Tá me olhando por quê? EU SOU NORMAL!!!

Se todos nesse mundo pudessem ser taxados como pessoas “normais” perante a sociedade, talvez nossa vida fosse mais tranquila. Mas sem sombra de dúvidas, ela seria muito entediante. Vamos ser francos: ser maluco é o que há. Que graça teria o mundo do esporte, por exemplo, sem a participação do médico Júlio César Alves na ESPN Brasil? Em alguns cantos do país, o sujeito já ganhou a carinhosa alcunha de “Doutor Bem Loco”.

Mas ninguém, absolutamente ninguém, se encaixa melhor no estereótipo de “cidadão adaptado aos dias atuais” do que Rogério Skylab. Para quem nunca ouviu falar, o rapaz tem duas profissões bem definidas: compositor alternativo e entrevistado do Jô Soares. Essa semana, por exemplo, lá estava o peculiar Skylab, lançando seu quarto CD, o sugestivo Skylab IV. É que o cara se amarra em séries e repetições.

Mas não é tudo. Um papo com o camarada rende um programa do Jô inteiro – e foi praticamente o que aconteceu. Foram dois blocos de entrevista, além do encerramento do programa. Entre os trechos mais sensacionais, destaque para a teoria de que “para estar por dentro, é preciso estar por fora”, que virou tema de música. Aliás, sua fonte de inspiração são outras canções: “sem essa de ciúme, ou você me beijou. A coisa é violenta, eu roubo dos outros mesmo”.

Entre um diálogo e outro, Skylab cantou. Começando pela inenarrável “acorda, Siva Maria” e passando pelo seu grande sucesso, que o consagrou em sua primeira aparição no programa de entrevistas: matador de passarinho, cuja letra você confere agora:

Aqui tem João-de-Barro, pintassilgo, pinta-roxo,
Pica-pau e colibri.
Aqui tem canário belga, araponga, açum-preto,
Curió e bem-te-vi.
Aqui tem tanta andorinha, cambaxirra, quero-quero,
Rouxinol e juriti …
Que servem de tiro ao alvo
para espantar o tédio
e o vazio do existir.
Pá, pá, pá!

Matador de passarinho… (8x)

Tico-tico quando voas,
Tico-tico tu pareces um teco-teco no ar.
Tico-tico quando cantas
Me lembro da minha infância,
Feriado em Paquetá.
Tico-tico tão arisco, tico-tico tu beliscas
Uns grãozinhos de fubá.
Tico-tico me perdoa mas me vem um vontade,
Não posso me segurar.
Pá, pá, pá!

Matador de passarinho… (8x)

Beija-flor de flor em flor
Beija-flor tu és o rei
Beija-flor te quero bem
Beija-flor se tu soubesse
Beija-flor ah! Se eu pudesse
Beijaria a flor também
Beija-flor tu vais levando
Numa nuvem cor de rosa
Grãos de pólen para quem
Beija-flor tu és tão lindo
Mas chegou a tua hora
Não beijarás mais ninguém
Pá, pá, pá!

Matador de passarinho… (8x)

Enquanto me divertia com suas performances, juro que me deu vontade de ser como ele. Exótico, estranho, e ao mesmo tempo cômico – acredite, para desespero de Skylab. “As pessoas acham tudo engraçado, e eu detesto isso. Eu quero ser trágico”. E que tal a frase da noite? “Eu me esforço, tento ser uma pessoa comum, mas não consigo”.

Na verdade, ninguém consegue. Ainda bem.

(Postado em 08/08/2003. Há alguns dias, ouvi um boato de que Slylab teria falecido. Felizmente, não: novamente, esteve no Programa do Jô nesta terça-feira, reafirmando sua profissão.)

Comentários em blogs: ainda existem? (3)

  1. Houve um filme nacional muito ruim em que de tantos emtantos minutos aparecia um close-up e uma atrz que dizia às câmaras –LOUCUUURA!
    E disso é tudo de que me lembro. Sensacional esse Skylab. Só faltava ser blogueiro.

  2. Hahahaha, figuraça!!! Acho que todas as vezes que vi esse sujeito foram em entrevistas ao Programa do Jô – incluindo a de ontem. Sensacional!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*