Escrever blogs por paixão ou por dinheiro?

O J. Noronha, autor de O Fim da Várzea (de Esteio para o mundo) me convidou para responder ao meme (ou corrente, enfim) criado pelo Bruno Godoi – obrigado novamente, Noronha! A questão se espalhou rapidamente, demonstrando o quanto este assunto ainda rende: que tipo de blogueiro você é, o que escreve por paixão ou por dinheiro?

Minha resposta curta e grossa? Paixão, claro. Já escrevi sobre isso antes ao defender o blog-moleque, mas o tema rende mais. Além disso, essa é uma boa oportunidade para dissecarmos a enquete do MMM, que estava praticamente mofando aqui nos últimos dois meses.

***

Dos 125 visitantes que toparam indicar qual o principal motivo que te faz manter um blog, a maioria esmagadora deixou a grana em segundo plano. Evidentemente, não se trata de nenhuma “liçao aos probloggers”. Até porque, a questão é clara: trata-se do motivo principal, e não é difícil pensar que, normalmente, outras razões (ou mesmo todas elas) fazem parte do dia-a-dia da maioria dos blogueiros. Inclusive grana, oras.

Não existe pecado algum em ganhar uns trocados com o que se escreve – talvez a discussão só exista por causa dos espertinhos que se limitam a replicar o que já existe, cobrindo esta ausência toda de anúncios. Assim, monetizar conteúdo e ganhar dinheiro foi a primeira opção de 7,2%.

As outras estão ligadas ao que o Bruno chama de “paixão”, e são as mesmas motivações levantadas pela Rebecca Blood, em 2002, no livro The Weblog Handbook (ainda não se falava tanto em marketing via blogs naquele ano).

As opções simplesmente gosto de escrever (a preferida, com 32,8%) e contar minha história e impressões da vida (8%) são parecidas. Nos dois casos, o foco é o autor. A segunda opção lembra o conceito preferido da imprensa: “diários virtuais”. Blé. Gostar de escrever, seja um diário ou qualquer que seja o gênero literário, é um bom exercício.

Como blogs são, essencialmente, ferramentas para conversações, compartilhar informações e fomentar debates é uma conseqüência natural. E para 16,8%, é a principal razão. Quem consegue escrever bem e colocar opiniões relevantes pode ser considerado um “formador de opinião da blogosfera”, e este também é um objetivo válido. Estabelecer e melhorar minha imagem online foi a única opção que perdeu para o “ganhar dinheiro: 4,8%

Por fim, um resultado surpreendente. 30,4% dos visitantes confessaram que na verdade, não possuem blog. Informação que poderia derrubar por terra a minha antiga premissa de que só quem tem um blog sabe o que é um, e por isso apenas blogueiros ou ex-blogueiros se visitam. Seria muito bom saber que essa constatação está errada.

***

Para incrementar a resposta, deixando absolutamente claro o meu ponto de vista, vou reproduzir aqui as respostas que dei para a Kátia Arima, que escreveu sobre blogueiros que ganham a vida na web no caderno Informática da Folha no último dia 4 de abril (procure pelo texto nesta página do Observatório da Imprensa). Obviamente, ela procurava respostas empreendedoras, e as encontrou com o Edney e o Cardoso. Minha visão romântica da coisa, completamente fora da pauta, deve ter feito meu e-mail ir parar no Itens Excluídos.

Por que resolveu “afiliar-se” ao Interney Blogs? Quais são as vantagens?

Estava ao lado do Alexandre Inagaki e do Edney Souza em uma despretensiosa mesa de bar, isso foi em maio do ano passado. Foi quando eles apresentaram, em poucas palavras, a proposta de um portal de blogs. A ideia de reunir conteúdo exclusivo em um site acostumado a gerar dividendos era interessante, e talvez fosse uma razão forte o suficiente para entrar no negócio. Mas a grande vantagem, no meu ponto de vista, está relacionada ao conteúdo oferecido. Nossa voz, a reputação tanto dos envolvidos quanto ao dos outros blogs que fizéssemos referência… Isso seria ampliado. Além disso, a expectativa por um novo espaço, com maior volume de tráfego, e métricas capazes de identificar os novos “hypes” da web, entre outras coisas que podem nos dar respostas (ou até mais perguntas) sobre o comportamento das pessoas na Internet.

Qual é a audiência do seu site?

Os números são bem modestos. Quando comecei a blogar, era eu e alguns poucos amigos. Não passava de 20, 30 visitantes. Então os links começaram a aumentar, mais relações com outros blogueiros eram estabelecidas, as páginas começavam a ser indexadas pelo Google… Logo esse número atingiu a casa das centenas, crescendo devagar e sempre. Antes de migrar para o Interney Blogs, em fevereiro, a média era de 500 visitantes por dia, e esse número continua subindo, degrau por degrau, desde o início do portal.

Quando criou o blog?

Foi em setembro de 2002, usando uma ferramenta gratuita, e desde então não parei mais. Em abril de 2003, passei a bancar um serviço de hospedagem, e em contrapartida, passei a ter maior flexibilidade para decidir qualquer questão técnica ou mesmo visual.

Já consegue obter renda pelo blog? Como?

Em julho de 2005, fiz uma experiência boba: coloquei um espacinho de Google AdSense no blog. Nunca fiz qualquer otimização de buscas, estudo de posicionamento, filtro de anúncios… Tanto desleixo fez com que, em um ano e meio, não juntasse o suficiente para bancar a hospedagem. Ao mesmo tempo, nunca me preocupei em escrever sobre temas que pudessem trazer mais anúncios, ou mais visitantes. Nunca me pautei pelo lado financeiro. Talvez por isso eu não me considerava um “problogger”… Mesmo hoje, envolvido em um belo projeto de profissionalização de blogs, não acredito que a preocupação única em resultados seja positiva. Quem começa a blogar pensando exclusivamente em ganhar dinheiro acaba se levando a sério demais e termina ignorando as conversações e relações sociais que os blogs proporcionam.

Como escolhe os assuntos do blog? De que forma tenta cativar o internauta?

O blog não tem uma pauta definida. Normalmente são aqueles temas que me chamam a atenção, ou com os quais eu me identifico, sinto facilidade em desenvolver. Mas independente do assunto, o que os blogs oferecem a quem visita não é simplesmente o conteúdo, mas sim a imagem do autor. Tudo que está ali carrega a minha opinião, a minha identidade. As pessoas não se identificam apenas com o que está escrito, mas comigo. Criam uma relação pessoal, de confiança. Os visitantes mais cativos sabem exatamente o que esperar, e não ficariam felizes com surpresas desagradáveis – assuntos que eu não domino, conteúdo “vendido”, enfim.

Qual é sua ocupação atual? Pensa em largar o seu emprego caso o blog faça sucesso?

Sou jornalista, tenho meu emprego, praticamente “minha vida” fora do blog. Também fiz eletrotécnica, conhecimentos que posso resgatar caso perceba que não dá para enriquecer informando ninguém. Claro que ganhar dinheiro blogando seria ótimo, e a proposta do IB almeja isso a médio, longo prazo. Mas eu tenho a minha profissão. Passei praticamente duas décadas indo à escola, ao curso técnico, faculdade, pós-graduação… Meu objetivo de ganhar dinheiro fazendo o que eu gosto ainda está dando algum trabalho, mas é gratificante. E por mais que o projeto decole, coisa que tem tudo para acontecer, eu ainda não me vejo longe da minha carreira. Por enquanto, o blog é meu hobby, passatempo, ponto de encontro, terapia… Ainda não virou profissão, ao menos pra mim.

***

Ah, sim, a regra de qualquer meme implica em convidar pessoas para escrever sobre o assunto. Vou fazer diferente, para não quebrar a corrente: informe em nossa caixinha de comentários que você decidiu continuar o meme em seu blog a partir da minha resposta, e eu coloco o link do seu post aqui. Combinado?

Atualizado – O Marcos Gois, do blog Parafernalha Eletrônica, explica que ainda não se sente motivado a escrever pensando em ganhar dinheiro. E você?

Comentários em blogs: ainda existem? (15)

  1. De Esteio para o mundo foi ótimo, hehe… Muito boas colocações (opa!), concordo em gênero, número e grau, principalmente na parte sobre os “reverberadores” de conteúdo, que criam um blog, enchem de anúncios e depois vão catar conteúdo. É interessante participar disso tudo, acho que o futuro promete. Abração.

  2. Paixão, paixão, paixão!
    Quarta-feira faz dois anos que tenho blog… já deixei e já voltei por duas vezes. Muitas vezes eu canso de escrever mais logo bate a saudade. É meu megafone, assim eu posso ser ouvido, nem que seja apenas por mim mesmo e por mais alguns amigos. Começar a traçar os caminhos de um problogger – até pensei por esses dias. Acho melhor eu crescer primeiro, depois decido o que quero ser.

  3. Tive, certa vez, uma conversa de MSN com um moço e ele tentou me explicar o futuro promissor, em termos financeiros, que os blogs têm. É claro que não duvido disso, mas não consigo me enxergar nesse esquema. Mesmo porque, o único talento bloguístico que tenho é a perseverança de continuar postando.

  4. Escrevo por necessidade. Escrevo para perpetuar a língua portugusa em seus diversos registros e contar as estorinhas que aprendi por aí. Gosto do blog e pretendo publicar não um livro mas um CD-ROM interativo. O blog gringo é mais difícil não pela língua mas temáticas pois sei lá o quê vai dar boogie woogie. Saudades suas. Sempre sinto tanta honestidade no seu discurso.

  5. O mal do mundo é esse: ver dinheiro em todos os lugares e querer ficar rico a todo custo… rsrs…

    Escrevamos por paixão, é isso que importa.

    Ah, sim… E eu adoro o seu blog (talvez importe um pouquinho… =P)

    Bjus e um ótimo dia…

  6. Eu particularmente não acredito que algum blogueiro q n seja jornalista possa vir a ganhar alguma grana razoável com seu blog. Nunca tentei, mas se um dia ganhasse algum trocado, receberia de bom grado… :D

  7. Nunca me passou pela cabeça ganhar dinheiro com meu blog. Não penso sequer em publicar seu conteúdo em forma de livro ou seja lá o que for, porque, como profissional do mercado editorial, sei bem como isso funciona. Já fico feliz em exercer a profissão que escolhi e de ter um bom salário fazendo essencialmente o que mais sei: escrever. Num país desse, conseguir uma proeza dessa já é motivo suficiente pra se dar por satisfeito.

    Não tenho nada contra quem queira capitalizar uns trocados com um blog, desde que seja original, escreva bem (e quando digo bem, quero dizer BEM mesmo, não mais ou menos) e tenha o mínimo de bom senso no uso de textos, citações e imagens alheias, respeitando a Lei de Direitos Autorais. Porque ganhar dinheiro à custa dos outros é sempre bem fácil…

    Que bom que o Marmota é escrito com paixão! ;-)

  8. Cara,

    eu sou de Tapes, lagoa dos patos…com toda essa onda do filme “O Segredo” resolvi botar em prática a história da mentalização…então me lancei a um desafio, e conto esse desafio no blog.

    sobre essa questão de dinheiro x paixão…bem, o dinheiro é um assunto que me fascina e faz algum tempo que quero escrever sobre ele. Surgiu então o “novíssimo” insight de fazer um blog.

    Buenas, comecei anteontem, estou ilhado e queria umas dicas…

    Abraço,

    Cássio.

  9. Olá; sou novo neste blog, mas o tema me chamou bastante atenção. No meu caso, escrevo por paixão, por ser um instrumento de amplificação de minhas idéias, idéias que podem ajudar as pessoas a refletirem, a pensarem em seus papeis dentro das empresas (meu blog é voltado ao mercado corporativo). O blog é maravilhoso pois é único, diferenciado, tribal e vivo, não é enlatado e isso me motiva a escrever mais e mais.

    Forte abraço e sucesso,
    Ohannes Bedoyan

  10. Eu conheço um pouco sobre Internet X Dinheiro, sei que tem como ganhar uns trocados, porém é muito dificil (não impossivel)….
    legal o post….

  11. Creio que existe um pequeno detalhe a ser esclarecido. Uma coisa é escrever simplesmente com a finalidade de ganhar dinheiro. Outra, é escrever um assunto que o autor domina ou gosta e se permitir a venda dessa informação em forma de produto (infoproduto) ou obter outros tipos de remuneração mas não como objetivo primário.

    Escrever somente por dinheiro é realmente inviavel e muito dificil.

  12. ola a todos.

    encontrei este blog por acaso e nao podia de deixar a minha opinião.

    é o seguinte.

    começei nesta onda blogs a 5 meses +- de inicio por brincadeira fazendo um blog acerca do meu local de trabalho ,exercito portugues , depois uma vez que fiquei desempregado e encontrando um blog que falava sobre o tema ganhar dinheiro fiquei interessado ,pois ja tinha um blog e estava desempregado porque não tentar , e foi ai que iniciei
    primeiro pondo anuncios no blog que ja tinha ,depois de ver os resoltados positivos dicidi criar entao um blog onde explique muitos dos principais passos para ganhar dinheiro na internet.
    agora 5 meses depois recebo algumas centenas de euros mensais o que me são bastante uteis uma vez que estou desempregado.
    visitem !!!
    parabens ao autor deste blog .

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*