Warning: mysqli_query(): (HY000/1194): Table 'mmm_usermeta' is marked as crashed and should be repaired in /home/marmota/www/blog/wp-includes/wp-db.php on line 1877

No caminho da roça

Amsterda (Holanda) – Foram sete (ou oito) cidades. Duas delas eram velhas conhecidas. Outras duas, semi-inéditas. Oito deslocamentos programados por avião e trem. Longas horas registradas em fitas mini DV. Centenas de momentos recortados e armazenados em cartões de memória numa câmera digital (ao menos os que nao foram parar em maos alheias). Tudo que posso dizer agora é: caso tudo isso tenha dado certo, a essa altura estou a algumas horas distante do ponto de partida, após embarcar no vôo KLM KL0791, de volta para Guarulhos, São Paulo. Tanto eu quanto o Lello carregamos toneladas de malas e histórias, prontas para serem esvaziadas quantas vezes forem necessárias nas próximas semanas em todos os “bota-dentro” e rodinhas de amigos.

Isso significa que estas são as minhas últimas palavras (algumas sem acento) no velho continente. minhas próximas linhas já serão em casa, devidamente modificadas após este longo setembro sabático… Claro que não devo fugir dos velhos clichês: assim que tiver uma chance, viaje e aproveite durante quatro semanas como se fossem quatro anos. Sem pensar duas vezes. De repente, a sua vida pode até mudar.

Seguidos pelo Lula – A Carol brincou recentemente: “fala a verdade: vocês estão é acompanhando o Lula (com verbas do governo)”. Infelizmente, descobrimos ao acaso a presenca do nosso efelenfissimo presidente na Escandinavia. Isso porque esbarramos (sem querer) em um assessor do Itamaraty, em Copenhague. No ultimo dia 12, em Estocolmo, boa parte das instalacoes oficiais ostentavam bandeiras do Brasil – ate me senti importante! E na manha do dia 13, ligamos a TV e la estava Lula, falando de alcool (coisa que ele conhece bem). Bem que ele podia tirar alguns dias de folga e prosseguir o passeio com a gente.

Tecnicas de secagem – Quem conhece o hotel Formule 1 em Sao Paulo sabe o quanto ele consegue “salvar” noites de sono a precos bastante justos. Pois cai nesse conto do vigario ao reservar justamente ele em Estocolmo. Esquecam o chuveiro no quarto e a simpatia no atendimento: o F1 da capital sueca entra facilmente na lista dos piores hoteis que ja fiquei na vida. Em coro, comigo: nunca mais colocarei os pes naquela espelunca.

Uma das praticas mais sacanas deles: aluguel de toalha grande, por 50 krones suecos (mais ou menos seis doletas). Em compensacao, a toalha de rosto “fica como brinde”. Como a ducha coletiva deles se transforma em algo inutilizavel ao fim da noite, preferi secar meu corpinho esbelto usando a toalhinha. Ate que me sai bem, desde que utilizando tecnicas corretas.

Por exemplo: comecar sempre com a cabeca, usando apenas a ponta da toalha. Usar uns dois tercos (descontando a ponta) para os membros superiores, inferiores e dorso. Os dedos dos pes e as partes intimas merecem a outra ponta da toalha. Por fim, as costas, naquele velho estilo “estende e esfrega”. Obviamente, a toalhinha fica inutilizada. Mas ao menos consegue salvar a estadia.

Da proxima vez, vai ficar mais facil escolher um hotel. De qualquer forma, como diria Lello Lopes, paciencia.

Mudar faz bem – Em 2004 e 2005, usei e abusei da rede Easy Internet Cafe, que me parecia a melhor alternativa para conexao fora de casa. Para minha total decepcao, as duas unidades que encontrei no caminho (Amsterda e Atenas) estao simplesmente paradas no tempo. Tanto os computadores quanto o navegador sao os mesmos daquela epoca – toda vez que precisava usar as preciosas ferramentinhas Google movidas a Ajax, o computador travava.

Como todo castigo pra pobre parece pouco, nosso intrepido Lello Lopes ainda foi surpreendido por um trombadinha no Easy Internet Cafe de Atenas, na praca Syntagma. Servico ruim, com um desfecho ainda pior (felizmente, entre mortos e feridos, as perdas foram pequenas). Bem que a rede abobora poderia tomar como exemplo o Sidewalk Express de Estocolmo, sem duvida o melhor acesso que tivemos nas ultimas semanas. Ou mesmo os blogs do IB, que agora estao no IG: mudar faz bem, ainda que seja para continuar sempre o mesmo.

DataNara – De uma coisa, tanto eu quanto Lello temos certeza absoluta: em 25 dias fora de casa, caminhamos tudo que nao fizemos durante um ano inteiro. Nao consigo sequer quantificar os quilometros percorridos a pe – deixo para a sola do tenis e a batata da perna, ambas exaustas, a explicacao definitiva, sem usar qualquer palavra.

Em compensacao, outros numeros foram contabilizados atraves do nosso DataNara, central de estatisticas que pode valer como um belo resumo do que houve nos ultimos dias.

Cidades – 7 (8, vai)
Cidades com transporte publico eficiente – 8
Cidades sem escadas rolantes no transporte publico – 1
Cidades com Museus do Sexo – 5
Museus do Sexo visitados – 1
Outros museus – 0
Igrejas – 4
Teatros – 0
Cinemas – 1
Igrejas com cinema (!!!) – 1
Estadios – 7
Estadios fechados – 5
Jogos de futebol – 0
Tentativas frustradas de ir ao futebol – 1
Tentativas frustradas de ir a outro tipo de jogo – 1
Estatuas – 1
Estatuas que passaram a ser denominadas “Borba”, como o Bagulho Maravilha – 128
Acidentes de transito testemunhados – 3
Clones de Mohinder Suresh – 59
Clones de Michael Stipes – 2
Clones de Mika Hakkinen – 6 (todos na Escandinavia)
Clones de Irene Ravache em Belissima – 37 (todas em Atenas)
Torres – 2
Torres subidas – 1 (nao foi a Eiffel)
Compras perdularias – 65
Compras de presentes (tambem perdularias) – 13
Peso da mala (em kg) – 50
Baladas – 2
Gostosas vistas – 698
Gostosas rechonchidas (“Gordelicias”) – 338
Gostosas catadas – 0
Paixoes – 60
Paixoes correspondidas – 0
Conversas com estrangeiros – 15
Conversas com brasileiros – 28
Amigos reencontrados – 2
Trocadalhos do carilho – 601
Outras frases bobas e piadas afins – 512

Colonia de Ferias – Ah, sim: depois de passar algumas horas agradaveis na cidade homonima ao nosso “calhau”, tudo que me resta é agradecer imensamente a todos que emprestaram suas palavras para tomar conta deste espaco durante as ultimas semanas. Tenho certeza de que alguns visitantes vao sentir falta delas – afinal de contas, agora eu volto a despejar as mesmas bobagens de sempre todos os dias.

Quer dizer, ainda tem mais um textinho. O ultimo, neste domingo. Ate porque, depois de quase um mes caminhando pelo outro lado do Oceano Atlantico, finalmente chegou a hora de descansar um pouco.

Comentários em blogs: ainda existem? (4)

  1. marmota, estou rindo como ha muito tempo…
    vc realmente é meu ídalo…(rsss)
    adorei seus numeros!
    ainda quero tomar umas cervejas com vc quando vier algum dia a BH, deve ser muito bom conversar com vc… imagino que vc fala como escreve, assim, com toda essa facilidade….
    bom saber que sua viagem foi bacana, e que vc aproveitou em 25 dias 25 anos….
    bom ter vc de volta moço!!!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*