Como entrar na legião de blogueiros MT

Não lembro exatamente, mas certamente deve ter sido num domingo à noite. Depois de elaborar aquele post enorme, o blogger teimava em não colocá-lo no ar. Limitava-se a pedir desculpas pelo transtorno. Naquele instante, lembrei de algumas palavras do norte-america-pernambucano Evilasio:

– Cara, tu precisa ter um domínio próprio e usar o Movable Type.

O Evilasio, ex-blogspot, estava radiante com as possibilidades dessa ferramenta para gerenciar blogs. Com toda razão: ao contrário dos sistemas gratuitos disponíveis por aí, o Movable Type centraliza todas as funções – e o melhor: com pequenas chances (quase nulas) de travar. Sem falar nos recursos disponíveis, como a organização do sistema de arquivos, por exemplo.

Ficou tentado? Mantenha a calma e pense bem. Ou melhor, pense muito: é preciso dar um grande passo para elevar o seu blog a essa categoria. Antes de mais nada, avalie o grau de importância que você dá ao seu cantinho. Para valer a pena, sua relação com o blog deve ser intensa. Se você não acredita nessa história de modismo, vê algo interessante e já pensa em um post, ou imagina como vai comemorar um ano de blog daqui a dez meses, eu diria que o seu potencial é grande.

A empolgação aumentou? Vamos ver se ela resiste a esse duro golpe: o Movable Type é gratuito, mas vai ser preciso gastar uma graninha… Pois é. Registrar um domínio: trinta paus para os ponto br, ou trinta dólares pelos sofisticados ponto com, ponto org… Mais: um serviço de hospedagem, que custa em média, quinze paus por mês. Um gasto normalmente não patrocinado – é o preço que se paga para sair da anarquia…

Essa é a hora crucial. Daqui para frente, vai ser preciso mergulhar de cabeça no mundo maravilhoso do Movable Type! Ou então pedir ajuda para alguém que já saltou do trampolim, quer dizer, instalou o programa, testou os scripts, importou os posts, adaptou o layout… Dependendo do seu tempo livre e interesse, todos esses detalhes são facilmente resolvidos em alguns dias.

Dá um trabalhão. Apesar disso, pasmem, essa legião não para de crescer – sinal de que, preenchendo todos os requisitos, vale a pena experimentar. Começou com o Evilasio e com o Marco Aurélio. Na sequência, veio o Ricardo, o Danilo, o Otávio, a Val, a Paula, o Thiago, o MárioAV, os mestres do Wunderblogs e do Gardenal… O último a se alistar foi o Paulo Polzonoff, como bem lembrou o Inagaki.

Aliás, tal tendência fez com que o cumpadi arriscasse um palpite que vale uma discussão: “sou tentado a dizer que a blogosfera tupiniquim começa a alcançar níveis profissionais”. Pode ser, afinal o pessoal começa a abrir mão dos serviços gratuitos e despretenciosos, fáceis de instalar… Tudo é uma questão de necessidade.

Enfim, se você chegou até aqui e não perdeu o pique, pode ser que você esteja “bloguiado” o suficiente para para entrar na legião do MT. Quer saber mais? Não deixe de conhecer a versão brasileira do Movable Type, com todas as explicações necessárias – um trabalho de primeira elaborado pela Luciana Misura e o Evandro Maciel. No futuro, você poderá, entre outras coisas, assinar a lista mantida pelo Fábio, testar plug-ins em seu novo blog, trabalhar com RSS… Ops, vamos deixar para falar sobre o RSS outra hora.

André Marmota acredita em um futuro com blogs atualizados, livros impressos, videolocadoras, amores sinceros, entre outros anacronismos. Quer saber mais?

Leia outros posts em Bloguiado. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (6)

  1. Hmmmm realmente eh uma tentação…quem sabe quando eu comemorar um ano de VIDA PARALELA, eu nao resolva investir…Mas eu testei usar o MT quando postei no TECENDO IDEIAS outro dia…Muito bom mesmo! :)Bom, adorei seu post…Beijinhos pra vc

  2. Realmente… tem horas que dá vontade de pagar uns troquinhos para que a gente possa postar a hora que quiser…. O ser blogger é também saber contar até três para não perder a paciência…

  3. Eu ainda não consegui entender o “porque” de blogar. Aliás, continuo em “crise existencial” de blog, pois não consigo achar o motivo porque blogo.Se fosse ainda algo lucrativo ou rentável, tudo bem, tá explicado. Mas aparentemente todo o trabalho em escrever é recompensado por um pequeno número de leitores.Chego à conclusão de que blog é uma vaidade. E a idéia de “profissionalizar” o blog não seria uma vaidade maior ainda, misturada com pretensão de ser algo maior do que um blog?Blog é blog, não é site. Mas alguns blogs acabaram se tornando sites, e se desvirtuaram do propósito inicial.Como a internet em seu boom inicial, ainda não entendo qual é a fórmula de um blog. Mas, mesmo assim, continuamos tentando.

  4. a mesma dúvida me persegue: o por quê disso tudo? umbiguismo já me falaram. outros dizem que é terapêutico. só sei que vicia!

  5. Oi Vincent, e no caso do meu blog? Sua página principal é um blog, mas ele possue seções de um site normal. Então me desvirtuei do propósito inicial? Cheguei até ao extremo de ter um blog dentro de outro blog (seção downloads) :) MacroAbraços,

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*