O mistério da figurinha chave

Todo bom nostálgico vai lembrar com carinho dos seus antigos álbuns de figurinhas, também chamados livros ilustrados. Um mais especial que o outro, clássicos que rendem outro longo tratado sobre o assunto – passando por Amar é… até o álbum da Copa, coqueluche do último inverno.

Os menos abastados, no entanto, não tinham muitos cruzados para investir em pacotes de cromos autocolantes – ou mesmo no próprio álbum. Nem por isso essa turma teve motivos para crescer frustrada: nos anos 70 e 80, era possível encontrar álbum e figurinhas em qualquer bar, mercearia, quitanda, armazém de secos e molhados…

Mas é claro! Para quem ainda não ligou uma coisa a outra, aqui vai a revelação: livros ilustrados de qualidade discutível. Capa amarela, com um título grandioso na capa e fotos de inúmeros produtos, tal propaganda do Baú, na contracapa. Dentro, páginas impressas em cor magenta. E no rodapé de cada uma delas, o aviso tentador: algo como “preenchendo do número 25 ao 38, você ganha uma BICICLETA!”

Bicicleta era o grande sonho. Tinha também bola, panela de pressão, boneca, copos, conjunto de utensílios domésticos… Uma tática infalível: enquanto permanecia em circulação, o álbum de figurinhas com prêmios era coqueluche entre a molecada do meu bairro e, certamente, no seu e em muitos outros em todo o país.

Passada a empolgação inicial, vinha a raiva: impossível completar uma página inteira. Ou pela falta de um ou outro número fundamental, ou pelo excesso grotesco de figurinhas repetidas num único envelope – que, aliás, trazia quantidades díspares. Depois de algumas semanas, algumas constatações óbvias alimentavam a ira: o título do álbum era “Brasil na Copa de 86″, mas as figurinhas traziam personagens dos quadrinhos (muitos com nomes errados), carros, desenhos genéricos… Vez ou outra tinha até jogador de futebol. Onde já se viu tamanha enganação?

Reclamações com o dono do boteco provocavam a invariável resposta: “você só precisa da figurinha chave”.

“Agora tudo se encaixa”, pensava o incauto. Evidentemente, era tudo pensado: em cada página, havia uma figurinha que dificilmente era encontrada. A tal “figurinha chave” era uma espécie de vale-brinde. Levava esse nome não apenas por ser a mais importante, mas também por trazer em seu verso uma carimbada tosca, em forma de chave. Na prática, bastava apresentar aquela figurinha para retirar o prêmio.

Durante anos fui enganado por esse sistema mesquinho, invenção inteligente de algum picareta aproveitador, em busca das moedinhas das crianças. Mas ao menos consegui, uma única vez, colocar as mãos em uma figurinha chave. Troquei por uma linda jarra de plástico. É claro que não conheço nenhum ser humano que tenha ganho uma bicicleta através destes saudosos álbuns de figurinhas.

E você, conhece? Ou, como diria Dona Milú, “mistééééério”?

(Postado em 08/07/2003)

Comentários em blogs: ainda existem? (17)

  1. Conheço ninguém, não, viu?

    Esse ano, depois de grande (bem, não muito) resolvi fazer o álbum The Dog, com figurinhas de dogs fofos e outros nem tantos.
    Resultado: fiquei com preguiça de ficar gastando dinheiro com coisas repetidas e comprei as 40 (!) figurinhas que faltavam da editora…

  2. Olha, na verdade, eu não lembro desse álbum com prêmios não! O.o

    Eu costumava colecionar figurinhas do Chaves e de Dinossauros, hehehe! Devo ser de outra geração, né? Porque, no meu tempo, o mega-master-power prêmio de todas as promoções não era uma bicicleta, era um mini-buggy, hehehehe!

    E eu nunca tive. :(

  3. Achei super legal vc colecionar o Amar é… Prova que vc era/é um menininho sem preconceitos, já que é um álbum considerado “de menina”. ;)

  4. André!

    Lembro dessas figurinhas… e bem de antes, quando as colávamos no álbum com uma pasta de fariha de trigo.

    A cola que existia, era a goma arábica, longe do tempo ainda, das colas brancas, a pioneira Tenaz. E as mães não nos davam dinheiro para o goma arábica, pois aquilo fazia uma meleca horrenda, que não secava nunca!
    E sim, muitas figurinhas repetidas… aos montes! Serviam para jogar “bafo”.

    Abs!

    Sérgio

    PS: Passeio por aqui desde o surgimento do Interney blogs. Mas só agora aconteceu de um comentário.
    E moro em Barra Bonita, pertinho de Jau.

  5. Eu colecionei um dos “trapalhões” com vários amigos de 2a e 3a série… para todo mundo sempre faltava a mesma figurinha… e NINGUEM ganhou premio!

    Acho que vc é a unica pessoa que conseguiu uma figurinha chave!!! rs rs

    Figurinha chave é que nem miss Cangaiba!

  6. Eu comprei várias dessas figurinhas no passado e agora há uma nova versão de figurinhas Disney… meu filho canta o tempo todo “Achei, A-há! Ganhei, U-hú!” e nós só achamos vales brindes… MP5 que é bom nada hahahahahahahah

  7. minha sobrinha encontrou uma fig disendo vale um carro o .mas o representante falou que não tinha carro de brinde pura marmota!

  8. Na minha opinião, o melhor álbum de figurinhas lançado no Brasil (na década de 80 se não me engano) foi “A Gang do Lixo”. Não dava prêmios, mas que era engraçado, ah, isso era !

  9. vixi, as duas bandas da panela nunca se encontravam nas esquinas do planeta. kakakaka

  10. Por íncrivel q pareça eu achei a fig. chave da bicicleta ! Ganhei uma linda monareta !!!!!!!!!!!!!!!!

  11. Uma vez cheguei a gastar uns 10 reais so de pacote de figurinha, e consegui tres figurinhas chaves( que na epoca eram brancas sem nada) infelismente eu fui la onde vende e ja tinha encerrado, parecia que era serio, porque eu cheguei a ver vario premios pindurados no posto de venda….
    pena que nao ganhei

  12. Eu achei sim. Uma única vez. Eu deveria ter uns 7 para 8 anos e provavelmente era um álbum dos Cavaleiros dos Zodíacos, nos anos de 1995 ou 1996. Lembro muito bem da figurinha chave. Era uma chave dourada e como plano de fundo, a cor AMARELO. Entreguei ao meu velho, que sempre trazia os pacotinhos após o trabalho. Ele não acreditou quando viu e no dia seguinte foi até a banca e o Jornaleiro disse que não esperava por essa. Não tinha nenhum bride apresentando no álbum na banca de jornais. Ele ofereceu umas canecas com emblemas de times de futebol. Meu pai queria me trazer do Esporte Clube Vitória, porém não tinha. Então trouxe qualquer outro… Decepção total. Quem tiver uma foto desta figurinha citada acima agradeço se mandar pro meu e-mail.(icarocrusoesales@gmail.com)

  13. Eu já ganhei vários brindes, nenhum mais caro de 20 reais, tipo meia duzia de copos, esses ganhei umas três vezes, bola, domino de plastico e por ai via, uma vez tava esperando a hora de entrar na escola, veio o homem que deixava para o dono da taberna e deu três pacotinho pra mim e outra amiga (cada), né que um dos meus veio “premiado” com uma bola kkkkkk dei uns dias e fui trocar, pro senhor não ficar irritado kkkkkk

    • Patrícia, ele já sabia que estava premiado. Toda vez que lançavam um álbum de figurinhas, eles davam algumas pacotes de figurinhas, e elas sempre vinham com uma premiada. Só para chamar a atenção.

  14. Eu ganhei tabuleiro de jogo de botão por duas vezes, sendo em épocas diferentes, o primeiro passei pro filho da vizinha, o segundo foi para o meu primo, e interese era o vídeo game.

  15. O melhor album na minha opiniao era o das chapinhas, depois veio disney, turma da monica, amar e, bem me quer e os famosos albuns de premios que nunca serao completados e as figurinhas chaves foram trocadas por vales que dao brindes diferentes dos que estao no album.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*