Atendendo a pedidos: eu já sabia

Somente o técnico Carlos Alberto Parreira, e talvez um ou outro jogador da seleção brasileira, realmente pensava que “não estava nos planos de ninguém ser eliminado nas quartas-de-final da Copa”. Pois eu tenho certeza que muita gente não se surpreendeu com a derrota para a França neste sábado. E quem visita este espaço aqui, sabe que há um ano eu já desconfiava.

Esses que provavelmente não choraram nos minutos finais do jogo tinham lá suas razões para duvidar do Brasil. Porque uma seleção européia seria inevitavelmente a vencedora na Alemanha. Porque a arbitragem está mancomunada com a Fifa. Porque nenhum favorito absoluto conseguiu ser campeão. Ou simplesmente porque claramente existe um outro time com aquela pinta de campeão.

Nada disso abalava a maioria dos brasileiros, que foram picados pela “mosquinha do hexa” e acreditavam no título. Olhos atentos aos melhores do mundo desde a primeira parada em Weggis, na Suíça, onde nossos heróis se preparavam para trazer a sexta estrela. Em uma bela parceria com a CBF, uma empresa de marketing esportivo faturou algumas dezenas de milhões de doletas explorando a presença do “Dream Team” na pacata cidade. Tudo bem. Afinal de contas, não custa nada aproveitar a imagem dos craques para faturar algum.

Antes do jogo deste sábado, os efeitos da “mosquinha do hexa” foram potencializados. Era a França, aquela seleção maldita que tinha atropelado a gente na final de 98 por causa de uma convulsão do Fenômeno. Ou aquele time esforçado de 86, que só chegou às semifinais porque o Zico errou um pênalti. Fatalidade, que seria superada facilmente. Afinal de contas, Parreira ouviu o clamor popular: tirou o Emerson, colocou o Ronaldinho Gaúcho na frente e escalou Juninho Pernambucano. Era a aposentadoria de Zidane, sem discussão.

Boa, Max, mais uma vez...Pois os típicos nativos dessa terra, aqueles que não conseguem diferenciar Copa do Mundo de qualquer outro evento esportivo (muito menos de alguma seita religiosa) e que só vestem camisa verde-amarela, compram bandeira e gritam “sou brasileiro com muito orgulho com muito amor” enquanto a bola estiver rolando, lembram da outra razão para duvidar do time: o tal “perder para ele mesmo”. Todos assistiram a onze sujeitos agindo como verdadeiros garotos-propaganda. Iguais aos de Weggis, do comercial da cerveja, do banco, do curso de inglês, do telefone, do plano de saúde, do guaraná.

Eu me arrisco a dizer que o Parreira, mesmo insosso e sem vibração, é o menor dos culpados. Tudo bem, poderia ter transformado os “melhores do mundo” em um time, mas não conseguiu. Até fez o que pôde, ainda que um pouco tarde: refez o buraco mágico, escalou Cicinho e Robinho… Mas eles entraram no jogo dos demais e pouco fizeram, diante da Fênix francesa – que jogou bem, mereceu vencer e, só para constar, tem o pior segundo uniforme da Copa, graças àquele degradê estúpido no peito…

Um título mundial provoca uma grande festa popular, desfile no carro de bombeiros e comoção nacional por alguns dias, além de um registro histórico nos anuários esportivos, mas não faz com que esse sentimento patriótico fortaleça nossos valores. No entanto, uma eliminação precoce, ainda mais com tamanha apatia e desinteresse, só fortalece nossa imagem negativa, a de um povo alienado e acomodado.

Bom, posso estar exagerando. Afinal de contas, é só um jogo. Melhor pensar que, por causa disso, ninguém vai sair mais cedo do trabalho na quarta-feira e continuar nesse conto de fadas temporário. E finalmente nossa vida besta volta ao normal.

Mas a Copa continua… – Tem mais essa: do jeito que a Alemanha está jogando, ainda mais depois de ter encontrado um gol contra a Argentina, que jogava bem melhor, só não será tetracampeã mundial diante de uma tragédia. Certamente venceria o Brasil em uma hipotética decisão (ok, até a França venceu o Brasil). Provavelmente estarão na final, para tristeza dos aficcionados pela Azzurra – que pegaram a maior baba das quartas-de-final, a Ucrânia.

Pessoalmente, se a Alemanha for campeã, não ficarei desapontado. Seria uma vitória marcante, especialmente depois do técnico Klinsmann ouvir tantas críticas. Por outro lado, se é para torcer para alguém nessa semana, que seja para a estrela brilhante de Felipão, que eliminou a minha “campeã do bolão” nos pênaltis – alias, a Nova Schin perdeu a grande chance de dar a Portugal o rótulo de segundo time dos brasileiros…

Comentários em blogs: ainda existem? (15)

  1. Toda Copa tem a turma do “Eu já sabia”. Daí o Brasil perde e eles vêm posar de profetas… ahhh faça-me o favor!
    Nem o mais fanático dos brasileiros foi cego o suficiente para não ver que havia algo de errado com o time do Brasil. Mas isso não nos impediu de torcer, oras.
    Se perdeu, foi porque mereceu perder. Podemos ficar aqui eternamente discutindo esse porquê. Mas, “na boa”, simplesmente ficar falando “Viu só como eu já sabia!” não acrescenta absolutamente nada.

  2. Eu só não quero que a Itália seja campeã. Detesto a Azzurra, o time que não joga nada e chega lá (bom, só chegaram nas finais de 82 e 94, mas em outras Copas recentes estavam sempre nas oitavas, quartas e semi-finais).

    Fico feliz por Portugal ter avançado, mas foi uma pena ver a Inglaterra, minha favorita ao título, eliminada. Com um homem a menos, eles jogaram bem mais que os portugueses. Mas o English Team dá um azar danado em cobranças de pênaltis!

    Espero agora que Portugal vença a França e encare os alemães na final. E que vença o melhor, Alemanha ou Portugal!

  3. Adil, só escrevi “eu já sabia” no título. E claro que tinha brasileiro fanático que não viu problemas. E nada do que eu, você ou qualquer um disser sobre esse jogo vai acrescentar alguma coisa. E vai dormir, oras! :-)

  4. Eu torço pela Italia campea numa final contra Portugal, apesar de ter esperado até o ultimo segundo que o Brasil vencesse e jogar contra ele.
    Os franceses, depois do jogo de ontem, ja pensam numa final contra a Alemanha, sao os mesmos convencidos de sempre.

  5. não cheguei a ser do time do ‘eu já sabia’, mas sim do ‘pode dar merda’. a todo momento em que as pessoas batiam no peito relembrando o ‘com o brasileiro não há quem possa’ eu me sentia na obrigação de refrescar suas memórias com todo o histórico do zidane, que, a bem da verdade, as pessoas só conhecem das copas, o que não é o suficiente para saber o quanto este cara joga pra caralho, e com certeza vai ser considerado o melhor jogador francês já existente, com méritos.

  6. O fato é que pela primeira vez nesta Copa apareceu uma atuação de craque, de nota e camisa 10. Pena que vestia outra camisa, mas enfim…

  7. Demorou mais aconteceu, foi so pegar uma equipe de maior tradição em copas no nosso primeiro jogo que nos perdemos, ganhar de gana, japão, australia e croacia nem precisa de futebol, agora da França e outras equipes campeãs precisa impor seu jogo coisa que não ocorreu.
    Parreira tem culpa, pois tem medo de mudar, e agora viva PORTUGAL, Felipão rei do mata-mata vai chegar na final com aquele time fraco demais.

  8. Muito bem colocado seu texto. Não sou muito ligado em futebol, porém nunca fui contra e até assisto com amigos alguns jogos. Mas, estava achando essa última copa um evento alienante de proporções biblicas. Até escrevi no blog um texto meio virulente que, lendo agora, acho que poderia ter sido mais sutil. Mas, finalmente o país vai voltar ao normal e se pudermos manter um pouco do patriotismo da bola até as eleições, quem sabe possamos fazer diferente dessa vez.

  9. É Andre fazer o que não é, mesmo eu tendo perdido a reunião no apto do casal pinguim , não me encomodei nem um pouco em estar dormindo durante o jogo mais que besta da seleção “de estrelas de tampinha de garrafa” do brasil.
    E que o felipão leve o caneco, junto com Portugal.

  10. Claro que a França Jogou melhor, porque? Porque os brasileiros deixaram, e porque? Porque sao um bando de VENDIDOS SIM. Nao tem amor à camisa, neste país cheio de trampas. Estao muito conformados com isso pro meu gosto! Afinal é mais interessante pros organizadores que times Europeus ganhem em casa. Um dia a verdade aparece!Ahh se vai!!

  11. Faz tempo que não via a minha cara no seu blog. Infelizmente, quando ela aparece, é porque aconteceu algo triste com o povo brasileiro. Eh, Brasil!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*