E o Dialetica?

É claro que a vida é boa
E a alegria, a única indizível emoção
É claro que te acho linda
Em ti bendigo o amor das coisas simples
É claro que te amo
E tenho tudo para ser feliz

Mas acontece que eu sou triste…

Sempre vi na palavra “dialética” um bálsamo para o que nos aflige. Você me fala o que sente, eu digo o que penso, nós confrontamos tudo, compartilhamos uma síntese e seguimos adiante um pouco melhores, com algo mais para ser feliz.

Mas o diálogo rareou, a insegurança se instalou e tristeza cresceu. Como em Vinícius de Moraes, que devia ter lá suas razões para viver à procura do inatingível. Aprendi que dialética é o ingrediente que torna qualquer relação possível.

Enfim, enquanto estiver quitado, o endereço que atendia até esses dias permanecerá com o epitáfio mais feliz que pude arranjar enquanto encaixotava mais uma mudança.

Muitas respostas, poucas perguntasMeu lugar é o seu abraçoDias tristes na chuvaO sofá é mais confortável contigoUm tempo para enxergar o todoQualquer hora a gente lembraMais vida adianteTextinhoUma boa página em nossa biografia

*****

Antes de voltar para a casa antiga, fui dar uma volta pela rua. Fiquei encantado com o que o Evan Williams, aquele cara que pensou em coisas bacanas como o Twitter, fez com o Medium, um excelente lugar para se escrever. Na mesma linha, outro cara – de nome John O’Nolan – pensou em um sistema onde o texto voltasse a ser a coisa mais importante de um blog. Assim, fez uma vaquinha e construiu o Ghost.

É com esse espírito, mas sem perder aquela cara vintage desta década, que este blog volta às suas origens depois de perambular atrás de alguns sonhos. Reaponte seus bookmarks para 2007 e seja bem vindo de volta.

André Marmota adora usar a função “rand” do PHP, combinada com um array repleto de frases diferentes. Paaaaarabéns! Quer saber mais?

Leia outros posts em Sobre o MMM. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (1)

  1. Mudanças… doloridas e necessárias, mas o q dói é o desconhecido. O “inatingível” de Vinícius está no desconhecido. Mas como tatear só o que se conhece e ser feliz?

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*