Brainstorming dos mil dias

Todos os meus contatos do ICQ ou MSN sabem que, quando estou sem qualquer pensamento criativo na cabeça, aciono alguém para um rápido troca-troca, em busca de uma idéia minimamente joinha. Fiz isso instantes atrás com o Adilson, que me avisou há alguns dias: nesta terça-feira, este blog completa mil dias.

Marmota: Hoje é o dia do Marmota Mil Dias. Mas não faço idéia do que escrever.
Fuzo: Hahahahaha! Marmota Mil Dias é foda… Coloca mil piadas que você escreveu, sei lá…
Marmota: Não tenho mil piadas fracas… Nem mesmo mil pés na bunda.
Fuzo: Tem sim… Cada post deve ter umas quatro…
Marmota: O que mais tem a ver com mil? Vamos pensar em algo – que não tenha aquele cacófato horrível do mil meu com mil teu.
Fuzo: Coloca mil fotos suas! A página vai ficar pesada… Hahaha!
Marmota: É, mil fotos minhas não rola. Mas então, pensei em um post curto, perguntando pras pessoas o que dá pra fazer em mil dias além de alimentar um blog. Mas não sei se tem a ver. Todo mundo anda botando perguntas do tipo “que livro você lê, o que acha da pena de morte, setembruchove”, essas coisas. Todas terminando com “passa pro outro se não vai ter neném”.
Fuzo: Hahahaha! Tô rindo do “setembruchove”, “passa pro outro se não vai ter neném”…
Marmota: Ah, vai dizer que você nunca fazia isso no primario…
Fuzo: “Olha a ficha!!!!! Olhou porque é bicha!!!!”, “Olha a bosta!!!! Olhou porque gosta!”
Marmota: Caceta… Pior que eu sempre olhava. E sempre tinha um bobo que ficava “não vai olhar não? Hein? Hein?”
Marmota: Fiz uma experiência desesperada. Coloquei “mil dias” no pai gúgol. Veio uma letra de música: dez mil dias, da Amelinha. Lembra da Amelinha?
Fuzo: Nunca vi.
Marmota: Tem outra coisa interessante: um pedido do Observatório da Imprensa, para refletir sobre os textos publicados por eles há mil dias.
Fuzo: Cara, já sei. Você separa 80 piadas, 50 fotos, 20 momentos marcantes, vai somando tudo até dar 1000!
Marmota: Tá. 80 piadas, 50 fotos, 20 momentos. Isso dá 150. O que faço com os outros 850? :-P
Fuzo: Você também pode dar notícias de 1000 dias atrás.
Marmota: Notícias de mil dias atrás é legal. Mas pode cair na minha idéia de “o que você consegue fazer em mil dias” ao resgatar histórias passadas e ver no que deu.
Fuzo: Seja como for, vc vai precisar escolher uma linha e seguir.
Marmota: Mas independente da linha, não vou conseguir até o final do dia. Vou deixar isso pra quando o blog fizer três anos. E vou botar uma porcaria na linha “o que você fez nos últimos mil dias”.
Fuzo: É… esse post é trabalhoso pra cacete mesmo. Juntar mil coisas é foda. É bem mais fácil deixar mil dias passarem.
Marmota: Realmente. Se bem que… Pensando bem, fiz bastante coisa nos últimos mil dias.
Fuzo: Cara, vai juntando as coisas até dar 1000. É mais fácil. Só de blogueros que você tem na sua página, tem quase 100. Junta conm outros sites que você lincou.
Marmota: Se eu começar a juntar alguma coisa agora, consigo até o fim do dia? Temmmpo!!!
Fuzo: Até meia-noite é dia! Esse é o nosso lema aqui na agência…
Marmota: Hahahahahaha! Antes da meia-noite eu tenho que estar no metrô, filhão.
Fuzo: Detalhes, detalhes… Faz um post de mil letras!
Marmota: Um post de mil letras? Dá quase uma lauda…
Fuzo: Star Wars certamente passou disso.
Marmota: Ah, fácil. E Star Wars é obra de um sábado em casa, de folga. Não de cinco minutos no meio do expediente. Tem que encher muita linguiça… Ainda fiquei tentado em botar a pergunta dos “mil dias dos outros”.
Fuzo: Uai! Manda pau! Vc não tem limite de posts diários.
Marmota: É, vou achar um jeito de perguntar isso sem parecer mais um desses memes gerados na epidemia.
Fuzo: Eu nunca vi um post desses.
Marmota: Sério? Tá cheio. O primeiro que fez barulho foi um da quinta frase do livro na página 23. Resgataram o conceito num questionário literário, típico daqueles caderninhos do tempo do “olha a ficha”. E agora deve ter dezenas desses, que tentam se espalhar por aí.
Fuzo: “quinta frase do livro na página 23”?
Marmota: Exato. Virou febre há um tempo, nesses mil dias que você ficou sem mexer no blog… :-P
Fuzo: Affe, nunca tinha visto isso…
Marmota: Achei. Começou em abril de 2004. Aliás, encontrei uma referência a essa encrenca no post numero mil (como diria uma velha amiga da ZL, que conhecidência, não?)
Fuzo: Legal!
Marmota: Pois é! Você pode aproveitar que o seu blog voltou e tirar o atraso… Ah, outra idéia: mil perguntas pinçadas dos questionários espalhados pelos blogs!
Fuzo: Pqp, vai ter saco de juntar as mil perguntas!
Marmota: Realmente. Mas a idéia dos questionários não é de todo ruim. Vou pegar algumas (não mil, claro) pra atualizar o meu perfil, que não mexo há tempos.
Fuzo: Sugiro a você que coloque o post de mil letras.
Marmota: Oi, cururu! A partir do primeiro olá desse texto até o fim desse parágrafo, temos exatos mil caracteres, tirando os espaços. Pra quê essa frase inútil com exatas mil letras? Simples, meu amigo visitante: ocorre que neste dia 31 de maio este espaço celebra mil dias de existência, sempre com bobagens ininterruptas no ar. Faz algum tempo que ultrapassamos a marca de mil posts. E certamente aqui tem mais de mil piadas fracas, mil lembranças inesquecíveis (boas e ruins), mil notícias que ninguém esquece, mil personalidades que fizeram parte de sua história… Trata-se apenas de uma parcela dos meus mais de nove mil dias de vida, mas só pelo fato de registrá-la neste espaço, compartilhar momentos e idéias com você, ver muitas delas reproduzidas em outros cantos, transformando esse emaranhado de blogs em um verdadeiro liquidificador de informações… Posso dizer que foram mil dias significativos. Mesmo que você não tenha vivido os mil dias deste blog comigo, vai concordar em uma coisa: mil dias pode parecer pouco contando em bytes, mas felizmente, posso olhar para trás e dizer que não desperdicei cada segundo desse tempo. Pronto, pode contar: um parágrafo com exatos mil caracteres.
Marmota: Que tal?
Fuzo: Hahaha! boa! Mas se precisar editar o texto, fudeu
Marmota: Ah, se precisar editar, esquece. Já sei como vou fazer. Passa lá no blog no final da noite!
Fuzo: Ai, meu deus… Surpresa?
Marmota: Talvez. Mas acho que você vai gostar.

O diálogo acima lembrou os primórdios deste espaço, quando citávamos o tempo todo o que cada um fazia em seu determinado blog, o que rendeu o mini-post republicado abaixo:

“É uma pouca vergonha! Eu menciono o blog do Marmota quase todos os dias aqui! O pior é que ele faz o mesmo no MMM. Tudo bem que a gente é amigão. Mas assim já está um exagero.

Alter-ego: É um caso típico de boiolagem explícita! Baitolagem na cara dura! Tô achando que vocês deveriam mesmo ter montado aquele blog juntos.

Comentários em blogs: ainda existem? (4)

  1. Mil parabéns!
    Afe… Não é nada fácil manter um blog com qualidade e ainda por cima durante mil dias… Vida longa e próspera ao MMM.
    Beijão…

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*