Feliz Dia da Marmota!

Esta data é um dia de festa em muitas cidades do país. Todas elas acordaram bem cedo para homenagear Nossa Senhora dos Navegantes. Especialmente em Porto Alegre, que festeja a padroeira da cidade. Longe do Brasil, no entanto, existe um lugar onde a tradição religiosa dá lugar a um ritual centenário – mais precisamente, desde 1887.

Este lugar chama-se Punxsutawney, fica no estado norte-americano da Pennsylvania, e a tradição chama-se Dia da Marmota – padroeira deste blog.

Claro que o “Groundhog Day” é comemorado em outras cidades dos EUA e Canadá neste dia 2 de fevereiro. Mas essa localidade, que fica a uns 120 quilômetros de PITTSBUUUURGH!!! (piada interna), entrou definitivamente para o mapa das cidades mais populares do planeta. Tudo graças ao seu mais conhecido habitante: a marmota Phil.

Aliás, esse bichinho passa o restante do ano tratado a pão-de-ló. Vive num ambiente climatizado na biblioteca da cidade. Lá ele passa o tempo se divertindo com a sua “esposa”, a marmota Phyllis. Só sai de seu mundinho de regalias às 7h25 da manhã do segundo dia do segundo mês. Sua missão: enxergar ou não sua própria sombra e anunciar ao mundo a chegada da primavera – ou a permanência do inverno por mais seis semanas.

Pois essa brincadeira protagonizada por um roedor de mais de 120 anos (ao menos é o que dizem os habitantes de Punxsutawney, atribuindo sua longevidade às regalias da biblioteca municipal) transformou o lugar na capital mundial do tempo. O Punxsutawney Groundhog Club, um grupo de cidadãos que organiza o festival anualmente, garante que a previsão funciona.

Mas será mesmo? Uma Convenção da Sociedade Americana de Meteorologia, realizada em Atlanta no ano passado, comparou as previsões de Phil desde 1887 com o que realmente aconteceu. Ele acertou em apenas 39% das vezes – ou seja, é mais confiavel jogar uma moeda para o alto (se der cara, vai chover) do que ouvir esse bicho picareta.

Uma pena. Porque em 2007, a marmota Phill já deixou seu prognóstico, garantindo que a primavera vai chegar mais cedo:

“El Nino has caused high winds, heavy snow, ice and freezing temperatures in the west.
Here in the East with much mild winter weather we have been blessed.

Global warming has caused a great debate.
This mild winter makes it seem just great.

On this Groundhog Day we think of one thing.
Will we have winter or will we have spring?

On Gobbler’s Knob I see no shadow today.
I predict that early spring is on the way.”

Ou não, né?

Os efeitos do “Groundhog Day” foram potencializados a partir de 1993, ano que a festança foi eternizada através do filme Feitiço do Tempo, dirigido pelo ótimo Harold Ramis (o Egon dos Caça-Fantasmas). Nele, o repórter mal-humorado Phil Connors (o sensacional Bill Murray) é escalado para anunciar ao vivo a previsão de Phil. Além da sua vontade louca de sair daquele buraco o quanto antes – e da presença da bela Rita (Andie MacDowell), o repórter é acometido por uma estranha maldição e passa a viver o mesmo dia, todos os dias.

O filme, que por razões óbvias já virou um clássico para mim, curiosamente não foi rodado em Punxsutawney, mas sim em Woodstock, Illinois. Isso porque a cidade original, apesar do seu potencial turístico elevadíssimo, fica na zona rural, e seu acesso é bem difícil. Assim, a Columbia Pictures decidiu filmar a história num lugar mais acessível – e eu pensava que só o nome do lugar fosse complicado.

Aliás, o argumento dessa comédia deliciosa fez com que o “Dia da Marmota” ganhasse um outro significado, válido inclusive para os outros 364 dias do ano: quem nunca teve a sensação desagradável de viver, viver e viver sempre o mesmo dia – ainda que, fora da ficção, a folhinha insista em virar impiedosamente?

(Postado em 02//02/2007)

Comentários em blogs: ainda existem? (22)

  1. Obrigado, xará! Aliás, concordo plenamente com a opinião dela: não importa o fato dela ter pouca credibilidade, mas “é uma tradição divertida”, por isso vamos comemorar!

  2. cara, adoro esse filme. o mais bacana foi saber que realmente existe o dia da marmota. Esse filme e tão bacana que tive que comprar par apoder assistir quando quiser, hehehehe.

  3. Feliz dia da Marmota, Marmota! Precisamos criar um dia da Marmota aqui para saber se o verão vai acaba logo ou não.

    PS.: não relacionado, mas eu acho que há algum contador no seu blog que abre pop-ups do mal.

  4. O fato de uma moeda ter dois lados, cara ou coroa, não faz com que a probabilidade de tirar um ou o outro seja de 50%. Cada vez que você tira uma face pode ser coroa, coroa, etc. São eventos independentes. É baseado nisso que um cassino diz que suas máquinas dão 98,7% de chance. Estime as multidões que passam por Vegas e verás o quê isso representa. A marmota é uma estória do folclore, por quê desmoralizá-la? 39% tá bom, é melhor que o Vista do Gates, ha-ha.

  5. Primeiro: brigadão por repercutir minha reivindicação e minhas sugestões de revisão na admissão e locação de professores de Comunicação pelo país. Já enviei o caso à CAPES, que está estudando para posteriormente me dar uma resposta. Além disso, nas raríssimas vagas que surgem por aqui, ainda tenho chances de concorrer.

    Em relação à marmota: o Zé Buscapé é que não gosta muito do simpático roedor. Se lembras do desenho da Hanna-Barbera, saberás por que! :P

    []’s,
    Hélio

  6. Passeando pelo blog…também gostei muito da cara que Bill Murray fazia quando tinha que começar tudo de novo…tem horas que dá vontade de ter um dia assim para mudarmos um item que passou, que escapou! abç

  7. Nossa parabens!!!!!Marmotas são legais!Fiz uma feira cultural sobre eles .Mais o dia não tinha q só chamar Marmota tinha que ser André Marmota!O dia Dele!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*