Ronaldo teve piripaque e a CBF vendeu a Copa de 98 para a França!

No último encontro entre Brasil e França em uma Copa do Mundo, em 2006, todos sabem perfeitamente o que houve. Aquele time do Parreira entrou em campo como se fosse um divertido encontro de compadres, sem nenhum compromisso. Como se estivessem treinando em Weggis, na Suíça. Teve ainda a meia do Roberto Carlos e – como se isso fosse irrelevante – uma atuação convincente dos franceses.

A questão é que, diante de uma eliminação num Mundial, a coisa mais difícil para o brasileiro é eliminar dúvidas. Como pode um time ostentar o melhor futebol do mundo e perder? Ora, lógico que um time perde como em qualquer jogo. Explicar uma derrota pode ser simples, como em 2006. Mas e em 1998, naqueles 3 a 0 do Stade de France, em 12 de julho?

Resumidamente, até os 27 do primeiro tempo, o jogo parecia equilibrado. Então Roberto Carlos (aquele da meia) teve a chance de jogar a bola pra lateral. Preferiu a linha de escanteio. Bola no alto, cabeça de Zidane, gol. No último minuto antes do intervalo, novo escanteio para os donos da casa. O que houve? Bola no alto, cabeça de Zidane, gol.

Praticamente ninguém viu o segundo tempo. Quem ouviu alguma narração acompanhou relatos de um time apático, de cabeça baixa. Atacou boa parte do tempo, mas a reação não deu em nada. Os poucos crentes se resignaram à medida em que o tempo passava. Finalmente, Petit selou a festa em Paris, aos 47 da etapa final.

Enfim, isso foi o que todos viram. Quer dizer, vimos ainda a mídia fazer exatamente aquilo que deveria antes da final: lembrar que o Brasil vinha crescendo na competição, demonstrando competência desde a vitória contra a Dinamarca e sorte na semifinal diante da Holanda. Se dependesse apenas do discurso televisivo, não tinha como não ganhar da França!

Agora, vamos ao que até hoje, onze anos depois, permanece sem explicação.

Horas antes da partida, as emissoras de TV se surpreenderam com a escalação de Edmundo ao lado de Bebeto. Ronaldo, duas vezes o melhor do mundo, estava no banco. Até uma nova lista vir com o nome do Fenômeno tempos depois, os disparates já estavam lançados. O primeiro deles na boca de Galvão Bueno: “foi uma brincadeira de mau gosto!”. Até Suzana Verner, imagem recorrente das arquibancadas, foi acusada de “dopar” o então marido!

Jogo perdido, time abatido… Em pouco tempo, o enredo de novela estava preparado. Antes do jogo, Ronaldo (ainda Ronaldinho) teve uma crise nervosa, convulsão, piripaque, dor de barriga… Roberto Carlos, seu colega de quarto, se apavorou. Todos ficaram apavorados. Mencionaram ataque epilético! Diziam que estava espumando! Temiam por sua vida!

Essa é só a primeira parte da lenda. A segunda, mais crível, diz respeito ao vestiário. Os jornalistas já tinham a escalação com o Animal quando Ronaldinho chegou da clínica, ao lado do lendário Doutor Lídio Toledo, entre outros. Com exames completíssimos e sem nada anormal, disse estar apto a jogar. Até Ricardo Teixeira, apreensivo com o burburinho provocado por Edmundo na lista, participou daquela preleção muito louca. No Stade de France, uma nota oficial dizia que Ronaldo ainda sentia o tornozelo atingido por um dos De Boer no jogo anterior…

Zico – aquele que havia cortado Romário antes da Copa – era contra a presença de Ronaldo. O jogador, respaldado pelos médicos, disse que “ninguém o tirava do jogo”. Coube a Zagallo a palavra final: arriscou e botou o Fenômeno em campo. Ao que tudo indica, o time todo jogou preocupado. Imaginava-se que o camisa 9 pudesse cair duro no gramado. Quando se chocou com Barthez ainda no primeiro tempo, as pernas de todos tremeram mais.

Enfim, outras versões circularam por aí. A mais divertida até hoje: a CBF vendeu aquela Copa para a Fifa, com anuência da Nike – procurem por Ronald Rhovald por aí e verão que ainda tem gente certa de que este fictício representante da patrocinadora trocaria, por um bom dinheiro, o título de 98 por caminho facilitado em 2002…

Teorias da conspiração que certamente se encaixariam como alguma indicando nova mutreta entre cartolas: se o Brasil garantisse o título de algum europeu em 2006, seria contemplado como sede da Copa em 2014. A farra em Weggis, aquele clima de “já ganhou”… Zidane carrasco outra vez, o melhor em campo, cobrando falta em direção ao Henry. Tudo politicagem.

Deve ter sido consequência do trauma pré-tetra, sei lá. Desde então, “somos o país do futebol”, “os imbatíveis”… Seria mais simples admitir que perdemos, que a França foi melhor. Ah, mas não teria graça sem a perturbação das lacunas da derrota. Viva o mistério.

André Marmota tem uma incrível habilidade: transforma-se de “homem de todas as vidas” a “uma lembrancinha aí” em poucas semanas. Quer saber mais?

Leia outros posts em Marmota na Copa. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (13)

  1. muito bons os seus textos!
    eu revivendo a copa atrav[es de suas palavras!!!
    saudosismo puro!!!
    abracos e parabens! (desculpe pelos erros, meu teclado esta desconfigurado e desfigurado ?P)

  2. Discordo de seu texto! Futebol em altíssimo nível é como F1: Um detalhe, um pneu mal calibrado, põe todo a perfeição do resto abaixo. Ronaldo era a expressão maior da Copa, não só do Brasil. E era sua primeira Copa de fato. Crise nervosa pode acontecer com qualquer um, imagine a pressão que ele sofreu, ou píor, a que ele mesmo pode ter se imposto. Ele era a peça principal, referencia da equipe, encarregado de resolver se a coisa se complicasse, maior ameaça ao adversário… Lógico que a crise nervosa era possível, e, pelo desenrolar dos fatos, algo capaz de desarrumar psicologicamente o time. E ainda, o Lídio passou para ele um Valium, poderoso calmante! Quando alguém se dopa, toma um estimulante, o cara entrou dopado ao contrário, com um sonífero… E vem o Zégalo e pergunta para o Ronaldo se ele tinha condição de jogo! É pacabá!! Qual jogador iria correr, dizer que não queria, e depois passar para a História como amarelão? Quem tinha que chamar a responsabilidade era a comissão médica e técnico.
    Preferiram tirar o deles da reta, lavar as mãos.

    A França, que não tinha nada com isso, foi lá e fez o jogo dela. Sentiu a facilidade e aproveitou. (Esse jogo, e o de 2006, aumentam em muito a fama do exclente Zidane)

    Não houve venda de jogo, como na Argentina 78. Eles iriam ganhar muito mais como campeões do que ganharam como vice-amarelões.
    Houve sim incompetencia da CT, em não perceber e reduzir a carga sobre Ronaldo, e depois em escalá-lo. Nosso time era melhor, mas um pneu mal calibrado, pos tudo a perder!!

  3. O que resume a copa de 98 foi dinheiro que injetaram nos jogadores..que futebol arte que nada! o negocio é grana que fez a frança ganhar! Tudo comprado que vergonha nacional que decepçao para aquela seleção de 98!

  4. O sonho de qualquer jogador brasileiro é ser campeão do mundo.Será que eu me venderia?
    ser um campeão mundial aumenta a chance de qualquer jogador ter seu passe em alta. Será que eu me venderia?
    comprar uma equipe de futebol é comprar todos os jogadores ,mais comissão técnica etc. etc, etc,. será que alguém um dia não colocaria a boca no mundo? Não seria mais fácil comprar o juiz o goleiro ou apenas um zagueiro? O zagueiro faria um penalti no adversário e o goleiro não pegaria a bola? não seria mais fácil?
    Eu acabo de rever os gols da França no Youtube e verifica-se que os gols foram feitos em disputa de bola e que a seleção tentou reverter o jogo, mas sem sucesso.
    Quero ressaltar que qualquer equipe que vai a uma copa do mundo, não chega lá por acaso nem é indicada por instituição a, b ,c nem d. Para ir a uma copa do mundo todos sabem que o critério é rigido, tem que passar pelas eliminatórias, consequentemente não existe seleção de baixo nivel disputando uma copa, portanto qualquer um pode ser o vencedor.

  5. em um país onde até na coleta seletiva de lixo existe a tal da corrupção….comprovadamente….vc acha que no futebol onde a grana é bem mais gorda e em notas verdes seria diferente , infelismente é assim,,,,sou amigo de um jogador que joga em um time de futebol de campinas , e o que se sabe é que rola muita sacanagem mesmo…um bom conselho que ele me passou foi: não gaste seu dinheiro com o futebol!isso em um grande time de pouca expressão… imagine a seleção,, onde muita coisa esta em jogo.. não apenas o tal ¨jogo¨, sei que vão negar até a morte esse fato , mas para mim foi vendido… infelismente o dinheiro compra o silencio e muitas coisas mais rsrsrs ,

  6. È SÓ REVER A ATITUDE E AS EXPRESSÕES DO DUNGA NAQULE JOGO TOTALMENTE RENDIDO OU VENDIDO NA FORÇA DA EXPRESSÃO DAVA PRA VER QUE UM CARA COMBATIVO COMO ELE EM SITUAÇÃO NORMAL NÃO JOGARIA ASSIM EAINDA TEM O PIRIPAQUE DE RONALDO QUE COMCERTEZA TEVE UM MOTIVO MUITO GRANDE PARA AQUILO E TODOS NÓS SABEMOS COM CERTEZA QUE O MOTIVO FOI A ORDEM DE ENTREGAR O JOGO

  7. A VERDADEIRA CULPADA DAS DERROTAS!!

    Em 1998 o Brasil perdeu a final para a Franca com fatos suspeitos em que se especula que a CBF tenha vendido a Copa.

    A realidade é que no fatídico dia Ronaldo foi diagnosticado como tendo ataques epiléticos o que depois foi realmente esclarecido. Ronaldo sempre sensação em mundiais na verdade sofreu dor de corno!

    Sua então namorada a linda Susana Werner jogava em outros campos, enquanto Ronaldo defendia a seleção. Entre uma partida e outra quem fazia gols era Pedro Bial, jornalista global que cobria a copa no momento. Ele e Suzana durante o mundial batiam um bolão, mas em outros gramados, enquanto o Brasil jogava Bial encaçapava, fato este descoberto por Ronaldo o que gerou todo um mal estar e abateu também o animo de seus companheiros. Este motivo também culminou com o pedido de separação da então esposa do jornalista global a atriz Giulia Gam.

    Agora novos esclarecimentos!!!

    Como Julio Cesar experiente arqueiro pode tomar um gol tão infantil nesta quartas de finais contra a Holanda???

    Estaria ele com o pensamento em outros campos imaginando o que a esposa estaria fazendo (por coincidência a mesma Susana Werner) enquanto jogava? Porque ela posta via twiter tantas mensagens de apoio ao arqueiro?? Seria peso na consciência e tentando se desculpar por suas ações extra-campo?!

    Quem desta vez com Susana Werner é o pivô da desatençao do goleiro brasileiro?

    CBF pelo amor de deus não convoque namorados, maridos ou amantes de Susana Werner.

  8. HORA SEGUNDO OS ITALIANOS A ITALIA VENDEU A COPA DE 94 PARA O BRASIL, A FINAL SERIA NOS PENALTIS PRA NAO LEVANTAR SUSPEITAS, SEGUNDOS ELES NAO HA COMO UM ATLETA CRAQUE COMO BAGGIO CHUTAR DAQUELE JEITO, E CADA JOGADOR ITALIANO RECEBEU 35 MILHOES DE DOLARES NA EPOCA. E TAMBEM EM 2002 A ALEMANHA ENTROU EM CAMPO VENDIDA CONTRA O BRASIL POIS O MELHOR GOLEIRO DO MUNDO OLIVER KAN, JAMAIS SOLTARIA UMA BOLA DAQUELAS,NOS PES DE RONALDO, NA EPOCA A ALEMANHA SERIA A PROXIMA SEDE E CADA JOGADOR TERIA RECEBIDO 90 MILHOES DE DOLARES ASSIM COMO EM 98 O BRASIL TAMBEM VENDEU A COPA, A VERDADE É QUE É DIFICIL LIDAR COM A DERROTA O FRACASSO, SE ACHAR IMBATIVEL E VER QUE TEM GENTE MELHOR QUE VC, MAIS O PIOR É QUE TEM MUITOS JUMENTOS QUE ACREDITAM NESSAS HISTORIAS , E COM BURRO NAO SE DISCUTE, TEM CUIDAR COM GARDENAL E CAPIM !!! NÉ…

  9. Segundo o que eu ouvi de um jogador famoso (mas que não disputou esta copa).. o papo que rolou entre a seleção de 1998 foi que Suzana werner fez um verdadeiro bacanal com a seleção e que Ronaldo a teria visto transando com o Edmundo…

    Coitado do Júlio César, rs

  10. É muita coincidência que na Copa seguinte
    (2002) o Brasil tenha caído no grupo mais
    fácil, enquanto outras seleções tiveram
    chaves complicadas…logo no 1º jogo, um
    pênalti discutível (Luizão); contra a
    Bélgica, um gol lícito belga é anulado,
    facilitando o jogo para o Brasil; Espanha
    e Itália garfadas contra Coréia do Sul e
    Hungria, respectivamente. Ou seja, 4 anos
    depois, os boatos de 98 se concretizaram.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*