A maior fã da Turma do Nemfú

Este sábado reuniu mais uma vez a famigerada Turma do Nemfú, amigos que se encontram uma vez ao ano para visitarem Hopi Hari, o pais mais capitalista do mundo. O primeiro ano da brincadeira, 2003, rendeu um simpático vídeo, disponível por aí desde então.

Foi a partir destas imagens despretensiosas que conheci a jovem Nathalia. Um belo dia ela aparece entre os scraps do Orkut, toda faceira. Apresentou-se como fã de Hopi Hari (dessas que vão ao parque dezenas de vezes) e disse que só decidiu entrar em contato por causa daqueles sete minutos registrados no estacionamento do parque…

Em uma das poucas vezes em que conseguimos conversar por mais tempo, ela revelou mais alguns detalhes impressionantes. Desde que ela encontrou o relato com a história da Turma do Nemfú, ela adotou o mesmo “grito de guerra”. Também se divertiu com as verdades contadas no ano passado, quando a entrada do parque parecia tomada por refugiados. Perguntou ainda qual meu brinquedo preferido – respondi, é claro, que sou fã daquela montanha encantada genérica, o único brinquedo que tenho coragem de andar.

O que mais impressionou no bate-papo com a Nathalia foi o fato dela ter, simplesmente… Decorado todos os diálogos do vídeo!!! Todos!!! Ou melhor, quase.

– Aproveitando essa rara oportunidade… Que música é essa que vocês cantam? “Aquela claridade é onde o homem…”

– É do Paralamas. Começa com “Hoje joguei tanta coisa fora”, e o refrão é “Tendo a lua aquela gravidade aonde o homem flutua, merecia a visita não de militares, mas de bailarinos e de você e eu”.

– Nossa, que eficiência! Pode me tirar uma outra dúvida? O que você diz por último na sua primeira fala? Apos o enfim?

Então ela digita, sem colar, todo o meu discurso inicial: “Senhoras e senhores muito boa noite a vocês! Agora passam das 8 horas, estamos aqui no estacionamento do Hopi Hari, minha voz acabou após uma noite, aliás um dia maravilhoso ao lado de muitos amigos! Os amigos estão aí, todos animados, contentes, felizes… Além de demonstrar toda essa felicidade que está aqui, ao nosso redor, fazendo inclusive piruetas e macaquices… Vamos ouvir então o depoimento de cada um desses nossos amigos, que compareceram a esta maravilhosa, digamos assim expedição, a este país enfim…”. Logo depois, ela envia um arquivo de Word, comprovando o que dizia: absolutamente tudo o que foi dito no vídeo, digitado.

– Eu só escrevi isso pra você me falar o que vem depois desse bendito enfim, que eu NUNCA consigo entender!

– Ah, sim. Eu falo um palavrão.

– E qual seria?

– Enfim, foda-se. Corta.

– Hahahaha!!! Adorei!!! Vocês são demais!!! Pessoal bacana, com uma alegria contagiante!!!

Pois é. Esta mensagem edificante cativou a moça, demonstrando aquela velha máxima: não importa que tipo de coisa você decida escrever ou mostrar na Internet, mas se ela fizer a diferença ao menos para uma pessoa, já valeu a pena. Obrigado, mocinha!

Obviamente, nossa fã recebeu o convite para curtir o sábado com seus ídolos, mas não deu certo – infelizmente ela mora um pouco longe da capital. Enfim, de repente, a tradição da Turma do Nemfú é quebrada e, diante de um convite da Nathalia, a gente repete a dose ainda em 2007. Por que não?

André Marmota é professor universitário e ouvinte frequente da pergunta “mas e além disso, você também trabalha?”. Quer saber mais?

Leia outros posts em Alô Marmota. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (4)

  1. André, impressionante, vc é o maior agitador de eventos. Primeiro o BarCamp, depois o churras de sexta-feira da Paixão, e agora o Hopi Hari! Por favor, inclua-me no seu mailing!

  2. Sem palavras pra agradecer, meu anjo! Mais felicidade que abrir seu blog e ver um post dedicado a mim, é saber que existem pessoas como vocês no meu “círculo de amizades” (e que mesmo não tendo oportunidade de conviver, tenho um carinho enorme).
    Muitas pessoas me questionam o porquê de tanto amor por esse lugar… A minha resposta é única: Porque foi graças a ele que conheci o real significado da palavra “amizade”.
    “Eternamente não é o que dura para sempre, mas sim o que dura 1 segundo e é capaz de marcar tão fundo que se faz impossível esquecer”
    Você é uma pessoa incrível, Marmota!

    Te adoro de coração e espero ver toda essa galera reunida, da próxima vez!
    Não vamos causar, vamos fazer história!
    Super beijo dessa fã que os considera D+!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*