Pichando sem medo da polícia!

Há quem ache uma porcaria, sujeira pura, falta do que fazer. Quem já saiu pelas ruas à noite pichando muros, monumentos e outras obras públicas e privadas, faz isso para marcar território, desafiar limites, ou para expressar seus sentimentos através da arte.

Questão discutível. Em uma entrevista para a revista Istoé em 1998, o jovem André Luís Calheiros, então com 19 anos, fazia isso simplesmente para aparecer nos jornais.

“Todo mundo pensa que pichador é bandido. Ninguém se interessa em saber quais são os motivos para sair por aí pichando. A gente picha porque é uma aventura e é muito divertido. É a única maneira de a gente sair no jornal, na televisão… É a glória! A sua marca fotografada ou filmada. Te dá fama e prestígio”.

Pessoalmente, acho que existem outras formas de aparecer. O pichador pode cortar uma melancia no meio, colocar na cabeça e sair pelado na Paulista. O efeito é o mesmo.

Mas enfim. Com o advento dos blogs, ninguém precisa ficar com medo da polícia para testar suas habilidades artísticas: é possível fazer isso na Internet, substituindo sprays de tinta colorido pelo mouse! A idéia é do site blograffiti.com, uma espécie de muro virtual onde qualquer um que estiver conectado pode brincar de pichar.

Uma idéia simples, que mistura guestbook com paintbrush e recebe incontáveis grafitadas por dia. Mais fácil ainda é brincar com o negócio: experimente mudar a “bitola” e a cor do pincel, abusando sempre da criatividade. Não esqueça de colocar seu nome e site antes de cravar sua obra de arte na parede!

André Marmota pode perder um grande amor, um amigo de longa data ou uma oportunidade de trabalho... Mas não perde a piada infame. Quer saber mais?

Leia outros posts em Faça fazendo. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (3)

  1. Concordo com a Carmilla..! *rsEu já fui pichador de carteira de escola, eu via na rua e fazia no caderno, depois na carteira… *rs, terrivel…Sobre ontem, fiquei feliz em ter sido citado nos lançamentos da Mesa Branca Records, valeu mesmo..! Sobre este lançamento do Raul Seixas, eu fiquei sabendo uma uns 4 dias depois do encontro no Area 51, pela Rádio Tupi no programa Barros de Alencar (minha mãe curteo ouvir os programas dele, e eu fui torturado por 20 dias ouvindo-o tb, *rs), ele até tirou uma onda com a música, e disse que assim que conseguisse iria tocar no programa dele, eu até falei na hora: – Mesa Branca Records, todos em casa começaram a rir…’s

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*