Nas mãos do destino

Um grande guerreiro japonês chamado Nobunaga decidiu atacar o inimigo, embora ele tivesse apenas um décimo do número de homens que seu oponente. Ele sabia que poderia ganhar mesmo assim, mas seus soldados tinham dúvidas.

No caminho para a batalha, ele parou em um templo Shintó e disse aos seus homens:

– Após visitar o relicário, eu jogarei uma moeda. Se a Cara sair, iremos vencer; se sair a Coroa, iremos com certeza perder. O Destino nos tem em suas mãos.

Nobunaga entrou no templo e ofereceu uma prece silenciosa. Então saiu e jogou a moeda. A Cara apareceu. Seus soldados ficaram tão entusiasmados a lutar que eles ganharam a batalha facilmente.

Após a batalha, seu segundo em comando disse-lhe orgulhoso:

– Ninguém pode mudar a mão do Destino!

– Realmente não… – disse Nobunaga, mostrando-lhe reservadamente sua moeda, que tinha sido duplicada, possuindo a Cara impressa nos dois lados!
colocou isso no ar às 17:20

Taí o post da Jeannie, concedido graças ao seu desempenho ao tentar adivinhar quem é quem na festa. “Adorei! Mas não tinha a menor idéia do que postar, foi quando li esse conto oriental, que fala que quando queremos realmente alguma coisa é presciso acreditar e lutar. Afinal, quem faz a nossa história somos nós mesmos!”.

Muito legal, Jeannie! Agora só falta o Jacques (agora acertei! Se bem que Jaks é mais fácil mesmo…)

André Marmota formou-se jornalismo e ainda estuda o tema na pós-graduação. Mas o que importa é ter saúde, não é mesmo? Quer saber mais?

Leia outros posts em Outros. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (6)

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*