Eu tenho medo dos anos pares

Tinha certeza de que 2007 seria bem melhor que 2006. Até porque, se fosse pior, eu certamente não aguentaria mais bordoadas. Troquei de carro para dar carona aos meus grandes camaradas várias vezes (duas delas no Hopi Hari), apesar de não revê-los tantas vezes quanto gostaria. Fui padrinho no casamento de um grande amigo. Conheci e cumprimentei uma porção de gente nova e bacana. Arrumei inimizades novas (duas ou três misses Cangaíba), mas exorcizei uma porção de assombrações do passado. Vi meu blog parar num condomínio de luxo, repleto de coelhinhas da pleiboi. Fiquei viciado em barcamps e seus afluentes – apesar de não aguentar mais ouvir falar em monetização e estadão. Ainda acredito na força do blog-moleque e do post-arte. Entrei no Twitter e nem dei bola pro SecondLife. Conheci Serra Negra, Copenhague, Salvador, Estocolmo, Angra dos Reis, Praga, Parati e Atenas. E ainda reencontrei o Rio de Janeiro, Amsterdã, Curitiba, Paris, Belo Horizonte, Colônia e Florianópolis. Na maioria das vezes num avião, apesar dos pesares. Ganhei uma tartaruga marinha de aniversário e um livro do Quintana no Natal. Torci pelo Felipe Massa, mas fiquei feliz pelo “homem de gelo”. Mergulhei de cabeça no Pan e, logo em seguida, aceitei um grande desafio ao mudar de emprego. E o mais importante de tudo: o curintia caiu.

Só tenho medo de uma coisa: eu odeio anos pares. Melhor pensar em fazer as coisas certas para garantir os votos de “feliz 2008”.

Aproveite sua virada de ano, e lembre-se que amanhã tem mais.

André Marmota adora usar a função “rand” do PHP, combinada com um array repleto de frases diferentes. Paaaaarabéns! Quer saber mais?

Leia outros posts em Curtas. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (8)

  1. Cara, você é o Boça da Novela Sinhá Boça. Toda vez que você escreve, eu leio e imagino o Boça falando.

  2. “prepare seu coração… pras estórias que vou contar…” Você é o melhor contador de histórias que conheço, de amplo coração, um gentleman e essa de torcer para mais injúria ao Corinthinas só pode dar má sorte.

    Não gosto nem um pouco de flamenguistas e Deus sabe como agraciei meus sobrinhos adotivos com idas ao Maraca com direito a lanche de waffle, banana split, tudibão de lanches na Praça Saens Peña. São todos irremediavelmente Flamengo e até encontro no meu coração uma simpatiazinha pelo rubro-negro se representa o Rio.

    Logo, até amanhã!

  3. Prefiro os anos pares… anos ímpares pra mim são do diabo.

    2004 ==> melhores momentos da minha infância
    2005 ==> morte do meu pai
    2006 ==> recuperação da morte do meu pai e uma vida mais do que tranquila
    2007 ==> tédio, tédio e tédio. 365 dias de tédio puro =[
    2008 ==> melhor ano da minha vida, com amigos, tranquilidade… aproveitei muito meu último ano no interior
    2009 ==> mudança pra Curitiba (cidade que não gosto nem um pouco até hoje) e problemas intrapessoais.
    2010 ==> viagens, momentos agradáveis e muita expectativa
    2011 ==> um fiasco. Nunca fui tanto em hospitais como agora… já tive que visitar parentes e/ou amigos em hospitais 5 vezes esse ano… e olha que ainda estamos na metade… credo e cruz!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*