Navegar na web é viver desconfiado

Dois assuntos desconexos, cuja moral é a mesma. Nos últimos dias, minha caixa postal anda infestada por uma série de mensagens, algumas “enviadas” por conhecidos meus, todas com o assunto “eu te amo” ou “duvido você me reconhecer” e um arquivinho pif anexado. Também recebo mensagens de erro, por não conseguir enviar coisas do gênero para outras pessoas.

Trata-se do Mydoom.BL, provável variação tupiniquim de um tipo de verme capaz de se alojar no computador infectado e “se reproduzir sozinho”, após procurar todos os e-mails possíveis em arquivos texto, catálogos de endereços e pastas de mensagens. Ao que parece, praticamente impossível erradicá-lo.

Esse é apenas um dos mais de cem mil vermes, vírus, trojans e os terríveis scams – os tais cartões virtuais, pedidos bancários e notificações do serasa que, na verdade, só servem para roubar suas senhas e o número do seu cartão de crédito. Mais do que nunca, o negócio é defender seu patrimônio. Além de desconfiar de tudo.

***

Além desse lixo todo, recebi com alguns meses de atraso um texto sensacional: trata-se de uma pesquisa feita pela revista musical americana Billboard, definindo as composições do Engenheiros do Hawaii (leia-se Humberto Gessinger) como as mais profundas e inteligentes do mundo. Com a frase introdutória: “especialmente para você”.

Tenho que admitir aqui essa minha fraqueza: sou sim fã dos Engenheiros. Minha primeira reação foi um sorriso enorme. Obviamente, voltei à realidade em segundos: como é possível uma pesquisa internacional chegar a essa conclusão? E mesmo sendo fã, sei perfeitamente que nem todas as músicas são geniais. Além disso, não há qualquer referência na web sobre a veracidade da informação.

A web tornou-se um indiscutível e eficiente propagador de informações, mas ainda peca por sua total falta de credibilidade. Desde notícias como esta até a surreal atribuição de textos a autores famosos – como Arnaldo Jabor ou Luis Fernando Veríssimo – uma verdadeira cultura do copyleft às avessas. Sem falar na praga do “repasse para todos da sua lista”. Enfim, o negócio é bancar o jornalista e checar os fatos. Além de desconfiar de tudo.

Comentários em blogs: ainda existem? (4)

  1. Dei boas risadas imaginando você feliz com a notícia dos Engenheiros. Você pensando :”Tá vendo! Eu sabia!”.
    Convenhamos, tem que ser muito cara de pau para soltar uma notícia fraudulenta dessas.

  2. Tem que ser você a fundar o Movimento Especial Contra a Implicância ao Engenheiros do Havaí (MECIEH!, com exclamação). Tá doido, escolheram os caras prá cristo.

    Mas não te empolga não…

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*