Meu time dos sonhos

Ainda estou devendo posts decentes sobre uma série de coisas, como Douglas Adams. Enquanto isso, vou pegar emprestado uma de suas idéias e criar, quem sabe, um meme (ou corrente) de sucesso. Em março de 95, o escritor inglês publicou no jornal “The Observer” uma coluna de nome “The Dream Team” – a mesma foi resgatada e usada para compor o livro “The Salmon of Doubt”, que reúne textos inéditos e artigos deste que virou um dos meus grandes ídolos.

Pois agora é a minha vez de escalar a minha relação “dos sonhos”, e convido você a fazer o mesmo, seja no seu blog ou nos comentários. Vamos lá: como seria o meu/minha…

Filme dos sonhos: Uma comédia assinada por David Zucker (de Corra que a Polícia Vem Aí ou Apertem os Cintos, o Piloto Sumiu), com uma piada fraca por minuto. Jim Carrey estaria no elenco, e Mel Brooks faria uma participação especial. Com um pouco de psicodelia, cores vivas e cenas de ação vibrantes – o que resulta em Johnny Depp e Helena Bonham Carter em cena e Tim Burton como diretor.

Banda dos sonhos: O guitarrista, obrigatoriamente, seria o Eddie Van Hallen. No baixo, porque não, Paul McCartney – de quebra, poderia cantar alguma coisa. O baterista pode ser o do Rush (Neil Peart, segundo o Google). E o vocalista é o Bono Vox, porque alguém teria que aparecer mais que o resto.

Amante dos sonhos: Aqui, a resposta certa é “a minha” para os comprometidos e “a próxima” para os solteiros. Como eu não criar qualquer polêmica, nem atrair mais mulheres sensíveis e apaixonadas, não vou entrar em detalhes sobre inteligência ou atributos físicos e psicológicos. Digo apenas que a amante dos meus sonhos não pode ser de aquário, nem morar longe. O tempo e a convivência acertam os outros detalhes.

Projeto dos sonhos: Ao lado de amigos altamente competentes, rodaríamos o Brasil por um ano inteiro num furgão equipado de ilha de edição não-linear e filmadoras digitais. Produziríamos documentários engraçadolhos mostrando o lado alegre dessa gente sofrida. A transmissão seria ao vivo, para que os espectadores participassem da brincadeira via Internet.

Profissão dos sonhos: Dono de uma emissora de rádio. Mas sem os trejeitos do Doutor Pimpolho.

Refeição dos sonhos: Algo similar ao rodízio de massas do Grupo Sérgio, nos anos 80 – para quem não teve esse privilégio, imagine qualquer lugar que sirva nhoque, ravioli, macarronada e seus afluentes. Agora multiplique isso por um número muito grande. Servido com Coca-cola, gelo e limão.

Casa dos sonhos: Seria no meio de um terreno enorme e gramado, com espaço para todos os amigos chegarem de carro. Dentro uma sala bem grande, com tapetes e almofadas diante da TV de 40 polegadas equipada com antena Sky. Nos fundos, uma área equipada com churrasqueira e sistema de som surround. Um dos quartos se transformaria em biblioteca/escritório/recanto-me-deixem-sozinho-por-um-tempo – claro, com um Powermac G5 e Internet banda larga. Ficaria melhor ainda se, a menos de 500m, tivesse uma praia – o que resulta em um chuveiro gelado na frente do portão.

Férias dos sonhos: Os mesmos amigos competentes do “projeto” seriam convidados para passear pela “Eurásia”: desde Porto até Moscou, cruzando o velho continente em uma van – mas sem muitas câmeras ou ilhas de edição desta vez. Sem se preocupar em “quantos dias” ou “quanto eu vou gastar”.

Dia de folga dos sonhos: Começaria por volta da uma da tarde, exatamente quando eu conseguiria sair da cama. Mais uma hora na cozinha, me divertindo com aquela mistura de café e almoço batizada por algum engomadinho sofisticado de “brunch”. Caminhada pelas redondezas, com direito a ondas do mar batendo nos pés (sim, acordaria na “casa dos sonhos”). Tarde inteira na mega-livraria antes de sentar numa pedra e assistir ao por-do-sol Até aqui, tudo ficaria melhor se estivesse bem acompanhado – até porque, à noite, a companhia da galera em algum barzinho para jogar conversa fora é obrigatória.

Por hora, vou manter a idéia original do Douglas Adams. Prefiro acrescentar outros tópicos em uma segunda edição, certamente pinçando alguns bolados por vocês (mãos à obra, não deixem de incluir na lista, entre outros, o Natal dos sonhos, o time de futebol dos sonhos, o harem dos sonhos, a câmara dos deputados dos sonhos…).

(Postado em 06/12/2005)

André Marmota tem uma incrível habilidade: transforma-se de “homem de todas as vidas” a “uma lembrancinha aí” em poucas semanas. Quer saber mais?

Leia outros posts em Faça fazendo. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (13)

  1. Livro dos Sonhos: O roteiro de “Jangada de Pedra” de José Saramago, só que re-escrito pelo magnífico Douglas Adams. Iria ser muito mais engraçado!

    Filho dos Sonhos: Teria o nome de Nicolas. Seria Corinthiano; iria gostar de ouvir as histórias de Grimm, Andersen, Esopo; seria viciado em Playstation II e iria adorar ter o pai como adversário; seria conversador com as visitas e seria extremamente carinhoso com a mamãe. Seria educado com os mais velhos e saberia respeitar as ordens que eu lhe iria impor. Ah, e a mamãe do Nicolas seria a Silvana, claro.

    Emprego dos Sonhos: Trabalhar de “repórter” de uma revista de Vídeo Game, para testar jogos e depois resenhá-los.

  2. Huhu! Gostei da parte do PowerMac G5 com banda larga.

    Vou fazer uma lista dessa no meu blog. mas não agora, que eu to (fingindo que estou) trampando.

  3. Nas férias dos sonhos eu só trocaria “os mesmos amigos competentes do ‘projeto’ ” pela linda e doce garota dos meus sonhos e a van por um belo Fusca marrom e branco, com interior em tom chocolate. Ou uma Kombi.

  4. Primeiramente achei que você ia numerar seus sonhos (aqueles de Freud e Jung), preferidos…rs.
    Mas acho que viajar sem se preocupar com quantos dias ou quanto gastar compensa todas as não realizações dos outros sonhos.

  5. Bom filho à casa torna. Difícil conseguir entrar nesse site na hora em que estou na Net… Aqui estou pra dizer que deve ser chato mesmo morar longe do mar, pelo que você fala. O time ideal veste a camisa do meu, não me importa quem joga, papo sério. Você está exudando bom humor. Tudo bem?

    Beijos,

  6. Meu São Paulo de todos os tempos, que é o que interessa (hehehe):

    Rogério Ceni, Cafu, Dario Pereyra, Oscar e Serginho; Roberto Dias, Gérson, Pedro Rocha e Raí; Müller e Canhoteiro. Técnico: Telê Santana.

    Aplausos, por favor! :)

  7. rogerio ceni
    miranda
    terry
    andre dias
    puyol
    gerrard

    fabregas
    c ronaldo
    ronaldinho
    robinho
    ibraimovick

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*