Essa não! Até evangélico perde a virgindade antes de casar!!!

Tudo bem, em tempos de ditadura de Fernandinho Beira-Mar, o assunto mais importante da semana é, com certeza, a falta de segurança com a qual estamos convivendo. Mas não são estas as únicas preocupações. Recebi um release assinado por Carlos Fernandes, da revista Eclésia, publicação voltada para os evangélicos – e aqui, cabe um adendo: não é incrível um e-mail como este chegar em uma redação de um site de esportes?

Enfim. De acordo com o release, a revista deste mês traz uma pesquisa inédita, relacionada a virgindade – definida pelo autor como “um dos mais antigos tabus evangélicos”. Através dela, descobriram os seguintes dados considerados “alarmantes e desafiadores para pais, pastores e educadores”: 52% dos jovens criados nas igrejas têm relações sexuais antes do casamento. A idade média da primeira transa é de apenas 15 anos, e 17% das adolescentes da igreja engravidam.

Ainda segundo o texto, trata-se de um “serviço para a Igreja Evangélica brasileira, discutindo a questão com especialistas e dirigentes cristãos. Além disso, a reportagem conta o depoimento de gente que comeu a fruta antes da hora e relata as conseqüências físicas, psicológicas e espirituais decorrentes do ato. Uma reportagem que promete servir como referência”.

Acho que cada um pode tirar a sua conclusão sobre o assunto. Muitos vão defender seus princípios morais e religiosos. Alguns vão ficar ao lado de seus saltitantes hormônios. O restante vai tratar do assunto de forma responsável, independente de qualquer preceito. Mas o que mais me chama a atenção é que até os evangélicos estão aproveitando a vida e descobrindo os prazeres da carne.

E eu… Uma pedra!!!

André Marmota pode perder um grande amor, um amigo de longa data ou uma oportunidade de trabalho... Mas não perde a piada infame. Quer saber mais?

Leia outros posts em E eu, uma pedra. Permalink

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*