Eu sou embromeiro

Nunca em tanto tempo eu senti tamanha necessidade em compartilhar com o mundo as minhas angústias procrastinadoras quanto agora. Devo ter uma legião de pessoas inconformadas com minha total ausência, seja um simples “recebi seus votos de feliz aniversário” ou mesmo perguntas mais elaboradas, destas que eu faço questão de dizer “pode deixar, te mando” e que acabam em algum cantinho dos itens recebidos.

Já está mais do que na hora de convocar os amigos e fundar, de uma vez por todas, o Clube dos Procrastinadores Anônimos, com direito a forte divulgação. Quem sabe semana que vem. Se bem que, nos poucos momentos de ócio cerebral, pintou uma idéia vagabunda a respeito da campanha: uma simples paródia a uma dessas insistentes propagandas de cerveja.

Foi a agência Africa, de Nizan Guanaes, que bolou coisículas como “zeca-feira”, “zeca-hora”, “zeca-cete” e agora “brahmeiro”. É aquele sujeito batalhador, que sai cedo para se matar no dia-a-dia e, antes de ir para casa, dá uma passadinha no boteco para tomar todas com moderação. Partindo da mesma definição – a de um brasileiro que tem fé na vida e não desiste nunca – não foi difícil chegar a um novo adjetivo, que pode ser usado como sinônimo de “procrastinador” de um jeito muito mais simples e claro: embromeiro.

Eu sou embromeiro. Ser embromeiro é ter milhares de planos, começar uns quinze deles e cumprir dois ou três. Ser embromeiro é trocar o que importante por inesperadas causas urgentes. Ser embromeiro é andar com smartphone mas lamentar os constantes atrasos da agenda. Ser embromeiro é descobrir que o dólar subiu, que o time perdeu ou que alguém morreu depois do amigo ter contado horas depois. Ser embromeiro é chegar em casa tarde, acreditar que pode resolver tudo amanhã e acordar mais cansado que na noite anterior. Ser embromeiro é imaginar como explicar o que é ser embromeiro e conseguir redigir poucas linhas apenas dias depois.

Eu tinha imaginado inclusive algumas sutis modificações no jingle original, cantado por Zeca Pagodinho, mas já dá pra imaginar: não tive tempo de pensar em nada brilhante. “De manhã cedo a preguiça… lá laiá la… eu vou trabalhar… Eu não consigo fazer nada… na na na na… tenho que adiar… E no final daquele dia… ô ô ô tchu-tchu-ru-ru… não deu mas de novo eu vou tentar… EU SÔ EMBROMEERO AMOOOR… EU SÔ EMBROMEEEEERO! Não-sei-o-quê não-sei-o-quê não-sei-o-quê eu sou brasileeero!”.

Tenho certeza que a campanha ficaria muito melhor com um modelo de camiseta personalizada, com pessoas comuns e seus rostos exaustos, diante do computador, olhando para o nada… Ou mesmo algum destes selinhos piscantes para enfeitar templates de blogs… Enfim, talvez eu consiga elaborar algo assim em breve.

Comentários em blogs: ainda existem? (13)

  1. Senti tanto sua falta. Vim aqui no MMM várias vezes, desnorteada; não faça assim. Que pelo menos a Luciana deixe um recado que você está embromando em algum outro lugar.
    Pior é que minha procrastinação curou aqi depois que virei professora primária e tinha que ter tudo nos trinques, inclusive o caderno de planos de aulas.
    Virei a maior Caxias.

    Ah, sobre o LoveLife. Quando eu for ao Rio vou te convencer a amar a maleolência carioca e a falar como nóish.

  2. É complicado. Também embromo um monte de coisas… Meus trabalhos da faculdade às vezes têm um mês ou mais de prazo e sempre acabam ficando pra última semana!
    Mas é engraçado que certas coisas não consigo embromar: o Cintaliga é a prova disso. Nos últimos meses venho programando os textos com bastante antecedência e só mexo mesmo se algum assunto muuuuuuuuuito importante vier à tona.
    No fim das contas, acho que podemos procrastinar, embromar, mas não deixar de fazer. Posso até deixar pra última hora, mas só fico realmente mal quando não faço o que tenho que fazer.

  3. Se tem algo que gosto nessa vida de ler blogs é quando alguém passa muito tempo sem postar, geralmente significa que a vida real está exigindo mais. além do que, hoje em dia dificilmente alguém tem apenas um blog, são tantos canais. se eu pensar: “será que algo aconteceu com marmota?” vou ao twitter e fico sabendo que vc foi encontrar amigos num café. E penso: “ótimo!”

    O importante é ser um embromeiro assumido e feliz.

  4. Olha, eu juro que ia pesquisar o tema, me aprofundar sobre o assunto embromação e tudo, enfim… ia deixar um comentário GENIAL aqui sobre o tema, mas como tenho muita coisa pra fazer resolvi deixar pra depois…

  5. Tenho que parar de ser embromeiro e ir já para a aula!!! =D
    Mais tarde eu deixo um novo comentário. (fiz bem o meu papel?)

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*