Recebi uma carta apaixonada por engano!

Vocês não vão acreditar. Mas entre tantos stalkers, acéfalos, para-quedistas, entre outros parasitas que trafegam pelas entranhas deste espaço diariamente, existem ainda aqueles que erram longe, bem longe. Um cidadão alucinado, por exemplo, foi capaz de enviar por engano uma declaração de amor para cá!

O sujeito não diz em momento algum o nome da moça, e não há qualquer referência no Google a respeito do remetente. Não vou divulgá-lo, mas lembra os nomes usados nas colônias portuguesas na África – apesar do texto ter toda melação brasileira, ele traz referências que reforçam essa origem.

Estranhíssimo. Mas enfim, não resisti a tentação e decidi publicar a carta apaixonada, ainda que jamais ela atinja seu objetivo. Ou, vai saber, ele escreveu outra, conseguiu acertar o destinatário e hoje vive feliz ao lado dela.

E antes que alguém diga “ah, vai ver ele gostou de você”, eu não apenas deixei de responder (sequer disse “é um engano”), como agora deixo sua carta pública. Ou seja: machuquei seu coração duas vezes.

A vida nos reserva cada coisa...

Há alguns dias atrás eu sequer imaginava algo semelhante a acontecer comigo. Tenho meus planos, minhas carências e minhas vontades, mas reservo-me no direito de resguardá-las de forma a não sofrer decepções, traumas ou algo similar. Mas aí apareceu você! Deu uma balançada nesta estrutura que pensava ser mais forte... Mas enfim, descobri que não era o que eu imaginava a tal ponto, até então...

Há coisas inexplicáveis que acontecem conosco, sem sequer termos idéia do porquê disto tudo. Eu como sou crédulo em coisas místicas, vindo de lugares superiores, com forças supremas, acredito que só nestes lugares, encontramos as devidas explicações.

Foi assim, com você. Achei-a fantástica, maravilhosa, alto astral, bonita, cativante, enfim... Adorei! Você me mostra autêntica - adoro isto! - gosto de mulher determinada, segura, trabalhadora, consciente e sabendo o que quer. Pode ser até que eu me engane, principalmente por que faz pouco tempo que nos conhecemos, mas para mim, parece muito. Talvez pela sua espontaneidade, pelo seu sorriso, pela sua forma de ser, pela sua beleza!

Ontem fiquei surpreso, pois ando me contendo para não lhe “tascar” um beijo, tal a atração que me fazes. Pode acreditar, é verdade, vou me contendo... Não estou precipitando, talvez por que gosto de ser eu mesmo e passar o que sinto de cara. Pode ser, como qualquer outra pessoa, que eu desencante, que seja passageiro. Mas pelo menos, não iria ficar pensando no que não fiz e deveria ter feito. Mas, algo me diz o contrário, que é muito legal a minha atração por você, pode ser até pela cara de brava que fazes, mas eu adoro!

Há muito não encontro alguém que provoca o que você provoca, aliás acho melhor dizer, conheci no máximo duas pessoas que me lembro ter acontecido algo, semelhante, mas de menor intensidade como o que acontece com você. Minha vontade é de apertar bastante e sair beijando, lógico com carinho, mas que é de fazer é, mas vou me contendo... Queria eu descobrir o que você fez comigo e porque eu sinto todas estas coisas.

Gosto de ficar perto, embora ainda não tenha chegado a tanto, mas é muito bom! Gosto de vê-la gesticulando, rindo, falando e por que não, dizendo que irá brigar.... Você me provoca! Já conversamos bastante e sei que gostamos de muitas coisas em comum e pensamos também, por isso acho que devo continuar a insistir. Viu porque o instinto de dar-lhe as flores? Achei que era um símbolo para representar a você o que eu senti quando a vi e que estaria acertando...

Enfim, vou lhe revelando aos poucos os meus acontecimentos, meus sentimentos e o que penso a respeito de nós, mas de qualquer forma é muito interessante. Sei inclusive, que já tenho uma certa liberdade para falar certas coisas no ouvido, mas vou deixar para a ocasião certa, na hora do “tète à tète”... Já percebeste que eu não tenho papas na língua e falo mesmo, mas deixa para lá. Vou tentar ganhar terreno a cada momento. O importante é continuar vendo você regularmente, pois me sinto muito bem. Já estou pensando na volta quando estiver com meus documentos. Segure a onda!

Para finalizar, você está me fazendo tomar atitudes como as do telefone, pois ando falando muito. Já usei esta semana mais cartões do que o meu período de um mês aqui em Luanda. Isto tudo porque você conseguiu a façanha de me convencer a falar mais sem olhar em seus olhos! Preste bem atenção em tudo isto! Sei, como já lhe disse anteriormente, que me chamam de metido, arrogante, nariz em pé, autoritário e outras más impressões, lógico para quem não me conhece. Após conhecer, mudam radicalmente.

Mas não estou aqui para sorrir para todo mundo, somente para pessoas especiais como você. Imaginem então estas mulheres que muitas vezes você me perguntou por apresentar um “biotipo galinha”. Você acha que eu saio beijando por aí, sem valorizar? Posso dizer que não é para qualquer uma, eu esnobo mesmo! Sempre uso este ditado: se me ver com uma mulher feia e burra, pode separar que é briga! Pode acreditar, uso isto na prática. Escolho mesmo!

Mas o destino me pregou peça, agora eu estou aguardando ser escolhido. Espero que eu nade bastante e consiga chegar na praia sem me afogar. Aliás, falando em afogamento, só gosto daqueles de beijos, o restante dispenso. Falando novamente em afogamento, vou preparar o nosso em um fim de semana inesquecível. Lembra-se quando falou no Mussulo? A questão das velas? Pois é, vou fazer tudo para que seja lá... SEM VELAS!!!

Vou viajar e deixar você pensando o que irei aprontar para você em minha volta. Prepare-se!

Finalizando novamente, eu vou ficar te vigiando, mesmo ao longe sem ver vou ter ciúmes sim! Enfim, tudo isto é para dizer que já prematuramente te gosto. Espero que tenhas paciência de me esperar estes dias em que estarei ausente, e não aceite nenhum paquera neste meio tempo. Outra coisa: cuidado com as danças.

Um beijo, com carinho. Seu fã, admirador, mas “não amigo”.

Eu garanto que, nem nos meus dias mais carentes, seria capaz de inventar uma barbaridade dessas.

(Postado em 07/04/2006)

André Marmota adora usar a função “rand” do PHP, combinada com um array repleto de frases diferentes. Paaaaarabéns! Quer saber mais?

Leia outros posts em Alô Marmota. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (7)

  1. Eu devo estar meio “lesa” hoje, não entendi: Você postou ontem essa carta? E foi enviada a você em abril de 2006? Ou esse post é de 2006 e vc reviveu ele agora?
    E essa frase “Eu garanto que, nem nos meus dias mais carentes, seria capaz de inventar uma barbaridade dessas.” se refere ao texto da carta? ou seria sobre o post?

    Tenha paciência comigo, acho que dormi demais, e tico e teco ainda estão dormindo…

    Beijosss

  2. :Isso me lembra a música cantada pela Cássia Eller: “… a minha carta ele musicou. Tava em casa vitamina pronta, ouvi no rádio a minha carta de amor…”, guardadas as devidas diferenças…

  3. Lembra-me teu causo um SMS (vulgo “torpedo”) que recebi certa manhã no primeiro de meus celulares: “Te amo!”. Intrigado com o engano e cônscio de minha obrigação moral de avisar o remetente do extravio do comunicado, respondi-lhe “Por favor, verifique o correto destinatário de sua mensagem enviada há pouco.”.

    E não é que tomo na cara um “QUEM É VC??? COMO CONSEGUIU MEU CELULAR??? EU SOU CASADA, HEIN???” logo em seguida?

  4. Nooossa!!! O carinha da carta tava inspirado mesmo ou eu diria “pirado” pela garota (destinataria)…
    Hum, Ele escreveu muita coisa…

    + dizem q é por isso q é carta de amor!

  5. kkkkkkkkkkk nossa q ridiculo,mas dizem q o amor é assim o ridiculo da vida rs,rs,rs…mas a parte das flores,ñ se faz homens como antigamentes romanticos q ainda manda flores a suas amadas.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*