Um ano de Dialetica.org

Olha, você tem todas as coisas que um dia eu sonhei pra mim. Tantas decepções eu já vivi… Aquela foi de longe a mais cruel. Um silêncio profundo e declarei: “só não desonre o meu nome”. Ainda tem o seu perfume pela casa. Ainda tem você na sala. Porque meu coração dispara quando tem o seu cheiro dentro de um livro, dentro da noite veloz, na cinza das horas. Tem os olhos cheios de esperança de uma cor que mais ninguém possui. Me traz meu passado e as lembranças, coisas que eu quis ser e não fui… Você, que nem me ouve até o fim, injustamente julga por prazer. Cuidado quando for falar de mim. A cabeça cheia de problemas? Não me importo, eu gosto mesmo assim. Perceba que não tem como saber, são só os seus palpites na sua mão. Sou mais do que o seu olho pode ver. Você vive tão distante, muito além do que eu posso ter. E eu, que sempre fui tão inconstante, te juro, meu amor, agora é prá valer. Será que eu já posso enlouquecer? Ou devo apenas sorrir? Não sei mais o que eu tenho que fazer pra você admitir que você me adora, que me acha foda. Não espere eu ir embora pra perceber. Olha, vem comigo aonde eu for. Seja amante, amor… Vem seguir comigo o meu caminho e viver a vida só de amor. Entre por essa porta agora e diga que me adora. Você tem meia hora pra mudar a minha vida. Vem, vambora, que o que você demora é o que o tempo leva.

Ei, hoje aquela idéia que você teve e eu ajudei a executar completa um ano. Pensei em escrever algo diferente, mas decidi pegar três musiquinhas e sintetizar parte da alma que está por trás dessa URL. Longa vida ao nosso miniportal e a outros projetos comuns denominados “familiar”!

André Marmota fala, lê e escreve razoavelmente em português castiço, engrish macarrônico e portunhol com legendas. Quer saber mais?

Leia outros posts em Curtas. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (9)

  1. Oun. Você diz que o Dialética sou eu, mas o Dialética, que nem você, faz parte do melhor de mim.
    ***
    eu sei e voce sabe ja que a vida quis assim que nada nesse mundo levará vc de mim quando vc chega na classe nem sabe quanta diferença que faz e as vezes faço que nao vejo e nao ligo e finjo ser distraida demais depois de ter voce pra que querer saber que horas sao eu sei e voce sabe que a distancia nao existe que todo grande amor só é bem grande se for triste quantas vezes te desenhei mas nao consigo ver o teu sorriso no fim te sigo caminhando pelo recreio quem sabe voce tropeça em mim se é noite ou faz calor se estamos no verão se o sol virá ou não ou pra que é que serve uma canção como essa por isso meu amor não tenha medo de sofrer que todos os caminhos me encaminham pra você se enamora quem ver voce chegar com tantas flores quem ve voce passar perto das flores parece que elas querem te roubar…

    (também sei misturar músicas! rá!)
    ***
    quer casar comigo?

  2. Parabéns sempre, pelas iniciativas, pelo carinho, pelo comprometimento, tanto com amigos quanto com este espaço…

    ps: Obrigado pela honra de fazer parte deste “familiar”.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*