Goiabada com queijo

Pense antes de reclamar dos seus desencontros.
Veja por exemplo o caso da goiabada.
Ela começa sua trajetória como frutinha.
Só consegue nascer num país tropical.
Nasce verde ou amarela, em forma de baga.
Seu nome também define gente chata…
Quando cresce, desenvolve uma polpa rosa.
Que, diga-se, pode virar criadouro de bicho!
Ela pode ser comida a qualquer momento.
Ou então, na adolescência, virar doce.
Se desmancha no tacho, com água e açúcar.
E ainda recebe o sobrenome cascão.
Torna-se uma figura popular, até demais.
Um país inteiro gritando: “gostosa”.
Mas mesmo depois de tanto sofrimento,
E estando a um passo da vulgaridade,
A goiabada pode conhecer um queijo mineiro.
Sujeito que teve infância ainda pior.
Viu sua mãe ser chamada de vaca…
Ainda por cima, só conviveu com bactérias!
E mesmo coalhado, azedo e encruado…
Quem poderia imaginar isso:
É chamado de romeu por sua julieta!

(A propósito, você já tinha ouvido falar nisso aqui?)

André Marmota fala, lê e escreve razoavelmente em português castiço, engrish macarrônico e portunhol com legendas. Quer saber mais?

Leia outros posts em Curtas. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (6)

  1. Pois é, cada um com seus problemas, né! Mas todo mundo tem sua própria polpa gostosa, em algum lugar. Hehehe! E tudo sempre acaba como Romeu e Julieta. Ou não? O.o

    Fiquei até com medo de clicar nesse link goiabras/ENTIDADE! Meu micro não vai ficar possuido? Garante?

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*