A turma da oitava série

Depois que falei do filme da Jennifer Connelly – post que rendeu comentários sensacionais e um link sugerido pela cinerrepórter Angélica Bito (do Mordendo), bateu uma nostalgia sobre o ano de 1991.

A foto acima tem exatos 11 anos, e funciona melhor se você estiver ouvindo Erasure, Locomia, Skid Row ou Gun’s Roses. Esta foi, sem sombra de dúvidas, a turma da oitava série mais engajada em toda a história do antigo Colégio Arsol (atual Colégio Souza Lopes), uma das únicas instituições de ensino básico, médio e técnico particular aqui no bairro (não lembro de nenhuma outra agora, Daniel).

Atenção para a chamada. Primeiro, as damas, da esquerda para a direita.

– Alessandra: menina simpática e trabalhadora desde aquele tempo! Hoje deve ter a sua família, como praticamente 99% das pessoas que aparecem na foto.
– Sheila: A cor do cabelo que aparece na foto é apenas uma das tonalidades usadas por esta moça durante o ginásio. Era uma das garotas mais populares da escola.
– Érica: Morava na minha rua alguns anos antes, e o cururu aqui só se deu conta disso semanas depois! O Barata era apaixonado por ela – ih, não era pra contar?
– Tatiana: Vivia (ou ainda vive, sei lá) no Arujá, justamente na região mais abastada desta região do alto tietê. Apesar de simpática, eu a achava meio boca suja…
– Patrícia: Era legal contar piadas pra ela, mesmo as mais sem-graça (sim, amigos, esse dom vem de longe). A Patrícia choraaava de rir! Tinha um bazar perto da Indusa, mas faz tempo. Também sumiu.
– Denise: Outra que morava bem pertinho de casa, é filha de uma cabeleireira bem conhecida aqui perto. Casou há alguns anos com um rapaz que eu via empinar pipa nos telhados…
– Lenice: Uma das poucas pessoas da época que ainda mantenho algum contato, mesmo remoto. Casou no último dia 19 de outubro, no mesmo dia de muitos outros (depois vai ver lá no arquivo o que eu escrevi).
– Patrícia: Ela era a minha namoradinha de ginásio! Claro, nunca falei isso pra ela. Poderia ter dito em outras oportunidades, mas não pude. Tudo bem, hoje não posso mais dizer isso: está noiva e prestes a casar!

Agora, os homens. Agachados.

– Sidnei: Esse era o mais festeiro da sala! Também se responsabilizava pelos engenhosos sistemas de cola em dias de prova: eu era o informante e ele se encarregava de transmitir para toda a sala!
– Alexandre: Era o meu colega de sala mais próximo, infelizmente perdemos contato logo depois que ele casou. Tinha o singelo apelido de Barata – é bom não lembrar, hoje ele é oficial da Guarda Civil Metropolitana!
– André: Pois é, eu era magro…
– Júnior: Seu nome é José Rubens Alves Júnior. Por cinco vezes que liguei para ele perguntando pelo Rubens, diziam que “estava trabalhando”. Estúpido. Seja lá onde estiver hoje, o lendário “pancinha” deve estar muito satisfeito com o desempenho do seu Tricolor!

Esta galera foi responsável por grandes realizações: armamos exposições na semana da criança, inventávamos peças teatrais, fizemos debates polêmicos envolvendo toda a escola – entre eles um sobre a Guerra do Golfo, onde fiz papel de “correspondente da CNN”. Bons tempos. Certamente as professoras Marlene, Tânia, Vera, Adelaide, os professores Marcelino, Morales, Elifélti e tantos outros ainda devem se lembrar com saudade!

E você, o que fazia em 1991?

Comentários em blogs: ainda existem? (11)

  1. Em 1991 eu tb me formei no 2o. grau… Eu era a girafinha da escola e por isso eu era super tímida mas no 3o. colegial eu conheci o retante do pessoal do 3o. que eu não conhecia e foi super legal!!! Pena q estava no final… Ahhhh eu gostava do A-ha (Hunting High and Low) e tb do Extreme (More than words)… Era fão do New Kids on the Block pq meu amor platônico em forma de pessoa era parecido com um deles… :o) Ai chega de lembranças senão vou ficar a noite toda escrevendo…Bjus………

  2. É André acho que é só o Arsol-atual Souza Lopes- que promove um ensino razoável por aqui.Em 91 eu estava na primeira série no Laurinda! Lembro até hoje quando entrei pela primeira vez – e chorei obviamente – fiquei até a quarta série por lá.Na época eu escutava os discos do Roberto Carlos que meu pai colocava para rolar!

  3. 11 anos atraz eu com meus 16 anos curtia a onda de ser paquerada na escola nas discos…hehe estava aterrorizando.. naquele tempo tudo era festa os amigos eram tudo e tudo que eu queria era ser gente grande… adulta ter minha casa emprego responsabilidades…Hoje em dia fico pensando no quanto era feliz e não sabia… gostoso lembrar do passado…. Mas o dia de hj pra mim também esta sendo ótimo…. Não tenho muito que reclamar….Beijinhos e um ótimo final de semana pra vc!!!!!Ps O netstat esta em 14902…. Tá quase saindo….beijos

  4. Nossa eu tinha 11 anos. Estava na 5º série numa turma muito louca! E grd demais preu lembrar de todos… devia ter uns 45!!Bjocas

  5. ai andre prefiro vc na versao atuale nao podemos falar que somos gordos! temos que falar que temos excesso de gostosura o que nao deixa de ser verdade!adorei o visual das meninas! como o mundo era trash ha alguns anos ne?

  6. Oi, André! Como vai, Camarada? Por uma brincadeira descobri este blog(digitei meu nome completo no C@dê e mandei pesquisar). Realmente a ess durma de 1991 é inesquecível. Álias muitos eram sobreviventes deste a 5º série!!! Muito bacana!

  7. André eu amo vc cara. Nossa que presente, não acredito. Quanto tempo. Obrigado, eu sou como vc sabe a Patricia, não continuo mais com o bazar, já tive vária lojas, até de sex shop …rsrs…fiz faculdade de biologia, fisioterapia, trabalhei pra caramba, viajei muito, e hoje tenho 4 presentes de Deus que ocupam todo meu tempo, Beatriz,Matheus, Gabriel e Estela, são minhas vidas,meus amores, meu tudo, valem mais do que qualquer carro importado, qualquer diploma.E tenho meu marido Macedo, um homem maravilhoso, companheiro, amigo, cumplice, pai,filho,amante, meu tudo. E eu a mesma Patrica daquela época, vc acredita que até hoje dou risada de tudo rsrs…e lembro de todos vcs que fizeram parte de um pedaço muito importante de minha vida.Beijos. e quem aparecer por favor entre em contato.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*