Consegui cancelar meu cartão de crédito!

– Boa tarde. Seja bem vindo ao atendimento Credebobo. Se você deseja estar informando a perda ou o roubo de seu cartão, disque zero. Para estar conversando com um de nossos atendentes, disque dois.
– (dois)
– Aguarde um momento, que iremos atendê-lo.
– (musiquinha durante cinco minutos)
– Credebobo, Suely, boa tarde, com quem eu estou falando?
– Oi, Suely, eu sou o André, e gostaria de cancelar o meu cartão de crédito.
– Perfeito. Senhor André, preciso estar confirmando algumas informações com o senhor. Qual a data do seu nascimento?
– É sete de maio de mil novescentos e setenta e sete.
– Obrigado por confirmar, senhor André. Aguarde um instante, vou transferir o senhor para o departamento do cartão gold.
– Ok.
– (musiquinha durante três minutos)
– Atendimento Credebobo, Pâmela, boa tarde, em que posso ajudá-lo?
– Oi, Pâmela, então, como eu dizia para a Suely, eu gostaria de cancelar o meu cartão de crédito gold.
– Entendo. Qual o nome do senhor mesmo?
– É André.
– Ah, sim. Senhor André, por questões de segurança, eu preciso confirmar alguns dados. Qual é o seu CPF?
– É duzentos e quatorze trezentos e cinquenta e nove quatrocentos e oitenta e três vinte e sete.
– Obrigado por confirmar, senhor André. Vamos estar transferindo o senhor para o nosso setor de relacionamento ao cliente.
– Tá, e isso demora muit…
– (musiquinha durante cinco minutos)
– Central de Relacionamento Credebobo, Jorge, boa tarde.
– Boas, Jorge. Tudo bem?
– Tudo, obrigado por perguntar. Com quem eu estou falando?
– Então, como eu falava para a Pâmela e para a Suely, eu me chamo André, e gostaria muito de cancelar meu cartão de crédito.
– Só um minuto, senhor André. Eu preciso confirmar uma informação, para efeito de segurança. Por favor, diga o número do seu RG.
– É vinte e sete trezentos e quarenta e nove oitocentos e quinze cinquenta e seis.
– Obrigado, senhor André. O senhor poderia estar me contando o motivo do cancelamento?
– Puxa, pensei que ninguém fosse me perguntar isso. É que eu pedi outro cartão equivalente, mas um daqueles com plano de acúmulo de pontos e vantagens. E eu não pretendo ficar com dois cartões, não preciso disso.
– Entendo. Esse outro cartão pertence a outra operadora?
– Não, e isso é muito engraçado… O cartão também é um Credebobo Gold, só que eu me informei há algumas semanas que, apesar de ter o mesmo nome, são empresas diferentes.
– Perfeitamente, senhor. Houve uma separação da empresa, uma parte pertence agora ao banco Citibost e outra ao Itacrú. E a carteira de clientes também foi dividida.
– É, achei curioso isso. Então eu peço um cartão novo e, de repente, fui informado que meu cartão Credebobo viraria Credebobo Bost, e pelo simples fato de ter dividido a clientela, isso não é uma simples troca de cartão, mas sim um contrato com uma empresa nova e o cancelamento com a velha. Eu, que sou um pobre cliente, não merercia essa dor de cabeça, o senhor não concorda?
– Entendo, senhor. Estou fazendo a verificação no sistema, e estou percebendo que o senhor também possui um plano de capitalização referente ao seu Credebobo Bost Gold.
– Sim, é verdade. E também já sei que, graças a essa separação bacana, eu não posso transferir esse plano para o meu outro cartão.
– Perfeitamente, senhor. Antes de estar procedendo o cancelamento, o senhor precisa estar resolvendo a situação do seu plano. Vou transferir o senhor para o setor de capitalização. Só um momento.
– Mas Jorge, depois eu volto a falar com voc…
– (musiquinha durante dois minutos)
– Credebobocap, Silvana, boa tarde, com quem eu falo?
– Oi Silvana, meu nome é André, e pretendo cancelar meu cartão de crédito Credebobo Gold. Mas para isso, eu preciso interromper meu plano de capitalização. Poderia fazer isso por mim, por gentileza?
– Ah, sim, senhor André. Antes de prosseguirmos, eu preciso confirmar com o senhor um negocinho. Qual é o nome da sua mãe?
– É Helena.
– Obrigado por confirmar, senhor André. O senhor deseja cancelar seu título de capitalização. Poderia me explicar o motivo exato?
– Então, Silvana, como te disse há alguns segundos atrás, eu pretendo cancelar meu cartão. Antes de tomar essa decisão, eu pensava que seria possível transferir esse plano para outro cartão Credebobo que pedi, mas descobri que não dá, porque meu cartão novo é do Itacrú, e esse velho é do Citibost.
– Sim, o senhor está certo. Bem, senhor André, de acordo com nosso sistema, o senhor pagou trinta e seis parcelas do plano de sessenta meses, portanto o senhor terá direito ao resgate de oitenta e dois porcento do valor total aplicado. O senhor confirma o resgate e o cancelamento do plano?
– Infelizmente, eu não tenho outra escolha a não ser deixar essa graninha extra com vocês.
– Entendo. Senhor, quando o senhor esteve começando com o plano Credebobocap, o senhor provavelmente tinha planos para estar usando esse dinheiro no futuro, não é mesmo?
– Bem, na verdade, eu só comprei esse plano porque alguém do telemarketing da Credebobo me ligou há uns três anos, num sábado pela manhã, falando que eu poderia economizar todo mês e ainda concorrer a prêmios. Queria desligar logo e autorizei a cobrança mensal na minha fatura. Se soubesse que cancelaria o cartão e perderia um pouquinho de dinheiro, jamais teria aceitado essa encrenca.
– Entendo, senhor. Mas o senhor tem algum sonho, não tem?
– Sim, todos temos sonhos. Mas o que isso tem a ver com o meu cancelamento do plano de capitalização de vocês?
– Então, senhor André, o senhor sabe que com o plano Vip Sessenta da Credebobocap, o senhor concorre todo mês a um fabuloso prêmio em dinheiro, e o senhor poderá realizar todos os seus sonhos!
– É, Silvana o seu nome, né?
– Sim, senhor.
– Silvana, você é solteira ou casada?
– Sou solteira, senhor.
– Pois é. A chance de eu ser sorteado com esse plano é a mesma de um sujeito milionário encontrar você na saída do seu trabalho e lhe dizer, Silvana, você é a mulher da minha vida. Quero me casar com você agora mesmo. Então, Silvana, o seu sonho, assim como o meu sonho, não dependem exatamente do seu plano de capitalização.
– Entendo, senhor. Vou estar providenciando o cancelamento do plano e o depósito do valor resgatado em sua conta corrente. Aguarde um momento, por favor.
– Obrigado, Silvana.
– (cinco minutos de silêncio)
– Mais um momento, senhor André.
– (seis minutos de silêncio)
– Por favor, senhor André, mais um instante.
– (quatro minutos de silêncio)
– Obrigado por aguardar, senhor André, e peço desculpas pela demora. Confirmando então o cancelamento do seu plano Vip Sessenta da Credebobocap e o depósito do valor de cento e duzentos cruzeiros na sua conta corrente. Algo mais?
– Legal, Silvana, agora eu gostaria que você me transferisse pro Jorge, do setor de relacionamentos, para eu tentar cancelar meu cartão.
– A Credebobocap agradece a sua ligação e está lhe desejando uma boa tarde.
– Pra você também, bom trab…
– (musiquinha durante dois minutos)
– Central de Relacionamento Credebobo, Pablo, boa tarde. Com quem estou falando?
– Oi, Pablo. Eu me chamo André, Como eu estava dizendo, quer dizer, como eu DISSE ao seu colega Jorge, eu gostaria de cancelar meu cartão de crédito. E já estou há uma meia hora no telefone, tempo suficiente para acabar com o meu plano de capitalização e conhecer a voz de umas três ou cinco pessoas.
– Entendo… Senhor André, o senhor poderia confirmar por gentileza o seu CEP?
– Ah, é pra minha segurança, né? É zero oitenta e dois quarenta e sete zero setenta.
– Obrigado, senhor André. Para nós, da Credebobo, é muito importante que o senhor esteja permanecendo conosco. Por isso gostaria de estar ouvindo do senhor os motivos do cancelamento.
– Então, Pablo, já contei essa historinha pro seu amigo Jorge e pra outra moça solteira, a Silvana. Mas tudo bem, eu conto pra você também. Ocorre que eu pedi um novo cartão Credebobo Gold, daqueles que somam pontos a cada pagamento. E eu imaginava que poderia substituir um pelo outro, com facilidade. Mas fui surpreendido por uma operação empresarial fascinante, que simplesmente separou os rebanhos de clientes em dois grupos, os do Citibost e os do Itacrú. E são dois grupos incompatíveis, praticamente concorrentes, apesar dos dois estamparem em seus cartões a marca da mesma empresa, Credebobo. É confuso, não acha?
– Entendo, senhor André. Pelo que estou verificando aqui, o senhor possui nosso Credebobo Bost Gold Masterplus desde noventa e seis…
– Sim, faz tempo. Ainda era o Credebobo universitário, um cartão azul bem mequetrefe. Mas graças a ele, fiz as minhas primeiras compras na Booknet, que hoje virou Submarino… Enfim, não sei se você lembra.
– Pois então, senhor André, o senhor pode estar usufruindo todas as vantagens de ser um cliente Credebobo Bost Gold, com descontos em inúmeros estabelecimentos, promoções espetaculares, além de serviços de crédito indispensáveis! Imagine, senhor André, o senhor vai levar mais dez anos para conseguir os mesmos benefícios usando seu novo cartão…
– Bom, Pablo, vou ser franco. Em dez anos, eu só usei meu cartão para concentrar despesas e pagar tudinho de uma vez no começo do mês. É uma necessidade particular, para controlar com mais facilidade as minhas contas, que nunca tiveram lá muito controle. Então, num belo dia, descobri que poderia ter um cartão que junta pontos, e só por isso decidi trocar. Não faz sentido pagar duas anuidades de dois cartões, só pra continuar usufruindo das suas vantagens bacanas, sabe?
– Entendo, senhor André… Mas se a motivação do senhor para estar possuindo um novo cartão foi a fidelização dos pontos, nós temos aqui o Credebobo Bost Cashcash, onde os pontos não correspondem a serviços específicos, mas sim a dinheiro vivo, em reais!
– Olha, Pablo, deixa eu te dizer outra vez, eu não preciso de dois cartões, eu…
– Desculpe interrompê-lo, senhor André, mas gostaria de lembrá-lo que, em nome da Credebobo, eu ressalto a importância de contar com o senhor como nosso cliente. E se o problema for, por exemplo, o valor da anuidade, podemos acertar um valor compatível com as suas despesas, para que na prática, o senhor pague uma quantia semelhante a de um cartão!
– Enfim, como eu estava te dizendo, eu não me importo com as suas vantagens, nem com o tempo que sou cliente. Eu até compreendo a sua atitude heróica em me convencer a ficar com o cartão, mas veja, não é como uma separação depois de dez anos casado. Não é pra ser assim, dolorido. Eu não tenho nenhuma queixa aos bons serviços prestados pela Credebobo, tanto é assim que, na minha ingenuidade, sem levar em conta a divisão da empresa, eu pedi um novo cartão que também traz a palavra Credebobo em cima.
– Eu entendo, senhor André. Agora, tudo que eu lhe peço é uma oportunidade para pensar a respeito das vantagens do cartão Credebobo Bost Gold Masterplus Cashcash, permaneça com ele, poderá ser útil…
– Pablo, eu estou tentando dizer que eu não preciso de dois cartões, como é que ele vai ser útil? Sem falar que, nesse mês, a fatura desse cartão velho já veio com a cobrança da primeira parcela de anuidade… Não tem mais tempo pra pensar…
– Senhor André, pense comigo. O senhor não usa o seu cartão para pagar contas diversas, como água, luz e telefone?
– Bom, na verdade, essas contas entram no débito automático, nem sabia que podia usar o cartão…
– Pois o senhor pode, e vou mais longe, pode ainda pagar qualquer boleto bancário usando o seu cartão, até mesmo a fatura do seu outro cartão!
– Como é? Pagar um cartão com outro?
– Isso! Se o senhor efetuar o pagamento do seu cartão Itacrú, que é de um banco, usando o do Citibost, por exemplo, o senhor recebe os pontos das vantagens do primeiro cartão, e ao mesmo tempo, recebe os pontos do segundo!
– Mas isso é… É… É ridículo!
– Não é, senhor André. Veja um exemplo. O senhor tem um cartão vencendo no dia cinco. Mas por algum motivo, não tem dinheiro para pagar a fatura. Você paga usando o seu outro cartão, que vence no dia vinte, por exemplo, pagando uma taxa de um virgula nove porcento por cada boleto, e tem mais tempo para pagar!
– A há! Então tem porcentagem quando eu pago um cartão com outro, então eu perco dinheiro!
– Não, senhor André, o senhor ganha! Pense comigo. Se o senhor não tivesse dinheiro, pagaria três virgula cinco porcento de juros por cada dia de atraso, mais os encargos. Usando o cartão Cashcash, o senhor paga apenas um virgula nove porcento, e ainda soma mais pontos para resgatar em dinheiro quando desejar. Pense, senhor André, é uma grande vantagem!
– Pablo, eu tenho que tirar o chapéu para você. Estou ao telefone há pelo menos uma hora, tentando um procedimento simples de cancelamento de cartão, e ainda não consegui. Mais do que isso, diante de todo o seu esforço, eu tinha era que continuar com ele e viver com dois cartões que fazem exatamente a mesma coisa, porque isso é muito legal. Parabéns, Pablo.
– Obrigado, senhor André.
– Parabéns, mesmo. Mas olha, você não está conseguindo fazer com que eu mude de idéia. Tudo bem, não é culpa sua. Por exemplo, em quem você vai votar?
– Eu? Bom, eu vou votar no Lula.
– Pois é, eu também. E boa parte dos brasileiros vão fazer o mesmo, e já decidiram isso há muito tempo. Agora imagine o Geraldo ao seu lado, conversando por uma, duas, cinco horas intermináveis, tentando convencer você das vantagens que ele apresenta, de como ele pode ser tão bom ou até melhor que o outro… Vai adiantar?
– Bem, eu…
– Eu digo pra você, Pablo. Não vai adiantar piciroca nenhuma, porque você já tomou a sua decisão. Já viu que o Geraldo é um banana, e que o Lula, por pior que seja, é melhor que ele. É igual com o meu cartão, Pablo. Quando eu pedi o novo, eu já tinha decidido cancelar o antigo. Minha decisão já estava tomada muito antes de pegar meu telefone do gancho há duas horas atrás e resolver esse problema. Enfim, eu preciso cuidar da minha vida, e você, provavelmente, precisa persuadir outros clientes, então que tal resolvermos isso agora de um jeito simples e rápido, hein? O que me diz?
– Bom, senhor André, já que a sua decisão de não estar fazendo mais parte da nossa família é definitiva, eu vou estar prosseguindo com o procedimento de cancelamento, o senhor confirma?
– Uffff… Confirmo.
– Obrigado, senhor André. Por gentileza, aguarde um momento. Permaneça na linha.
– (quatro minutos de silêncio)
– Mais um momento, senhor André. Por favor, não desligue.
– (dez minutos de silêncio)
– Por favor, senhor André, não desligue, eu insisto. Estamos providenciando o cancelamento.
– (doze minutos de silêncio)
– Obrigado por aguardar, senhor André. Sua solicitação de cancelamento foi aceita com sucesso. Algo mais?
– Puxa, é só isso? Acabou?
– Sim, senhor.
– Então tá, né? Acho que é só isso então.
– A Credebobo agradece o seu contato e está lhe desejando uma boa tarde.
– Pra você também, Pablo. Bom trabalho.

Vitória da teimosia diante da burocracia! O próximo passo é cancelar a linha telefônica extra que tenho em casa. Essa é mais difícil: preciso tirar cópias do RG e CIC originais, escrever uma carta de próprio punho explicando os motivos do cancelamento, enviar pelo correio (isso ainda existe) e aguardar por dez dias. Cancelar coisas assim devia ser fácil como comprá-las.

(Postado em 06/10/2006. Calhau em homenagem ao Doni)

Comentários em blogs: ainda existem? (12)

  1. Haha, bela saga para cancelamento de cartão. Enfrentei algo parecido ontem tentando convencer a atendente de uma operadora de cartão, que me descobriu não sei como passando férias em casa com a família, que não tenho renda, não compro a crédito, e sou apenas uma estudante, e que portanto seria completamente ilógico me darem um “supercartão de crédito, já com crédito pré-aprovado, que chegará em sua casa, inteiramente grátis, nos próximos 15 dias!!!”.

  2. Meodeos!
    Que horror, não?

    Ontem fiquei uma hora com vários atendentes da telefonica.
    No final, fiquei com 2 números de protocolos e devo esperar eles me retornarem…
    O pior: hoje um ser de lá me retornou, perguntando se podia mandar um técnico sei lá pra que! Eu disse: minha filha, eu não preciso alterar minha velocidade para x pq eu já tenho x. O que eu pedi foi outra coisa!! Ela: ah é, vc já tem x mesmo! O.o

  3. Misericórdia!Será que deixando acabar a validade e não desbloqueando o novo,será que dá certo?Eu num aguento isso tudo,vc é jovem,eu sou uma senhora bobalhona perto de ser enquadrada como idosa!Parabéns,viu?Se fosse dessas meninas que mandam aqueles selinhos prêmios,faria um especial pra vc:rei da paciência no telemarketing.

  4. Eu acredito que essa história é 100% verídica. E por dois motivos:

    A palavra “mequetrefe” e a palavra “piciroca”! XD

    Abraço!

  5. essa foi muito boa,… eu tenho um amigo que é muito louco… ele tambem tentou cancelar um cartão que nunca havia pedido.. como não conseguiu.. sabem o que ele fez.. eh ele fez compras com o cartão e não pagou.. agora eles cancelaram e ficam ligando pra ele todo mes cobrando a fatura… hjehehe e ele não atende… pois não aconselho fazer isso, porque vc ira sujar seu nome… mas no caso dele eu achei muito engraçado ele contando…

  6. Cara, que doideira, eu já teria surtado. Essa semana mesmo cancelei minha linha e speedy com a telefonica, foi um pau só. No final das contas, cancelaram minha linha e colocaram um pabx operando no meu endereço. Pode? Informei o ocorrido e até o momento(3 dias depois), permaneço com duas linhas disóníveis num aparelho só e sem dono. Não estou utilizando por questões óbvias e de cidadania, não sei a quem pertence as tais linhas e não quero pagar pela irresponsabilidade da telefônica. SORTE A TODOS!!!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*