Resposta ao meu pedido de desculpas

Lembram-se do pedido de desculpas da última sexta-feira? Entre todos os comentários dos visitantes sobre o assunto (vale a pena conferir), reproduzo aqui o mais importante deles – mesmo que você continue não entendendo do que se trata!

Não consigo entender vocês bloggers e por isso é difícil escrever esse comentário.

O que sei é que a internet mudou demais o jeito de as pessoas se relacionarem e tudo isso leva um tempo para se equilibrar. Acho louvável que o Marmota esteja contribuindo para a discussão do afeto nos tempos da conexão banda larga.

Algumas pessoas infelizmente não vão muito longe na reflexão. Estão sempre presentes os genéricos “errar é humano” e “se a pessoa for legal, te perdoará” que servem para qualquer situação e são muitíssimo confortáveis para quem erra.

Ficarei no caso específico. A seguir, um pouco do que pensei sobre a questão:

As confidências sempre existiram. Porém, o blogger não tem controle sobre a quem as dedica (nesse momento aproveito para agradecer a omissão do meu nome, o que me protege de todos aqueles que são completamente estranhos – mas não daqueles que me conhecem, mesmo que superficialmente).

Se mostrar publicamente de uma forma e ser uma pessoa diferente nos bastidores é outra coisa que sempre existiu. Mas os “bastidores” do blogger desprevenido são públicos, apesar de pouco visitados – para o alívio de suas vítimas!

Gato escaldado não entrar em fria novamente é algo sempre existiu e continuará existindo. Assim como o namorado da Marcia, daqui para frente considerarei sempre que minhas conversas com o Marmota podem “estar sendo filmadas” para posterior publicação em seu blog.

É cedo para saber o quanto isso comprometerá nossa amizade. Talvez muito, talvez nada. Por sorte, o Marmota é realmente um amigo e tanto.

Mas… alguns bloggers podem não ser tão especiais e esses devem tomar mais cuidado com seus mundinhos – que provavelmente se localizam num raio de 10 centímetros dos próprios umbigos (“fazer o quê?”)

Agora peço licença a você para me dirigir apenas a pessoa que gerou esse texto. Você me surpreende e emociona. Como não entendo os bloggers, não sei o quanto pode ter sido difícil para você expor essa sua enorme “errata” (2591 toques!) na primeira página. Independente disso, se pedidos de desculpa não funcionam comigo, atitudes como essa funcionam.

Conclusão: estou aberta a novas mancadas de sua parte. Novas mancadas, certo? Não me venha com mancadas repetidas…

Só não exagera, tá?

Não precisa entender os blogueiros não, afinal a cabeça de todos eles é exatamente como a do ser humano: inexplicável e imprevisível. Mas enfim, a partir de agora, vou ser mais reservado com os nossos assuntos e executarei apenas mancadas inéditas!

Um beijão enorme procê!

André Marmota formou-se jornalismo e ainda estuda o tema na pós-graduação. Mas o que importa é ter saúde, não é mesmo? Quer saber mais?

Leia outros posts em Alô Marmota. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (7)

  1. Mensagem Padrão de 10/02/2003. Coisas e mais coisas que acontecem que surgem para mudar o rumo de nossas vidas. Hoje não pudemos ir à festinha da Katy pois nosso pimpolho esta transformando a Marcia (para quem não sabe ainda vou ser PAI)!!! Esta chuvinha refrescou um pouco o ambiente…HÁ VERSOS QUE SAEM COMO RAJADA HÁ VERSOS QUE PINGAM FEITO GOTEIRA HÁ PALAVRAS DIFÍCEIS HÁ ESTÓRIAS MOLHADAS DE CHUVA NO MEIO DO MATO HÁ PROMESSAS VAZIAS E UM OU OUTRO BEIJO ROUBADO HÁ TANTOS CAMINHOS QUANDO SE COMEÇA O POEMA A POESIA PODERIA TER IDO PARA QUALQUER LUGAR MAS ACABOU INDO PARAR ONDE A GENTE NEM TINHA PENSADO.Abraços e Beijos!!!

  2. Ae André eu tb não fui na festa do JMC eu tava no Rio mas almocei com MT e Deus antes deles pegarem o bus. Pela animação dos dois tava promissor o negócio! Quem sabe ano que vem né? Qdo fizer dois anos?bjos

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*