O Brasil não leva o hexa em 2006

Comece a fazer cotação para comprar a tinta verde e amarela! Peça pra sua mãe desenterrar aquele molde do mascote da Copa de 82! Vá juntando sacos plásticos da feira e barbante: dentro de pouco tempo, o país vai começar a enfeitar a rua e cornetar para quem quiser ouvir: na estréia do Marmota na Copa, lembramos que falta um ano para o evento mais esperado por milhões de aficcionados. Tudo bem, o Brasil ainda não se classificou. Mas convenhamos: Copa sem Brasil é igual entrar sozinho no motel.

Mas enfim. Ainda falta um ano para que o atual campeão mundial, único a faturar o caneco cinco vezes, siga a tradição e entre em campo no Estádio Olímpico, em Berlim, logo depois do almoço (horário de Brasília) do dia 13 de junho de 2006. A expectativa não poderia ser melhor: nas três últimas copas, o Brasil foi finalista (e venceu duas). Temos um esquadrão como há muito não se via, capitaneado por uma comissão técnica experiente. No papel, temos a melhor seleção – para alguns, em todos os tempos.

Ainda assim, se tivesse que apostar, diria que o Brasil não será campeão em 2006.

Podem me chamar de maluco, corneteiro ou o que for. Por mais que eu não tenha abdicado minha condição de torcedor, daqueles que até cogitam a hipótese de bancar uma viagem para terras germânicas (ainda que isso represente justa causa na repartição). Espero ouvir cada um de vocês na minha orelha, daqui a 395 dias, que eu não passo de um sujeitinho metido a besta secando a seleção. De verdade, vou botar fitinha na antena do carro, andar com minha camisa azul, bonezinho e bandeira a tiracolo. Mas não vou me surpreender se o Brasil não faturar o hexa.

Uma razão apenas para sustentar minha desconfiança: tudo está perfeito demais. Fazia tempo que a seleção não passava sufoco pelas Eliminatórias, e foram dois anos praticamente sem um único “fora Parreira”. E vejam vocês: nas duas últimas vezes que sofremos para garantir vaga (93 e 2001) e deixamos a nação desacreditados rumo à Copa no ano seguinte, fomos campeões. Algo me diz que esse não é um presságio descartável – ainda que tenhamos visto contra a Argentina um Brasil vulnerável.

Mas voltando. Diante da perfeição exagerada conspirando a nosso favor, vou cair em clichês inevitáveis: nem sempre o melhor time vence, o que normalmente acontece quando o favorito é derrotado por ele mesmo. E mesmo quem mal balbuciava as primeiras sílabas em 1982 (como eu) já viu um caso parecido: um time recheado de estrelas, que encarou Venezuela e Bolívia nas Eliminatórias (saudades do velho regulamento). Deu show de criatividade e não tomou conhecimento de União Soviética, Escócia, Nova Zelândia e, finalmente, a Argentina de Don Diego. Aí você já sabe: Sarriá, 3 a 2, três gols de um mafioso. E uma seleção ruim chegava ao título.

Já posso ouvir gritos indignados, coisas como “para de zicar, seu paiaço”. Tudo bem, sem mais. Só não me peçam para dizer que a taça é nossa antes do dia nove de julho do ano que vem.

Então quem, cabeção? – Dias atrás comentei com um amigo essa teoria do “favorito sem título”. Embasbacado e incrédulo, tive que ouvir sua discordância veemente, seguida por uma questão pertinente: se o Brasil não vai levar, quem é o favorito então?

Continuo no muro e respondo: um dos mesmos de sempre. Foram 17 mundiais e apenas sete campeões. Desse grupo, Uruguai e França estão se esgoelando para se classificar. Restam, além do Brasil (que não… Ah, vocês já sabem), Itália, Inglaterra, Argentina e Alemanha, que por ser o país-sede disposto a realizar a competição perfeita, tem tudo para repetir o “efeito França” de 1998. Sem esquecermos que a seleção alemã de 2002 não tinha nada de espetacular e terminou como vice.

Num segundo pelotão, temos aquelas seleções que estão sempre nos holofotes, mas que sempre morrem na praia. Em sua grande maioria, européias: a bi-vice Holanda, a fúria (fúria?) Espanha, Portugal de Felipão, as “perigosas” Suécia, Croácia ou Ucrânia… A força do futebol africano, que apresentou Camarões em 90, Nigéria em 94 e 98, Senegal em 2002 e, quem sabe, Costa do Marfim em 2006. México, personagem de sempre, além de Japão e Coréia, estão ali buscando fôlego e tomando bomba pra tentar dar trabalho.

A terceira trupe é a do “importante é participar”, reunindo a patota erguendo cartolina com os dizeres “Galvão filma nóis”. Costa Rica, Guatemala, Equador, Arábia, Irã, África do Sul, Togo… Essas encrencas todas que aparecem graças ao interesse da Fifa em agradar todo mundo. Entra nessa leva a pobre Austrália, que se passar pela repescagem contra um sul-americano, já pode comemorar.

Enfim, se já é difícil arriscar favoritos às vésperas do Mundial, imagine agora, um ano antes. Quando tivermos o sorteio dos grupos, em dezembro, vai ser mais interessante brincar de chutar. Vamos aguardar, portanto.

Argentina na Copa – Do clubinho de campeões, apenas dois já estão garantidos em 2006: Alemanha e Argentina, que carimbou o passaporte ao atropelar o Brasil no maior clássico do futebol mundial, também chamado de amistoso de luxo da quarta-feira. Partida que mobilizou meio mundo, entre jornalistas, comediantes e… Maradona, que apareceu na concentração brasileira para dar um alô e tirar fotos.

Fiquei assustado: o maior jogador de futebol de todos os tempos segundo os argentinos estava magro! Parecia até com aquele Maradona de outrora, deixando para trás aquele visual meio Nelson Ned meio Pit Bitoca de uns meses atrás. Ou pior ainda: a aparência triste durante a sequência de internações do ano passado. Nessa semana, era outra pessoa – ao menos pelo que vi na TV.

Comentários em blogs: ainda existem? (16)

  1. Eu só rezo pra que não seja Parreira e Zagalo os tecnicos da seleção que irá a Copa. Pq se for, meu caro, a gente vai ter que apelar para todos os santos, pq só um milagre faz o time passar da primeira fase!

    Beijo pra tu!

  2. Concordo contigo, e também já estou ganhando a fama de “seca-pimenteira” entre os amigos.

    Mas na boa: é MUITO difícil chegar a quatro finais seguidas de Copa (e a dois títulos consecutivos), e não vai ser fácil lidar com a pressão da Alemanha pra faturar esse tetra em casa.

    E mais: se o Parreira continuar escalando essa seleção-que-não-marca-ninguém, não vai mesmo dar nem pro cheiro. Só talento não adianta, marcação é fundamental, e nossos dois últimos títulos mundiais provaram isso.

    Em tempo: além dos anfitriões, aponto Argentina e Inglaterra (se não pipocar, como sempre…) como favoritos. E essa Copa vai ser do caralho: é muito mais legal um Mundial num país de tradição, com todo o respeito a Japão e Coréia!

    Abração!

  3. Pois eu aposto que o Brasil vai ser hexa. E digo mais: contra a Alemanha de novo, que não vai repetir o “efeito França”, e sim o “efeito Suécia”, de 40 anos antes.

  4. E ainda há um tabu, tirando a Copa da Suécia, em 1958, vencida pelo Brasil, as copas disputadas na Europa são sempre vencidas por um time europeu. Eu aposto num campeão inédito, tipo Holanda ou Espanha.

  5. Ô, Sena, por isso não! É o velho clichê
    do futebol, mas é verdade: tabu é feito pra se quebrar. Tô dizendo: Brasil e Alemanha na final de novo, e de novo o Brasil ganha. Quem quiser apostar, eu tô aqui… 9 de julho(é?) a gente conversa!

  6. Esqueci: só espero que daqui pra lá o Marmota não suma com meus comentários, pra dizer que eu não disse.

  7. O time brasileiro só joga direito na Copa. Cheguei à esta constatação embasado nos três últimos mundiais. É aquele sofrimento nas Eliminatórias, na Copa América e amisotsos; mas chega na hora do pega pra capar, eles jogam futebol.

    Não ficarei surpreso se o Brasil leva o hexa na Alemanha.

    []’s

  8. Acredito que a FIFA tem um enorme poder sobre a copa do mundo e tenho certeza que não é interesse dela que o Brasil seja campeão novamente. A França foi campeã com sua ajuda…Torço pelo Brasil mas sem ilusões, se dependesse somente do que acontece no gramado certamente o Brasil seria campeão. Com o dedo da FIFA acho que o Brasil não chegará nem na final…

  9. Leonardo, tem toda razão. Escrevi esse texto antes da Fifa divulgar que a Alemanha faria o jogo de abertura, e que o Brasil seria cabeça-de-chave do Grupo F. Já corrigi!

  10. Bom, também axo q o Brasil não sera o campeão pois o interesse da FIFA é grande e acho q este ano mesmo com um péssimo time irão ajeitar para a Alemanha ser campeã pois esta em casa e foi vice na ultima copa, mas apostaria quem sabe numa zebra Republica Tcheca ou Portugal pq Felipão é mestre em Mata-Mata.

  11. eu amo o kaka de paixao a mulher dele tem muita sorteeeeeeee!!!pena que eu nao tive a mesma rsrsrs beijaum barbara

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*