Cinco coisas boas para se fazer em Porto Alegre

Preciso pedir desculpas ao Ian por ter “invadido” sua proposta sem pedir. Mais do que isso, outra vez eu vou acabar desvirtuando sua idéia original: sua série de cinco coisas boas de algumas cidades do Brasil partem do pressuposto que o nativo, ou o morador do lugar, possa levá-los a cantos inexplorados.

Porto Alegre é assim Infelizmente, eu não moro em Porto Alegre. Mas não é segredo para ninguém: se eu pudesse, embarcaria agora mesmo com a minha malinha e passaria o resto dos meus dias por lá. O fato é que de tanto pensar nisso, além de conversar com amigos de lá – especialmente aqueles que não vêem a hora de morar em São Paulo, onde as coisas acontecem – acabo invariavelmente relegando esse plano para o fim da lista. É provável que eu só realize esse sonho quando estiver aposentado.

É uma pena que eu não conheça Porto Alegre como eu gostaria. Infelizmente nunca estive na cidade durante a Feira do Livro, nos arredores da Praça da Alfândega. Nem durante a apresentação de Tangos e Tragédias no Teatro São Pedro. Menos ainda na Semana Farroupilha, espécie de “feriado nacional” do estado, onde o “entre outras mil és tu Brasil ó pátria amada” dá lugar ao “Sirvam nossas façanhas de modelo a toda a terra”. Ou, como diz o Marcelo Träsel, “assistir aos gaúchos comemorarem fantasiados de peões de estância uma guerra separatista que na verdade perderam”. Deve ser uma coisa de louco.

Porto Alegre é assim Apesar disso, eu me sinto muito à vontade para escrever sobre cinco coisas que só dá para fazer na capital gaúcha, o que a torna tão apaixonante. Evidentemente, fica muito mais fácil quando contamos com o auxílio de outros amantes da cidade, que me ajudaram a formatar este “Porto Alegre essencial” com alguns de seus encantos.

#5 Assistir a um jogo do Inter no Beira-Rio – “Dá para saber que está acontecendo um jogo da dupla Gre-Nal, mesmo não tendo conhecimento. A mobilização nas ruas é muito grande”, lembra a Joanna. É claro que você pode visitar aquele estadiozinho esquisito, encravado na avenida da Azenha. É legalzinho também. Mas se você tiver apenas uma chance de acompanhar um time de futebol na cidade, prefira o templo batizado com o nome do comandante das suas obras, José Pinheiro Borda.

Claro que, se for fazer, faça direito. Comece sua peregrinação no Shopping Praia de Belas – especialmente se você for de carro, estacione ali mesmo. A caminhada em direção a avenida Padre Cacique, em direção ao Parque Gigante, é acompanhada pelos “brigadianos”, pelos vendedores de flâmulas, camisas, bandeiras e almofadinhas (há quem leve a sua para as arquibancadas), além da movimentação intensa dos Colorados – com ou sem radinho de pilha à tiracolo.

Marmota em Porto AlegreAntes de ir ao seu portão, não deixe de contemplar a grandiosidade do Beira-Rio e passar na lojinha para comprar algum souvenir vermelho e branco. Se a Renata Pimentel convidar você, certamente você vai se instalar ao lado das torcidas organizadas. Provavelmente você vai encontrar o José Antônio, o Xuxu, torcedor-símbolo do Inter e figura conhecidíssima no Brasil inteiro.

Mas também dá pra se divertir nas cadeiras numeradas, onde também passam os tradicionais vendedores de cerveja, refrigerante… E café! (Não conheço outro estádio com esse tipo de ambulante). Ou, sem querer, esbarrar com o Luciano Périco, o Lucianinho, repórter da Rádio Gaúcha, campeão no quesito “animação de torcida” e sujeito de um coração enorme.

Evidentemente, o passeio fica ainda melhor quando o Inter vence.

Porto Alegre é assim#4 Ir à CCMQ e arredores da Rua da Praia – “Gosto de andar de trem, sendo que na verdade é metrô”, diz o Rodgers Sabbath’s, outro fã da cidade. “A gente usa o metrô, mas chama de Trensurb”, corrige a Dani Koetz (que, infelizmente, é gremista). De fato, o sistema de transportes públicos é muito bem organizado: quem vem de Trensurb da Grande Porto Alegre e desembarca na estação Mercado pode, a partir dali, pegar um ônibus com facilidade para qualquer região da cidade – o Parcão, por exemplo, que fica no sofisticado bairro Moinhos de Vento. Outras nove linhas, chamadas transversais, servem os bairros mais distantes.

Mas o mais gostoso é caminhar pela cidade. Subir a Borges de Medeiros até a Duque de Caxias, encontrando o Palácio Piratini, a Assembléia Legislativa, o Momumento à Júlio de Castilhos, a Catedral… Dali caminhar pela Rua Riachuelo e descobrir, em algum sebo, aquele livro ou revista que você julgava esquecido no tempo.

Algumas quadras dali e, finalmente a Rua dos Andradas – cujo nome original no Século XIX era Rua da Praia. Em alguns pontos do calçadão, os postes de luz arredondados já se perderam no meio das centenas de prédios comerciais, sem falar nas milhares de pessoas que passam ali todos os dias. A Rua da Praia é passagem de alguns dos pontos turísticos mais conhecidos, como a Igreja de Nossa Senhora das Dores.

Porto Alegre é assim Mas a verdadeira unanimidade desse pedacinho da cidade é a Casa de Cultura Mário Quintana, onde funcionava o luxuoso Hotel Majestic. O meu poeta preferido morou ali no quarto 217 entre 1968 e 1982, por isso o lugar se transformou em centro cultural, em 1990.

E enquanto você toma um café no terraço e medita às margens do Guaíba, “todos esses que aí estão / atravancando meu caminho, / eles passarão… / eu passarinho!”

#3 Passear na Redenção num domingo – A Renata Pimentel acorda cedo para não perder esse programa: ao lado dos amigos, e munida de cuia, bomba, erva e garrafa térmica, se manda para o Parque Farroupilha. Minha amiga Ana Rosa, que morou lá por quatro anos, lembra ainda que “ao andar pela rua num domingo e ver todas as churrasqueiras dos prédios fumegando”. A grosso modo, ou o porto-alegrense fica em casa assando carne ou vai para a Redenção.

Porto Alegre é assim

O parque é o maior da cidade, e em domingos agradáveis, enche mesmo – o melhor a fazer é deixar o carro em casa e desembarcar no bairro Bom Fim, arredores da João Pessoa ou Oswaldo Aranha. Com sorte, dá até para entrar sem filas no Café do Lago, só para ver o tempo passar. Se a lotação não permitir nada além de caminhadas, marque com seus amigos no Monumento aos Expedicionários, um duplo arco do triunfo que serve como ponto de encontro, antes de circular todo pimpão e serelepe.

Porto Alegre é assimA grande atração do domingo é o Brique da Redenção, tradicional feira de artesanato e antiguidades. Nada muito especial: quem já foi a Benedito Calixto em São Paulo, ou a feirona da Afonso Pena em Belo Horizonte, não vai se emocionar. Também não é o lugar mais barato para comprar presentes.

Mas o grande barato do brique são as criaturas peculiares, que convivem com as barraquinhas. Diversos artistas de rua, desde as manjadas estátuas vivas, passando por palhaços tarados, pintores expressionistas que usam apenas giz e asfalto, militantes do PT… Sem falar no tiozinho com o “gato no saco” (sem maldades).

Ele usa sua desenvoltura e técnicas rudimentares de ventriloquismo para vender pequenos “apitos”, feito com bambu e tiras de balões de ar. Daqueles que se colocam sobre a língua e, ao soprar, emitem um som parecido com o ronronar de um bichano. O performático usa um linguajar popular para interagir com o “gato” e com a platéia, garantindo algumas risadas.

#2 Virar a noite na Cidade Baixa – Essa é a parte que o Márcio Zé Pedroso adora, a qualquer hora do dia ou da noite: beber uma cerveja Polar bem gelada na companhia dos amigos. A Cidade Baixa, um dos mais antigos bairros da cidade, é o lugar perfeito pra isso.

Porto Alegre é assimNão tem como não passar a noite inteira conhecendo o local preferido dos boêmios da cidade, invadindo os bares da Lima e Silva, República e João Alfredo. “E não enjoar de ver tanta mulher bomita num lugar só”, lembra o Sabbath’s. “Ah, até cobrador de ônibus ou balconista de farmácia são lindos”, completa a Ana Rosa. Aaahhh, as gaúchas…

A Cidade Baixa também é um bom lugar para comer. “Dá pra se acabar na lasanha monstro da lanchonete Copão”, diz o Zé. “Eu prefiro pegar fila pra comer no Tudo Pelo Social”, diz o Sabbath’s. Pessoalmente, compartilho da mesma sugestão da Joanna: comer “xis” com muita maionese no Cavanhas.

Aliás, sugestões nesse quesito não faltam. Se você não gosta do ambiente mais “popular”, pode tentar algo mais requintado na Avenida Goethe. O Dado Bier, perto do Shopping Iguatemi, é outro lugar muito badalado. O Träsel sugere ainda o pernil de cordeiro da churrascaria Porto-Alegrense, no bairro Navegantes. Também dá para comer outro tipo de carne, nas boates Gruta Azul, Carmen’s Club ou La Barca… Ok, estas são para virar a noite de um outro jeito. Aaahhh, as gaúchas…

#1 Ver o pôr-do-sol no Guaíba – Impossível não dizer que esta opção foi simplesmente unânime, o que nos leva a crer que o final da tarde em Porto Alegre é um negócio sagrado, que deve ser celebrado sempre que possível.

Na última vez que fiz isso, preferi não subir ao terraço da Usina do Gasômetro, ou ao Hotel Majestic. Fiquei na calçada da avenida Edvaldo Pereira Paiva, a Beira Rio, a mercê dos transeuntes – e dos guris que me olhavam com cara feia, como se quisessem me assaltar.

Porto Alegre é assim

“O mais legal dessas coisas todas é levar amigos para conhecer tudo e ainda ensinar a letra de Tertúlia, Canto Alegretense, Porto Alegre é Demais, Deu Pra Ti e o Hino do Grêmio”, finaliza a Dani Koetz. Tem ainda aquela que começa com “glória do desporto nacional”.

Faltou alguma coisa? Não deixe de me contar, para que eu possa descobrir um pouco mais da minha cidade preferida assim que puder.

André Marmota formou-se jornalismo e ainda estuda o tema na pós-graduação. Mas o que importa é ter saúde, não é mesmo? Quer saber mais?

Leia outros posts em Top 5. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (29)

  1. Ai, que vontade que me deu de conhecer todos esses lugares! O mais perto que cheguei da Casa de Cultura Mario Quintana foi ter editado o livro juvenil do diretor de lá, o Sergio Napp, uma simpatia de pessoa. E o que é aquele pôr-de-sol?! E eu nunca estive num estádio! Ai, lendo essa descrição tão legal eu sinto que preciso viajar mais. E, se você quiser ser meu guia em Porto Alegre, eu não vou achar ruim… Bjos

  2. Pois eu não pensaria duas vezes: entre Porto Alegre e São Paulo, ficaria com Poá, tchê!

    Aliás, entre qualquer coisa e São Paulo, eu provavelmente ficaria com qualquer coisa…

    :)

    Principalmente se fosse o Rio, apesar das balas perdidas. Ah, o Rio…

  3. Aff…
    E agora me deu vontade de voltar pra POA! Sei que vc falou somente sobre a capital…mas, estando por lá, por que não subir a serra e se acabar no Café do Bela Vista?

    ;-)

    Ah!
    Tango e tragédias é muito legal (tenho CD autografado e tudo… hehehe) mesmo que role um certo preconceito com as cariocas… Mas onde não rola, não é mesmo? ;-P

    Bjus, guri…

  4. Alô, Marmota!
    Já leio seu blog há tempos, e hoje tomei a liberdade de comentar… tô de viagem marcada prá sábado à PoA, passar o feriadão conhecendo a cidade…
    Com certeza vou tentar ir na maioria dos lugares… (e é uma pena não ter jogo do Inter neste fim de semana!).
    Valeu pelas dicas!!!

  5. se soubesse que era colorado, nem tinha respondido à tua pesquisa. heheh.

    “muito afudê” o texto, pra usar uma expressão porto-alegrense. :-)

  6. Ai André o top 5 ficou otimo mesmo, agora imagina a turma do “NEM FÚÚÚÚÚÚÚÚ” passando uma temporada de ferias todos juntos em POA hein ajaahahhahahahahahaha.
    Acho que seriamos ou explusos da cidade ou ficariamos la de vez ahahahahaha.

    Quem sabe um dia essa excursão não da certo heinahahhahaa.
    Abração

  7. Trocaria o beira-rio pelo Olímpico por razões óbvias e não deixaria de conhecer a Lancheria do Parque na Osvaldo Aranha por motivo nenhum.

    • Concordo com a troca do Estádio também por motivos óbvios rsrsrs, pena que parece que agora não temos mais o Olimpíco e sim a Arena que não será do Grêmio mas da cidade, é verdade isso? Bem, descobrirei isto semana que vem quando aportar nos “Pagos Portoalegrenses”.

  8. Ola, sou porto alegrense achei fanstástico o teu texto sobre a nossa amada cidade, narras com eloquência e uma riqueza de datalhes, parabéns.

  9. Olá, como morador de uma cidade da Grande Porto Alegre, gostei muito do seu texto sobre POA e gostaria de fazer uma sugestão a quem vier nos visitar, não percam a oportunidade de subir a serra até as cidades de Gramado e Canela, são lugares maravilhosos na minha opnião e como disse a amiga mais acima, não deixem de experimentar o Café Colonial Bela Vista, é uma coisa de outro mundo. Não sei se poderia postar isto aqui mas se não podia por favor me desculpem e editem o post, os links abaixo é para o pessoal ter uma idéia do que estou falando, respectivamente o café e um pouco sobre Canela.

    http://www.belavista.tur.br/index_arquivos/Page353.htm

    http://www.canela.tur.br/pontosturisticos.htm

  10. Olá Marmota,
    excelente texto sobre POA! Adorei!!! Pretendo passar uns dias nessa cidade e essas informações me foram super válidas. Já haviam me falado sobre o por do sol no guaíba (que , realmente, é unanimidade) e da casa da cultura do mario quintana. as outras dicas só vieram a acrescentar às que recebi. obrigada.
    abraços,

  11. Deu Pra Ti Baixo Astral, Vou Pra Porto e Bah! Tri Legal.
    Fantástico seu texto sobre 5 coisa legais para se fazer em POA, embora tenha mil coisas para ser feito.
    Ah não posso esquecer, visite Nova Petrópolis e Almoce no restaurante Torques, ah aquela costela 12 horas…..e a sobremesa então!

    Um abraço e não deixe nunca de vir nos visitar.

  12. Olá sou de porto alegre, nasci e moro aqui desde que nasci e acredito que voce como tantos outros conseguiu descrever nossa cidade taum bem que ate me arrepiou, suas palavras foram mais que extraordinarias e seus comentarios mais q reais… soh assim , lendo palavras de outros para percebermos o quanto temos sorte de morar aqui e com certeza vou comecar a prstar mais atencao ao passar ao centro na rua da praia e nu instituto MQ… aa voce só se esqueceu do marinha um belo parque em frente ao shopping PdBelas… um otimo lugar pra ver o POR!
    abracos e orbigado pelas palavras!

    E DALEEE GREEEMIOOO!!!

    • Que legal isso de ver sua própria cidade pelos olhos dos “estrangeiros”. É realmente muita sorte sua morar nesta cidade tão linda onde eu apenos consigo passar alguns dias do ano. Sou de Curitiba, amo minha cidade mas, a cidade do meu coração farroupilha é Porto Alegre e também sou SUPER GREMISTA (Coxa Branca aqui em Curitiba). Parabéns pela visão de “começar a prestar mais atenção em sua própria cidade”.

  13. ola meu pai era de porto morava na joao alfredo numa casa antiga era muito bom depois minha vo e minha tia foram para lima e silva com republica no 480 predio antigo tenho vontade de voltar pois gosto muito de la hoje meu pai ja e falecido mais ainda tenho parentes na lima e silva pois e tudo que se falar de bom ainda e pouco

  14. Parabéns pelo blog. Muito bom os textos e fotos. A única infelicidade é com relação ao comentário sobre a revolução farroupilha. Não foi uma guerra perdida mas a única revolta armada (houveram outras – cabanada, sabinada,…) que terminou com um cessar fogo assinado em Poncho Verde. É verdade que não haviam outras alternativas aos farroupilhas, mas com certeza os interesses que levaram a guerra foram preenchidos: a história do charque e o desprezo pela província. É questão de dar uma olhada nos livros de história.
    grande abraço

  15. Infelizmente não posso concordar com voces.Morar em POA é muito chato, não tem o que fazer e as pessoas realmente acreditam que tudo que é daqui é melhor do que do resto do mundo.Não por falta de estudo ,mas a ignorancia das pesssoas é insuportável.Uma capital que o comercio fecha na hora do almoço é o fim…

    • O comércio fechado em minha (nada modesta)opinião já é em si sinal de Cultura. Cultura não se compra se aprende. Porto Alegre transpira cultura e política. Amo demaissssssss.

  16. Voce foi feliz no seu texto. sou de SC e viajo com frequência para POA, inclusive naquela foto do cavanhas eu estava lá assistindo o jogo (não estou na foto…).
    Sugiro que realmente conheça e venha na semana farroupilha, inclusive no desfile.mesmo sendo morador do interior, já mais vi manifestação de amor a um “pago” como no 20 de setembro.

  17. Eu simplismente acho Porto Alegre muito entediante… não tem nada pra fazer aqui! Prefiro muito mais São Paulo ou Rio de Janeiro! ^^ Estou em Porto Alegre, num domingo chuvoso, e não existe absolutamente NADAAA pra se fazer aqui!

    • Até a chuva em Porto Alegre deve ser mais linda que em qualquer outro lugar do mundo!!! Sou de Curitiba e amo minha cidade mas depois de Curitiba só Porto Alegre mesmo…Porto Alegre é DEMAIS (não conheço melhor slogan para descreve-la.

  18. Amei ler seu texto sobre Porto Alegre e de nenhum lugar que eu já conheci até hoje se compara com essa cidade.
    Em Porto Alegre tem tudo que existe em qualquer outra capital, porém mantem um ar Europeu.
    Sem contar que as mulher mais lindas do mundo são as Gauchas.

    Um grande abraço e “você que não conhece o meu Estado, tá convidado a ser feliz nesse lugar”.

  19. Porto Alegre é um cidade feia e decadente… Achava que POA era um lugar desenvolvido, com pessoas de mentalidade aberta, nada, apenas um pouco mais educadas, porém fechadas, griladas, com seus livros e fones de ouvidos no terminal do Trensurb, espero nunca mais ter que ir nessa cidade. Adorei Gramado e redondezas, Tramandaí também ficará em meu coração. Mas Poa e região metropolitana, não meis.

  20. Olha sou uma paulistana totalmente apaixonada por POA. Cheguei a conclusão de que nós que temos agito demais, queremos tranquilidade e os gaúchos querem a nossa São Paulo tão turbulenta.

    Se eu pudesse faria minhas malas e não voltava mais.
    Cidade do Caos!

  21. As coisas para serem feitas em Porto Alegre,são quase sempre as mesmas,porém nunca nos cansamos de faze-las,como por exemplo,domingo na redenção,pois sempre tem algo diferente para ser visto,além de muita alegria das pessoas passeando com amigos e familiares,tem vida pura neste lugar.Ah,só para lembrar, o Café do Lago não existe mais…
    Faltou lembrar do por do sol na frente do Museu Iberê Camargo, em frente a uma linda vista do nosso Rio Guaíba,o rio que é um LAGO.

  22. Caramba André, que Demais este texto. Assim como vc sou loucamente apaixonada por esta cidade em que sempre que chego torço para o tempo parar.Curti muito suas dicas e vou levar muitas delas na mala dia 31 (semana que vem \o/) para curtir coisas que não fiz ainda. Várias delas já curti como a rua dos Andradas, a Casa Mario Quintana,o Pôr do Sol, o Parcão, o Parque Farroupilha. Nunca assisti o melhor time do Brasil jogar (GRÊMIO…só pra constar rsrsrs). Curti um pouco da noite na Cidade Baixa. Enfim, desta vez usarei muitas de suas dicas para não ficar fazendo sempre a mesma coisa. Quando voltar escreverei no meu Blog (que já estará pronto rsrsrs) e mandarei para vc. De antemão já posso dizer que farei duas coisas novas que nunca esteve na minha lista nem apareceu na sua vou para duas regiões metropolitanas fotografar templos budistas – o meu em Viamão (Caminho do Meio) e o de Três Coroas (Qadro Ling). Um abraço farroupilha (de Curitibana com alma gaúcha) e até mais!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*