses mais lindos
Sei que às vezes uso
Palavras repetidas
Mas quais são as palavras
Que nunca são ditas?

Me disseram que você estava chorando
E foi então que percebi
Como lhe quero tanto

Já não me preocupo
Se eu não sei porquê
Às vezes o que eu vejo
Quase ninguém vê
E eu sei que você sabe
Quase sem querer
Que eu quero o mesmo que você

Mudaram as estações
Nada mudou
Mas eu sei que alguma coisa aconteceu
Está tudo assim tão diferente

Se lembra quando a gente
Chegou um dia a acreditar
Que tudo era pra sempre
Sem saber
Que o pra sempre
Sempre acaba

Mas nada vai conseguir mudar
O que ficou
Quando penso em alguém
Só penso em você
E aí então estamos bem

Mesmo com tantos motivos
Pra deixar tudo como está
Nem desistir, nem tentar
Agora tanto faz
Estamos indo de volta pra casa

André Marmota acredita em um futuro com blogs atualizados, livros impressos, videolocadoras, amores sinceros, entre outros anacronismos. Quer saber mais?

Leia outros posts em Plantão Marmota. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (3)

  1. Caro Marmota, sinto que você está:
    a) Apaixonado
    b) Confuso
    c) Em crise
    d) Com dupla personalidade
    e) Todas as anteriores

    Então anote lá a minha dica: mulher e álcool é a combinação salvadora. Não há mal que resista à dupla. Se não há mulher, entregue-se ao álcool. Se há mulher, aproveite de deixe a cerveja pra depois. (Pena que você não bebe…)

    Abração!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*