Pantanal: como é voar num ônibus com asas

Pantanal

Se você gosta de viagens aéreas e sente prazer ao conhecer algo diferente e inusitado, considere a possibilidade de voar para qualquer destino oferecido pela Pantanal Linhas Aéreas. É muito interessante e divertido.

Mas vá depressa. Há poucas semanas, a empresa foi ameaçada pela Anac, já que não apresentou documentos que comprovem sua regularidade técnica e fiscal. A agência nacional chegou a marcar data do último vôo: 25 de março. Mas uma liminar mantém a empresa operando suas rotas normalmente: partido de Congonhas, é possível chegar a Marília, Araçatuba, Bauru e Presidente Prudente (SP); Juiz de Fora (é quase RJ, mas é MG) e Mucuri (BA, cidade cuja maior atração é a fábrica de papel ligada à Cia. Suzano). O fim segue próximo: a Trip Linhas Aéreas, de Campinas, está de olho nesse mercado e em pouco tempo deve comprar a simpática companhia, operando as rotas com modernos jatos da Embraer.

Enfim. Compre sua passagem e vá ao aeroporto. Se puder, com pouca bagagem. Tudo que levei para ficar dois dias no interior foi uma mochila de roupas… Que precisou ser despachada: ao contrário de qualquer companhia, o limite máximo a bordo é de apenas 5kg. Depois de etiquetar a bolsa, o atendente a colocou junto de outras, amontoadas bem ao seu lado. Não, não tem esteirinha para levá-las a lugar algum…

Os poucos passageiros do meu vôo tiveram que aguardar mais de uma hora em relação ao previsto. Mas assim que o vôo foi anunciado, foi rápido: todos embarcaram rapidamente no ônibus que nos levaria até a aeronave, posicionada num cantinho ermo de Congonhas. Aliás, todos couberam no mesmo ônibus! Eu nunca tinha visto um ATR42 tão de perto. É realmente pequenino e aconchegante. Para embarcar, foi só subir uns seis degraus da escadinha embutida na parte traseira. A primeira impressão é bem evidente: as 46 poltronas, duas de cada lado do corredor, definem o turbohélice como um ônibus alado.

Apenas duas comissárias nos acompanharam em todo o trajeto. Com as portas fechadas, os barulhentos motores iniciaram seu zumbido constante. Enquanto o aviãozinho se posicionava, uma das aeromoças recitou o procedimento de emergência, enquanto a outra ficou do lado oposto, como de praxe. “Essa aeronave tem janela de emergência na frente, além da porta. Aperte o cinto e leia o cartão. Boa viagem, e simbora!”. Ué, e a máscara? E os assentos flutuantes? E a versão em inglês?

Assim que o comandante anunciou o “tripulação, decolagem autorizada” e a aeronave acelerou na pista, meu cérebro disparou a melodia de Danúbio Azul. Isso porque a bichinha começou a dançar. Para a esquerda, para a direita… Como se quisesse pegar algum “embalo lateral” antes de subir. Vagarosamente, o turbohélice da Pantanal subiu. Por longos minutos, os passageiros tiveram uma bela paisagem: uma fina camada de nuvens contrastando com as fortes luzes da capital paulista em noite de lua cheia.

“Nosso tempo de vôo até Bauru será de 50 minutos”. Minha nossa, é o tempo que leva até o Rio, que fica uns 150km mais longe! Antes do serviço de bordo, ouvi as considerações do comandante. “Senhores passageiros, boa noite! Sejam bem vindos a bordo! Já atingimos nossa altitude de cruzeiro, que é de 18 mil pés, cerca de seis mil metros…”. Puxa, a metade da altura de um avião de grande porte! Era realmente um vôo panorâmico!

Finalmente, chegou a vez do serviço de bordo. O lanche estava ótimo, mas a minha mesinha tinha algum problema técnico: grossas camadas de fita crepe e algo parecido com massa epoxi simplesmente travaram a danada. Por sorte, não havia ninguém ao meu lado: pude usar a mesinha alheia. “Tripulação, preparar para o pouso. Aos que desembarcam em Presidente Prudente, garantimos que nossa escala em Bauru será muito breve”.

Dito e feito. A aeronave encostou no aeroporto, aguardou o desembarque e minutos depois, como se fosse uma simples escala rodoviária, seguiu viagem para o destino final. Mas olha, não foi fácil. Qualquer ventania externa faz com que o pequeno avião balance ao extremo, deslocando até sua própria alma. A noite lá fora dava tons ainda mais sombrios: o aeroporto de Bauru fica longe da cidade: tudo que se via era a pista iluminada, a torre de comando e, ao redor, um descampado a perder de vista.

A maioria dos passageiros desceu mesmo em Bauru. Sobraram poucos para a reta final, que durou mais meia horinha. O deslocamento foi extremamente sossegado, a ponto das comissárias se entocarem atrás para falar da vida. “Não sei o quê não sei o quê meu cabelo que eu modifiquei, não sei o quê não sei o quê meu namorado vai me pegar”… Essas coisinhas.

Não menos sossegado foi o pouso e o desembarque no modesto aeroporto estadual de Prudente. Só faltou pegar a mochila ali mesmo, sem esperar o carrinho despejá-las ao lado da porta… Mas tudo bem: deu tempo de me despedir das comissárias e de alguns passageiros: ainda que o vôo tivesse sido rápido, eram tão poucos que, no fim, parecia que todos se conheciam.

Atualizado – Antes de comentar, reflita sobre o que leu. Ou releia o texto antes de desabafar à toa. Em língua portuguesa, “aviãozinho” é o diminutivo de “avião” – e qualquer um que observasse o ATR o chamaria de “aviãozinho”, por ser um avião pequeno. Além disso, nas primeiras linhas, digo: “considere a possibilidade de andar num desses”. Ou seja, eu quero andar sim, e recomendo sem temor. Em nenhum momento desmereço o trabalho de ninguém, apenas relatei o que senti nessa experiência de forma descontraída – como qualquer passageiro leigo faria com um amigo. Se desejar seguir a linha de profissionais ligados à aviação, indignados com a minha arrogância, será mais um a fazer piada com seus clientes ignorantes. É essa a imagem que você deseja transmitir?

Comentários em blogs: ainda existem? (48)

  1. Eu ADORO os ATRs! Todas as vezes em q viajei num aviãozinho desses, foram muito divertidas. Acho q é o espaço diminuto… :D

  2. Olá Marmota

    então, eu adoro viajar para o Interior de Sp usando os ATR´s da Pantanal . Mil vezes eles do que os MK 28 ( fokker 50) da Oceain Air.

    Adoro esse ônibus alado . Como vou frequentemente a Araçatuba , também uso o aeroporto de Bauru (é como se estar num bus e parar num desses mega postos à beira da estrada …tipo Frango Assada, Graal ….rsrsrsrs).

    Adorei seu texto , muito descontraído !
    E quem sabe, a gente um dia , tenha a possibilidade de pegar o ” aladinho” juntos !
    Garantia de boas risadas ….
    Abraço

  3. os ATRs sao mais seguros que os AIRBUS,pois no acidente em CONGONHAS só quebrou o aviao enquanto o AIRBUS…..

  4. prezados, aproveito seu espaço para saber se houve algum pouso de emergência aqui no Rio de Janeiro, hoje, 30/04/08, pois pela manhã(+ – 08:00)vi uma aeronave de grande porte voando muito baixo próximo à direçao do cais do porto do Rio e fazendo uma curva em direção ao AITJ(antigo Galeão).
    Muitas pessoas tiveram a impressão que eu tive, que poderia estar em dificuldades e fosse fazer um pouso de emergência. Obrigado pela atenção, Joel Schwartzman

  5. Típico comentário de quem não entende nada de aviação. O ATR é um excepcional avião e não um “aviãozinho”, somente no Brasil se algo não for um Boeing 737 ou algo parecido é que é respeitável. Nos países desenvolvidos não existe esse tipo de classificação, geralmente as maiores distâncias são cobertas por aeronaves maiores e as menores distâncias são cobertas pelas aeronaves regionais (Embraer Brasília, ATR 42 e 72 , Dornier, Beechcraft 1900 etc). Bem para encurtar é por causa de matérias acima que o Brasil, um País de dimensões continentais é mal servido pela aviação comercial, pois se não for jato , ninguem quer……..

  6. Hahahaha

    que aventura heim…

    Olha que estou com saudade de vc e aquela “sexy” balançadinha na barriga…

    Estarei em SP nesse feriado…
    Se rolar algo bom, me avisa que eu apareço pra matar a saudade…

    bjos

    K.

  7. Em resposta ao post do Cmte Leal : Comandante , nós amamos esse avião !!!
    O termo aviãozinho foi usado com sentido carinhoso , jamais pejorativo !

    E fico feliz (como passageira ) em saber que a Pantanal continua voando , apesar da turbulência corporativa ….

    Ahhh e sobre aeronaves menores , eu , prefiro ! Poluem muito menos que os jatos . Já voei com muito Embraer na época da Varig , em linhas regionais e também nos USA….muitas rotas lá , hoje em , são feitas por aeronaves menores . A última que fiz , foi Newark/Toronto …de Embraer !!!! E foi delicioso !

    Marmota , em Araçatuba , chamamos o ATR pelo apelido carinhoso de Batedor de Asas !

  8. viajei durante 2 anos 2003 a 2005 toda semana ida e volta a Araraquara, lastimei quando interromperam este trecho.Avião superseguro, serviço excelente comparado aos das demais companhias aereas, serviam refeições como nos bons tempos.

  9. É verdade! Refeições como nos bons tempos! Voei de Gol esta semana. Eles tentam ser bacanas, mas falta alguma coisa. Tenho saudade da velha Varig, onde voei de 707 e Electra II! Ou os 727 da Cruzeiro!
    Na categoria do ATR faz falta os DASH-8 da TABA (que também operou 727 e BAE 146). E não nos esqueçamos do F27 da TAM ou da Votec(na verdade FH27, neste caso feitos na América pela Farchild).
    Sds
    Paulo

  10. Concordo plenamente com o Cmte Leal. Certos textos prestam um desserviço à aviação. Espero que os leitores não piorem sua visão da aviação, com base nos temores infundados do autor, e de suas observações, no mínimo, curiosas.

  11. Achei o texto meio urbanóide demais, só poderia ter vindo de um marmota,saiba esses ¨aviõezinhos¨que você diz, são responsáveis por ligarem regiôes muito prósperas do Brasil aos grandes centros. E digo mais,são extremamentes seguros e não são usados apenas pela Pantanal, são usados por exemplo, pela maior companhia aérea regional do país e também por algumas das maiores do mundo.

  12. Ora, o Leal foi extremamente rigoroso com o artigo.
    Texto descontraído e leve, relatando fielmente e com bom humor.
    Às favas o conhecimento técnico, que ninguém é de ferro…
    Vai uma Brahma aí, Leal…?

  13. Aos comandantes descontentes: na língua portuguesa, “aviãozinho” é o diminutivo de “avião” – e qualquer um que observasse o ATR o chamaria assim. Peço ainda para que releiam as primeiras linhas: “considere a possibilidade de andar num desses”. Ou seja, trata-se de uma recomendação, e não o contrário. Isso desqualifica vossos temores. De qualquer forma, entendo que qualquer desabafo seja útil para desestressar. Portanto, relaxem.

  14. Prezado Marmota, obrigado pela resposta. É que realmente sou revoltado com este País em termos de aviação. Considere que na década de 60 o País era melhor servido pela aviação do que hoje (maior número de cidades atendidas).Em suma hoje só se voa praticamente para as capitais. O centro Oeste está esquecido, como também a região amazônica, e o interior do Nordeste nem se fala… As regionais estão faltando para fazer o link com as capitais. Neste País, falta incentivo do Governo, da ANAC etc…

  15. Sai pra lá ô chatice dessa comantaiada!
    Quem quiser entender de avião que vá ler o JetSite. A proposta do blog não é essa. O texto é personalista, baseado em impressões. De fato, o ATR 42 é um dos mais seguros do mundo, aguenta bem o tranco. Mas que balança e assusta quem não conhece, isso com certeza. Recomendo a quem voar num desses (eu vôo quatro vezes por mês nele) que peça para conhecer a cabine. Converse com o cmdte e vai voltar pro assento mais tranquilo hehe. Quem sabe até seja convidado a acompanhar o pouso lá da cabine mesmo.

    Abração, André!

  16. Putz!
    Que simpático!

    Da minha última viagem pela gol (até parece que já viajei horrores; foi só a segunda vez), o estofado da poltrona da frente estava descolado, bem atrás da minha bandeja… ótemo!

  17. hahaha….voei mto nesse avião….nem tem perigo de voar neles pq qualquer coisa ele esta bem proximo ao chão….passa quase enroscando nas montanhas….e o avião só tem 30 anos….ta na flor da idade…hehehee

  18. A seguir os cometários acima, desaprovo toda e qualquer crítica feita ao texto do senhor Marmota.. leve, consciente e descontraído são as observações e palavras do mesmo, embora eu não tenha obtido tal experiência em voar num “aviãozinho” como esse. Ahhh!! Deu-me água na boca e pensamentos mil em quão seria agradável viajar num tal ATR42 podendo ser uma relíquia entre os aparelhos voadores, tal qual como os quatro rodas “cadilac’s e “corvett’s etc…. o “aviãozinho” tão polemizado por alguns deve ser considerado uma volta ao tempo! Podendo ser a visão do Sr. Marmota. A final, o texto me chamou a atenção e gostei da forma que este descreveu mais uma de suas viagens e ponto!

  19. Caro Marmota,

    Claramente vosso comentário demonstra ser uma visão de um simples usuário e não de uma pessoa que conhece o ramo da aviação. Sendo assim, antes de escrever algo do gênero, seria bem interessante, se você se “armasse” de dados e estatísticas sobre este ramo para que vossos comentários e críticas sejam mais adequados e menos “debochado”, já que estamos falando de empresas e funcionários que lutam para que a aviação Brasileira seja melhor, dentro de suas possibilidades e realidades. Não podemos fazer comparações entre grande empresas e as regionais, muito menos, comparações entre aviões…pois para leigos, aviões pequenos significa aviões menos seguros e isto não é verdade!

  20. Vc ta exagerando na dose. Os ATR´s são os mais sucedidos turboelices no mundo. Grandes cias aérea operam ele como Lufthansa, American Airlines e no Brasil além da pantanal, a Trip/Total opera os modelos ATR42 e ATR72 q é maior.
    Não precisa de mascara de oxigênio, ja q os vôos acontecem em altitude que não é necessário respirar oxigênio em causa de despressurização.

    agora qualquer ventania externa balança ate 747 e A380 e se for windshear…faça sua prece!

  21. Xi, se falasse que os aviões eram tunados então você causaria um novo caos aéreo. Eheheh
    E aposto que a sua malinha do Tour Gostosas não caberia nem despachada!
    Abs

  22. acho que essa aeronave é parecida (se não a mesma) que faz o percurso Natal-Noronha. Eu tive bastante medo e não achei nada divertido! rs…

  23. Eu juro, JURO, que nunca acreditei na existência da tribo dos defensores dos aviões turboélice.

    Este post é um marco, creio.

  24. Não que sejamos tribo de defensores de turboélice. Ele nunca deixará de existir apesar do grande público pensar que sim. É um motor também a reação, como o jato puro, porém muito eficiente e ideal para pousar em campos pequenos com bastante segurança. No meio executivo o avião turboéçice que reina há 40 anos chama-se King Air, é atualmente fabricado (os ATR`S também!), é um sucesso de vendas e continuam aperfeiçoando-o. O VLJ´s (Very Light Jets) estão entrando na competição com ele, mas perdem em autonomia etc. No meio militar o consórcio AIRBUS está em fase final com um grande turboélice quadrimotor para substituir os excepcionais e famosos Lockheed HÉRCULES.

  25. E pensar que eu vou quase mensalmente para Prudente e não pego avião…

    Mas mal lhe pergunte: foi fazer o que na Capital Nacional do Gado Nelore?

    Abraço – e parabéns com atraso!

  26. CARA EU NUNCA VI UM CARA TÃO MAL INFORMADO COMO VC ,,PARA DIMINUIR SUA IGNORANCIA O PESO MAXIMO PARA BAGAGENS DE MÃO , SÃO 5KG EM TODAS AS EMPRESAS FILHO ,,PELO AMOR DE DEUS NÃO ESCREVE BESTEIRA NÃO SE INFORMA PRIMEIRO,,E SE VC NÃO GOSTOU DE VOAR NO ATR-42 ( UNS DOS AVIÃO MAIS SEGUROS DO MUNDO ) É SIMPLES , NÃO VOA MAIS , VAI DE ONIBUS, ENGRAÇADO VARIAS ALGUMAS RECLAMAM MAIS SEMPRE EMBARCAM NELE ,,TIPO MULHER DE MALANDRO SABE.. E QUANDO A ANAC FALA QUE VAI PROIBIR A EMPRESA DE VOAR ,, VCS SÓ FALTAM MORRER, FALA SERIO VÉIO ,,,TANTAS CIDADES QUE NÃO TEM O PRIVILEGIO DE TER VÔO DIARIOS , E VC QUE TEM FICA RECLAMANDO,, ONDE MORO QUANDO FALARAM QUE A PANTANAL ENCERRARIA SUA OPERAÇÃO , ALGUNS PULITICOS INGNORANTES CORRERAM NA TAM PARA PEDIR PARA ELA OPERAR AQUI ,,POIS É A TAM NEM RECEBEU ELES , DISSE QUE NEM CONHECIA A CIDADE,, E A PANTANAL ESTA AQUI SERVINDO , COM DIFICULADES , POIS HOJE EXIXTE UMA CRISE AÉREA MUNDIAL COMO VC PODE TER NOTADO ,, RECONHEÇO QUE A PANTANAL TEM ALGUMAS FALHAS COMO VARIAS OUTRAS EMPRESAS , MAIS CONTINUA OPERANDO E SERVINDO MINHA CIDADE , SEI QUE OS AVIÕES DA PANTANAL NÃO SÃO OS AVIÃO MAIS LUXUOSOS , MAIS SEI QUE DEVIDO A DEMANDA DE PASSAGEIROS DE MINHA CIDADE SER BAIXA SENDO INVIAVEL A OPERAÇÃO COM AVIÕES MAIORES , EXEMPLO : A TAM TENTOU OPERAR COM O F-100 E NAUM CONSEGUIU ,, ABRA TENTOU COM SEU BOING E NÃO CONSEGUIU , A OCEANAIR TENTOU COM SEU F-100 , E NÃO CONSEGUIU,,,POR ISSO A PANTANAL NÃO TENTOU OPERAR COM AVIÃO MAIORES E MAIS LUXUOSOS ,

    A PARA O AMIGO QUE ESCREVEU ANTERIORMENTE , É MELHOR VIVER NA CAPITAL NACIONAL DO GADO , DO QUE VIVER NA CAPITAL NACIONAL DA POLUIÇÃO , DOS SECRESTROS , DOS ASSALTOS, DOS TIROTEIOS , E DE UM MONTE DE GENTE EXTRESSADA DEVIDO A ESSE TRANSITO MALUCO DE SP, MAIS SE ELE GOSTA DE VIVER LÁ TUDO BEM , QUE SABE UM DIA ELE NAUM CONSEGUE MORRER DE CANCER …. E POR FAVOR NAUM USE ESSE BLOG PARA ESCREVER TANTA BESTEIRA, SE INFORME ,,E SE VC NÃO GOSTA , NAUM USA MAIS , VIAJA 06HS DE ONIBUS ,,E CORRA O RISCO DE MORRER EM ALGUM ACIDENTE NA ESTRADA,,

  27. Boa noite, Marmota.

    Li seu texto e realmente o considerei muito engraçado.
    Vc é muito bom nisso mesmo, a parte engraçada é vc se mostrar tão leigo referente à ATR´s e ter a petulância de escrever sobre eles.
    Bom, gostaria clarooooo, de comentar sobre o texto.
    Primeiramente te esclarecer que a TRIP Linhas Aéreas pode até ter tido a intenção de comprar a Pantanal algum dia, operar suas rotas, porém, não somente para voar com os modernos jatos da embraer, como vc disse, afinal a TRIP é a outra cia no Brasil que opera também com ATR´s, o 42, inclusive o 72.
    Claroooo que preciso comentar sobre outros detalhes do seu texto tão bem formulado, rs, que tirou gargalhadas de conhecedores de ATR´s.
    Bom, gostaria também de te informar um fato muito simples, qualquer um podia ter te dado esse toque antes de vc escrever essa bobagem, mas agora já foi, tem sido mais um motivo para a chacota… Olha só… Em vôos domésticos, independentemente da empresa só é permitido levar a bordo como bagagem de mão as que não ultrapassem 5 kgs e as dimensões de 15x15x15x15, agora, se vc fez algum vôo que lhe foi permitido tal faceta, pode ter certeza que o funcionário da respectiva empresa que o atendeu é que não adotou o procedimento correto.
    Ah… Referente à esteirinha de bagagem… Tem sim, ficam uma de cada lado da pantanal, uma que atende Gol e Pantanal e a outra que atende Pantanal e Ocean Air, a mesma esteira que leva a bagagem para as empresas terceirizadas, que as acomodam em carretas e levam até a aeronave, sugiro que na sua próxima vinda ao aeroporto de Congonhas vc repare melhor.

    Ah… Referente à 1 hora de atraso espero que não seja preciso comentar, afinal não é um mal que atinge somente a Pantanal e sim todas as cias, porém graças à Deus hoje em dia na aviação está tudo fluindo bem.
    Quanto ao comentário de “todos os passageiros caberem no mesmo ônibus”, foi meio sem nexo, afinal a lógica é que o ATR 42/300 cabe 45 passageiros, e um ônibus normalmente cabe por volta de 50, então seria uma estupidez deslocar 2,3,4… Quantos ônibus vc queria? rsrsrs
    Bom… Vamos lá então, em relação ao Speech eu poderia esclarecer que ele é muito mais esplicativo do que vc citou, mas vamos pular essa parte meio chata.
    Referente às máscaras, os assentos flutuantes, coletes salva-vidas, gostaria de humildemente te explicar,olha só, pela lei que rege a Aviação Civil a Pantanal não tem a necessidade de operar com máscaras por voar em uma altitude média de 21.000fit(Pés, rs) por ser considerada uma altitude baixa, no caso de algum incidente, despressurização, a eronave chegaria em pouquíssimo tempo a uma altitude que poderíamos respirar normalmente, por volta de 8.000fit. (Ah… Mais um motivo do ATR ser considerado uma aeronave segura).
    Quanto aos assentos, coletes… A mesma lei diz que somente serão necessários tais acessórios se a rota da cia ultrapassar a 200mn (milhas Náuticas, rs) mar a dentro, que também, se vc procurar se informar um pouquinho saberá que não é o caso da Pantanal.
    Ah… Me espanta o seu espanto em saber que levaria 50 minutos para chegar em Bauru, afinal é o tempo que leva pra chegar ao Rio, como vc disse, vc só não percebeu que o ATR é um turbo-hélice, não um jato, aeronaves diferentes, entendeu?
    Agora vou te falar uma coisa meu amigo, vc realmente é muito azarado, deu o azar de pegar uma mesinha remendada, e olha , posso garintir que não é o caso da maioria das mesinhas, pegou turbulencia, em vôo e em solo, rsrsrs, o q mais??? Rs
    A colocação de “esperar o carrinho despejar as bagagens ao lado da porta” não foi nada legal, posso explicar para que os leitores entendam melhor, no caso de PPB (Presidente Prudente), como em outras bases não é necessário uma carreta para transportar as bagagens, devido a aeronave parar consideravelmente perto da sala de desembarque, é mesmo um carrinho que faz o transporte, juntamente com os funcionários que o guiam, as bagagens são levadas até uma sala de desembarque aonde serão retiradas por seus respectivos donos, como em qualquer outro aeroporto, e não despejadas ao lado da porta como vc se referiu.
    Agora no seu ultimo comentário, enfim, concordo com vc, é uma aeronave pequena, no fim parece mesmo que todos se conhecem, apesar de tudo que a imprensa divulgou sobre a Pantanal, de todo sensacionalismo, disse e me disse, fecha não fecha, ainda existem pessoas corretas, que conseguem enchergar os dois lados da moeda, passageiros assíduos, que sabem que apesar da estética o ATR é uma aeronave extremamente segura, que a Pantanal apesar das críticas ainda tem muito a oferecer.

    Bom, sei que provavelmente o meu comentário pode não ser muito bem recebido, na verdade adoro todo tipo de charge, piadas e tal, porém vc presta um serviço ao mundo inteiro, milhões de pessoas com certeza leram ou vão ler seu texto, e com certeza a maioria delas não vôou um ATR ou na Pantanal, então o fato de você distorcer tanto a história poderá com certeza confundir a cabeça de muita gente.
    Vc pode sim, chamar de aviãozinho, afinal… É um avião pequeno, agora satirizar tanto uma aeronave e uma Cia sem ter o mínimo de conhecimento é muito triste, quase deprimente.
    Vc já deve estar curioso, bom, a tal defensora é sim funcionária da empresa, que não trabalhou em um único setor, peço desculpas por erros ou vícios de linguagem que posso ter usado, afinal não é esse meu ramo.
    Digo mais, quem me conhece sabe que eu sentaria por horas pra rir de coisas relacionadas à aviação e o nosso dia-dia só acho uma falta de respeito com o ATR, a Cia e todos os funcionários que batalham dia a dia, que dão seu suor e seu sangue para no fim lerem um artigo que menospreza tanto a sua empresa e o seu trabalho, mas o pior não é isso, porque no Brasil infelizmente só o lado ruim dá ibope, a pior parte mesmo é o fato de grande parte do texto não ter fundamento algum.

    Bom, agradeço o espaço.

    Uma ótima noite à todos os leitores, inclusive ao senhor Marmota.

    Atenciosamente
    Cmss Jaci

    Agradeço seu comentário preciso e detalhado sobre a minha “petulância” e “falta de conhecimento”. Pena que não tenha ficado claro que gostei da experiência de voar pra Prudente, mas fico feliz em saber que percebeu, logo de cara, que não sou piloto e sou um passageiro leigo. Como praticamente todos que utilizam serviços de qualquer companhia e podem escrever relatos despretensiosos em sites pessoais. Ao mesmo tempo, é muito interessante saber que a categoria sabe perfeitamente que seus passageiros são desinformados – e quando os mesmos decidem relatar suas impressões pessoais, fazem piada da ignorância de seus passageiros. Vou lembrar disso quando recomendar serviços aéreos.

  28. Caro senhor Marmota.
    Meu texto foi elaborado em resposta à uma sátira que foi feita em relação à Pantanal e ao ATR, todos que lêem percebem que foi uma grande tiração de sarro, mas não generalize, não pretendo ofender nenhum passageiro, leitor, muito menos o senhor, o termo petulante deveria lhe suar como “atrevido”.
    Cada um entende de sua área, ninguém é obrigado a saber de aviação, a questão é que imaginei que alguém que monta uma página na internet falando para o mundo sobre uma cia aérea e uma aeronave no mínimo entende de aviação.
    Mas já que não é o caso, peço desculpas se o ofendi.

    Só mais uma coisinha,meu nome ficou gravado e sua resposta ficou assinada com o meu nome…

    Atenciosamente
    Cmss Jaci

  29. Meu caro Marmota,
    Acho que fosse foi agraciado com o título de “””Burro Alado””
    Não faça isso. Não comente o que não conhece.
    Observe o provérbio Chinês… Quem diz o que quer escuta o que não quer…

    Infelizmente todo o pessoal que o estão recriminando pela sua idiotice estão cobertos de razão..porque voce não pensou que o que vc estava difamando ou melhor, tratado com tanto desprezo, é o ganha pão de muitos de nós.
    Em 50 anos de aviação, nunca vi ninguem escrever tanta besteira e tão curto espaço.
    Marmota pega uma vara e vá pescar… mas cuidado par quando voce chegar a beira do rio nao cair na agua, porque as piranhas poderão pensar que voce é um boi de piranha…entendeu???? acho que não…mas fica pensando que numa hora dessa voce vai acabar entendendo…
    Não é so de burrice que vive um homem….(risos)
    O Marmota, olha a foto ai acima, e veja que avião lindo…
    Eu acho que você é um Piloto Frustado… so pode ser..
    voce está agindo como a raposa e a uva…
    vai pescar vai…
    risos

  30. Caro Sr.Marmota,
    Peço licença para fazer minhas as palavras da Cmss. Jaciara; Como passageiro assíduo da Pantanal Linhas Aéreas, onde faço aproximadamente 10 vôos mensais, sou fã incondicional dos funcionários que ali trabalham, pude observar e constatar que os mesmos “vestem” a camisa da empresa, quaisquer sejam as dificuldades porque possam passar; os aviões ATR são muito seguros, fabricados por um consórcio que tem a AIRBUS como participante. O espaço interno, bem como o serviço de bordo são melhores dos que os das outras empresas que temos aqui no Brasil.
    Saliento que não tenho nada contra as suas impressões, entretanto, as mesmas poderiam ter sido dadas com a mesma sátira e alegria, mas sem toda a jocosidade e menosprezo empregados em seu texto.
    Forte abraço e saúde,
    Rogélio Rocha – Araçatuba (SP)

  31. Acho que nunca li tanta bobagem em um único texto. Obviamente entende-se que se trata de uma pessoa leiga, porém pensei que, já que é um blog de aviação, frequentado por leitores da área ou entusiastas, fosse escrito por alguém que realmente entendesse de aviação. Fico chateada ao imaginar algum funcionário desta empresa lendo este texto, que satiriza tanto a cia e quem trabalha nela…uma empresa séria e honesta, que vem lutando tanto para permanecer em um mercado com uma concorrência tão desonesta e desleal. O ATR é sim um excelente avião e, como todo e qualquer bom turbo-hélice, balança sim e faz barulho. o comentário sobre Bauru possuir o mesmo tempo de vôo que para o RJ??? Acorda…se quer mais rapidez não pegue um turbo-hélice, voe por outra cia. Já que fez essa escolha, esteja ciente de que é um avião mais lento e que não possui os procedimentos de uma aeronave maior. (e pra que falar inglês?? Quantos gringos viajam desacompanhados para as cidades onde a Pantanal opera???). Trata-se de uma cia menor, que opera voos diferenciados e o que caracteriza a Pantanal é a qualidade do serviço de bordo, o atendimento personalizado e os trechos onde opera. Não, não trabalho nesta empresa…sequer trabalho em cia aérea, porém entendo do mercado e fico frustrada ao ver comentários deste tipo. Espero que você se atente mais ao mercado e saiba que esse texto, lido por pessoas que desconhecem o mercado e o ATR, representa um tremendo marketing negativo para a empresa e, sinceramente, eles não merecem isso. Já voei de Pantanal e recomendo…excelente serviço e atendimento!!

  32. Pessoal: parece que nao entenderam direito o que ele escreveu. Eu nunca voei nesses avioezinhos mas procurei me informar sobre a empresa e acabei vindo para nesse site. O texto do marmota me deixou à vontade e vou voar com certeza na empresa. Nao sei o porque do estresse com ele. Belo texto, engraçado. Pessoal de mau humor ou com TPM no momento: não enche o saco – o texto está bom e dá vontade de voar. No stress. Vou voar semana que vem.

  33. Pessoal, sou uma pessoa que tem medo de voar, seja de aviao grande, pequeno, helicoptero, viajo muito, ja fiz viagens internacionais.
    Quero dizer que estava procurando na internet sobre a Pantanal pois meu marido comprou passagens partindo de Sao Paulo ate Maringa, e entao eu disse…. deixa eu ver aeronave e entao quando eu vi aquelas helices fiquei chocada e me lembrei que ja tinha voada nesse tipo de aeronave a uns 5 anos atras, como sou cantora a gente as vezes nao escolhe como ir ate a cidade destino.
    Muito bem me lembro que na experiencia com aviao com essas helices eu suei frio, rezei muito ate ele parar na pista..e jurei pra mim que nunca mais voaria neste tipo de aeronave-aviaozinho..
    Confesso que lendo os textos variados me deixou um pouco mais calma para voar,,,logico que vou reforcar meu tratamento de ansiedade e nao esquecer de levar meu protetor auricular, pra nao sentir tanto medo.
    Mais gostaria de saber de nossos professores e usuarios mais sobre a Cia Aerea, fiscalizacao das aeronaves, helices e etc…
    Desculpe alguns termos aereos, mais confesso que sou leiga
    E tbm os acentos do meu notebook.

    Abraco a todos

  34. Pra quê a pancadaria? O espírito do texto é a aventura em si da sensação de um vôo em uma aeronave menos convencional. Não acho que o Marmota mereça tantos tapas. Aliás, teve um aí que ficou falando que ele não conhecia aviação mas escreveu “esplicativo” quando o correto seria com “x” e “fit” quando o certo seria um impressionante “feet” de pés… ou seja, esse não conhece o português e com certeza nem aviação….

  35. Comprei hoje passagen pela Trip e creio que vou de ATR. Por isso pesquisei e cheguei a este site.
    Gostei muito do que o Marmota escreveu, e estou ansioso para viajar de ATR, pois ele não falou em nenhum momento que o avião é ruim ou inseguro. Ao contrário, ele recomenda a viagem num ATR.
    Que pena que o pessoal ligado a aviação entendeu errado, e alguns chegam a ofender o Marmota. Acho que o que falta aos críticos é uma boa interpretação de textos.
    Abração a todos, e “rumbora” viajar de ATR.

  36. marmotaooo meu caro, belissimo texto, adorei, hj(29 de agosto) voei num atr42 da pantanal, confesso que tive um pouco de preconceito, mas depois fui pesquisar e me sinto honrrado de ter vvoado nele, realmente, na pista antes de decolar ele samba!! foi divertido.. fui a 17 mil pes numa velocidade de 400km/p foi d+, fiz videos tem no meu canal do youtube, veja, e para os espertalhoes a sabem tudo, o relado do marmota foi de exelente bom gosto e nao adesencoraja ninguem a voar.

  37. Oia, esses aviao atr sao baum prum patrao, so pra eles memo. nao gasta querosene, voa com pane, nao anda, nao sobe, barulhento, ruim divua, ruim de controla ele nu chaum, aquelas rodinhas na barriga, muito juntas…comprica no solo..Si oce perde um motor dispois da decolagem, loguin dispois…num roporto alto, com morro pra todo lado…veiu, fica ruim de vua…fica perigoso pra acelerar o danado que nao sobe…VIVA A FABRICA BOEING! VIVA TODOS OS BOEINGS!

  38. Gente, se medo de voar tem nome .. é o meu, pode ser de boing, ATR, jato ou qq coisa que não pare p eu descer se eu assim desejar. Marcaram minhas reservas nessa companhia Pantanal que havia ouvido falar vagamente e procurei me informar. Qual tamanho não foi meu susto ao ver a foto do ATR e suas hélices, entrei em pânico. Fuçando na net acabei aqui e Marmota sua descrição simples e honesta de uma pessoa como eu, que nada sabe de aviação ou aviões me pareceu simpática. É legal dizer q para as pessoas que tem medo de voar, o desconhecido é algo q assusta, e uma descrição honesta sem rompantes sentimentais ou paixões declaradas por avião acalmam e confortam alguém com medo, com sua descrição sei oq esperar e sem surpresas posso embarcar com menos gramas dos meus calmantes rsss. Obrigada.

  39. Aos entendidos de aviação:

    Primeiro, o plural de pé no inglês é feet e não “fit” e em segundo, “ingnorante” não é a grafia correta da palavra ignorante.

    Portanto, antes de desabafarem de forma pejorativa contra o autor do texto (que por sinal foi muito bem escrito, se um senso de humor ímpar) aprendam a se comunicar corretamente.

    Aos demais:

    Vou viajar amanhã, pela primeira vez, em um turbo-hélice ATR42 da Trip. Ansioso! Um sonho sendo realizado.

  40. Cara! Fiquei pasmo com tantos comentários que beiram a um linchamento público do autor do texto, totalmente desconexos…

    Assim como outros que comentaram antes, ao pesquisar sobre os ATR’s, por ter comprado uma passagem de um voo operado em uma dessas aeronaves, encontrei essa página. Lendo o relato do Marmota, fiquei muito mais tranquilo (e até com vontade) de voar nesse “aviãozinho”.

    Depois, vendo tanto ódio nos comentários, senti pena por saber que existem pessoas que interpretam tudo errado e saem distribuindo socos e pontapés pra todo lado…

    Acredito que essas pessoas poderiam reler com calma o texto, e, se assim entenderem, se desculparem com o Marmota. Afinal, o texto, ao contrário do que disseram, estimula as pessoas a viajarem nessa aeronave… Comigo foi assim.

    Abraços

  41. Poltronas de aviões serão sempre simples, pelo motivo da necessidade de usar materiais leves, as fábricas não vão querer colocar poltronas como as de ônibus…

    O que se perde em conforto, ganha-se em rapidez e segurança…

    José

  42. Adoreeeeeeeiiii o seu texto, me senti a uns 4anos atraz qdo voei de Aracatuba a Bauru…. Mto divertido, ate hj em aracatuba só desce ATR, e eu adoro pq é o único avião em q vc tem vôo panorâmico e ainda conquista vários amigos!!! Portanto adoroooooo vôos regionais

  43. Saber escrever corretamente e interpretar um texto são coisas das mais importantes na vida de um ser humano (sendo ele profissional de aviação ou não)e, acho que isso já resume o que achei desses comentários indignados. Eu tinha receio de voar e meu primeiro voo foi num ATR42, que eu descrevi no meu serviço como uma kombi que voa (da mesmíssima maneira descontraída que o Sr. Marmota). Adorei a ida (SP – Marília)e a volta foi cheia de turbulência… queridos, a aeronave balança mesmo! Confesso que não achei a coisa mais agradável do mundo, mas não fiquei traumatizada e vou continuar voando (quando a grana permitir), seja em ATR ou não.Quanto ao texto, a MINHA interpretação (e pelo que li, de boa parte dos demais)é o relato descontraído de um passageiro sem nenhum cunho ofensivo, difamatório, traumatizante ou coisa que valha. Coisa cansatiiiva…releiam a observação final do autor(várias vezes, se necessário).

  44. Kkkkkkk. Onibus alado. Gostei. Viajei em um atr 42 da Trip para Ipatinga. Gostei do aviao. Bela Maquina. Me incomodou um pouco o barulho do turbo Helice. Decola bem rapido e parece bem segura.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*