Vai, Robinho, penúltima parte: agora é no Brasil

Há muito tempo, a aposta que fiz no começo do ano já perdeu completamente a sua importância. A verdade é que, em março, pouca gente imaginava Lewis Hamilton como candidato número um ao título da temporada.

O que se viu, durante toda a temporada, foi um novato dar show e manter-se regular, sem cometer falhas em praticamente todas as 15 provas no ano. Tudo bem, a torcida era pelo brasileiro… Mas não tem como ignorar a história, tampouco o desempenho do jovem britânico. Hamilton desembarcou na China após uma vitória convincente no Japão e, contando com o abandono de seu maior rival em 2007, abriu doze pontos de vantagem. Bastava terminar à frente de Alonso em Xangai para garantir a taça com uma prova de antecedência.

Tudo parecia dar certo. O final de semana começou com a pole, além do quarto lugar do espanhol. Mesmo com chuva, o piloto estava com a corrida (e o título) nas mãos até a 30ª volta. Sabe-se lá quem teve a idéia de segurá-lo mais alguns minutos na pista, antes do pit stop, enquanto seus pneus intermediários viravam farelo. Não importa: sem controle de sua McLaren, Hamilton parou na brita, a caminho dos boxes. Hamilton praticamente não errou em 2007. Só quando não podia. Inacreditável.

Quem deve ter gostado foram os 62 mil privilegiados, além dos convidados de praxe. Todos estarão em Interlagos no próximo dia 21, acompanhando o sensacional desfecho da temporada. Hamilton ainda está com a faca e o queijo na mão, mas a diferença entre ele e Alonso caiu para quatro pontos. Do jeito que o espanhol é largo, não seria zebra vê-lo tricampeão – mesmo com a própria escuderia torcendo contra. O imponderável, que costuma decidir em momentos como esse, torna bem possível até mesmo a previsão da Carol: “aposto que o Hamilton e o Alonso vão bater e o título vai para Kimi Raikkonen, o Homer Simpson da Fórmula 1”.

Ainda que o Massa repita 2006 e apareça em Interlagos com um macacão verde e amarelo, ou que Raikkonen mereça um golpe de sorte após longas e intermináveis zicas, minha torcida agora é para Lewis Hamilton. Vai, Robinho!

Ah, sim. Para o ano que vem, vamos tentar emplacar o “Vai, Vettel, o xumaquinho”.

(Para acompanhar e entender de verdade o mundo do automobilismo, leia a Bárbara Franzin, o Ivan Capelli, o Livio Oricchio, o Fábio Seixas e o Flávio Gomes).

Comentários em blogs: ainda existem? (4)

  1. Eu até simpatizo com o Robinho inglês, mas minha torcida é do Alonso.

    Primeiro, porque é o melhor piloto do mundo. Depois, porque o que a McLaren vem fazendo com o cara é simplesmente nojento.

    Vai, Alonso!!!

  2. Faz tempo que não comento aqui… Bom, apesar de esse ano parecer que a F1 ficou mais legal do que nunca, acabei não acompanhando as corridas de perto (via TV, claro!).

    Torci pelo Hamilton, mesmo com o Massa sendo o melhor brasileiro na pista. Acho que o Hamilton merece pois tem talento para a coisa.

    Fiquei na verdade mais interessado na briga Alonso vs. McLaren vs. Ferrari. Essa acmpanhei todos os lances. Pq será? Acho que gostamos mesmo é de fofoca.

    E que o Hamilton seja campeão!

    obs: Barichello, who?

  3. Cara, não gosto de formula 1.

    mas assisto, sei lá pq, e gosto do Hamilton.
    Acho ele o mais bonito…hehehehe
    vou torcer pra ele…
    bjos
    ps: cadê minha musica, sô????

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*